Timão pressiona CBF



A diretoria corintiana quer que a CBF se movimente e exija explicações da Conmebol sobre as conversas reveladas pela imprensa argentina sobre suposto esquema para classificar o Boca na Libertadores de 2013 e eliminar o Timão.

Andrés Sanchez está se mexendo nos bastidores e acha que as suspeitas não podem ficar no ar. Que devem ser apuradas e a CBF, que em tese representa o futebol brasileiro, deveria se mexer e ir até as últimas consequências. O pedido é para a confederação entrar com tudo no caso e exigir investigações.

O problema, porém, é que tanto a gestão de Ricardo Teixeira quanto as de José Maria Marin e Marco Polo Del Nero eram muito ligadas a Julio Grondona, presidente da Associação de Futebol Argentino morto no ano passado.

E são conversas de Grondona que indicam que ele teria “escalado” o paraguaio Carlos Amarilla para apitar Corinthians x Boca.

O jogo terminou 1 a 1, resultado que classificou os argentinos e revoltou os paulistas, que reclamaram de dois gols mal anulados por Amarilla, fora um pênalti não marcado.

O árbitro foi afastado pela Associação Paraguaia de Futebol, mas isso é pouco. A credibilidade do futebol mundial, que já estava baixíssima, segue em xeque. Cada vez menor, cada vez menor.

E a CBF, cuja administração também está na berlinda desde a prisão de Marin há quase um mês na Suíça, pelo jeito nada faz. Ou talvez faça algo para inglês ver.

Não é o que o Corinthians quer. Comprovada a fraude, deve exigir compensação financeira por perdas e danos com a eliminação, inclusive morais. Espera ter a CBF a seu lado, mas não será fácil. Inclusive porque Del Nero é desafeto de Andrés.

Pobre futebol sul-americano…



  • Mario

    Corinthians vai se movimentar mais para dar uma satisfação a torcida , mas sabe q não vai dar em nada no maximo vão afastar os envolvidos no caso q ainda estão vivos por um tempo e depois eles voltam.

    Infelizmente depender da chefia da policia e justiça na America do Sul nada vai mudar e o futebol continuara a se afundar no mar de lama.

    Janca por ninguem entrevistou o Marin na prisão ou algum membro da família dele ate agora? Eles se negam a dar entrevistas?

    abrçs

    • janca

      Entrevistar na prisão, que eu saiba, está proibido. E as visitas limitadas. A mulher e o filho não quiseram falar. Sobre o caso Corinthians x Boca infelizmente também acho que não vai dar em nada. Mas pelo menos o árbitro paraguaio não poderá apitar qualquer partida oficial em seu país até que o caso, que é gravíssimo, seja apurado. E as investigações, concluídas. Se é que serão levadas adiante. Duvido, mas posso estar errado. Pra mim termina em pizza. Abraço

  • Tato I

    Pois é. CBF, Conmebol… tudo compadres. Tudo rabo preso. Sempre achei que o juiz de futebol tem meio que uma “aura” divina dentro de campo, pode num só lance acabar com o campeonato inteiro de um clube e depois quase nada, um pedido de desculpas e olhe lá. E ainda acaba virando comentarista da TV Globo, rsrsrsrs.

MaisRecentes

Paulistas com medo



Continue Lendo

A mágoa de Ceni



Continue Lendo

Alerta a Raí



Continue Lendo