Copa-14 na mira



Além de mais de mil contratos assinados por Ricardo Teixeira e Jérôme Valcke por conta da Copa de 2014, todos na mira do FBI, o processo de escolha do Brasil como sede também deve virar alvo de investigação.

De 1998 pra cá todos os Mundiais estão sob suspeita de compra de votos, inclusive porque o colégio eleitoral era pequeno, formado pelo Comitê Executivo da Fifa.

No início a preocupação era com a Copa de 2010, já que os sul-africanos teriam vencido a disputa com pagamento de propina, e as de 2018 e 2022, na Rússia e no Qatar, respectivamente.

Agora o FBI, com denúncias também em relação à Copa de 1998, cuja corrida foi vencida pela França, quer saber como o Brasil conseguiu ser candidato único para abrigar o Mundial do ano passado.

O então presidente Lula empenhou-se muito para a vitória brasileira, trabalhando ao lado de Teixeira, na época o mandatário da CBF, mas outros políticos também fizeram campanha, como Aécio Neves, do PSDB, e Sérgio Cabral, do PMDB.

Sem concorrência, o Brasil, que atravessava bom momento econômico, saiu-se vitorioso em 2007, mas depois se complicou para organizar a Copa, estourando prazos e gastos e erguendo pelo menos quatro elefantes brancos. Chegou a ouvir de Valcke, secretário-geral da Fifa, que merecia um chute no traseiro e manteve, já nos tempos de Dilma Rousseff, uma relação bem tensa com a entidade.



  • Mario

    Se forem a fundo não vai sobrar pedra sobre pedra na FIFA , mas o americanos tem limites e não deve ser tudo deixado nas mãos deles esta na hora de passarmos a limpo todas as federações , cartolas dos clubes e empresários de jogadores.

    Sem falar q temos q abrir o olho para articulações de quem ira suceder o Nero na CBF caso ele caia.

    Só q o Brasil não se complicou com prazos e gastos , esse superfaturamento já era previsto e planejado pelos politicos do governo e da oposição.

    • janca

      Também acho que não devemos deixar tudo nas mãos dos norte-americanos e temos que nos mexer por aqui. Até porque o escândalo atinge profundamente dirigentes importantes do futebol brasileiro. Basta dizer que o então vice mais velho de Del Nero e ex-presidente da CBF e do Comitê Organizador Local da Copa de 2014 está preso na Suíça desde quarta retrasada.

  • joe LHP

    Essa de pagar pra sediar Copa e jogos olímpicos é mais antiga do que andar pra trás, todo mundo sabia mas poucos ousavam a desbaratar os corruptos, alguns casos foram tão na cara que era algo patético, casos dos jogos de Atlanta em 96 e a Copa de 22 no Qatar, mas a casa caiu primeiro no COI e a máfia do então presidente Juan Samaranch foi desarticulada, na FIFA a justiça demorou a chegar mas diante de tantos abusos acabou atingindo ao então intocável Sr Blatter, só espero que o Brasil não deixe o bonde passar e faça a limpa por aqui também, futebol gera muito dinheiro mas essa grana não fica com os clubes e sim para os mafiosos como o Sr Del Nero por exemplo.

    • janca

      O COI tem muito a ser investigado. E os esportes olímpicos no Brasil também, já que vivem de verbas e benefícios públicos e devem explicações. Vide o escândalo que atingiu o vôlei brasileiro (e a confederação da modalidade, antes tida como exemplo).

  • Eduardo Berti

    Grande Janca
    O problema é que essa é uma área muito cinza…
    Se a federação receber uma doação da fifa para usar em algo legítimo como por exemplo pagar um estádio com dívidas como a Irlanda fez e em troca apoiar suas decisões, não deixa de ser um suborno.
    Mas e aí, onde determinamos q é um suborno ou não?
    Empresas normalmente pra evitar essa conflito não deixam seus funcionários receberem nada de fornecedores
    Abs
    Eduardo

    • janca

      O pagamento de propina, por exemplo, já foi reconhecido por J. Hawilla. As movimentações financeiras têm que ser bem analisadas. Aqui mesmo no Brasil a CBF aumentou a mesada pras federações, federações que elegem o presidente da entidade. O que é isso? O problema é a estrutura, que deveria mudar. Abs. e boa semana, Eduardo.

  • João Mickael

    Bom Dia

    Tudo que está acontecendo só arranha por enquanto a superfície da real situação, por hora o foco está nos dirigentes esportivos e em empresários e empresas ligadas ao esporte, mas é leviano pensar que eles agiram sozinhos, eles são a ponta do iceberg, há políticos, empresas e empresários de outros ramos e provavelmente prefeitos, governadores e afins que se locupletaram dos resultados.
    Por hora só os bodes expiatórios estão senso sacrificados.

    Abraço

    João

    • janca

      Não são apenas bodes expiatórios, estamos falando de corrupção e corrupção pesada. Mas concordo que tem muita coisa mais a aparecer. Que por enquanto estamos apenas na ponta do iceberg.

MaisRecentes

Goleiro são-paulino



Continue Lendo

Protestos à vista



Continue Lendo

Ajustes no São Paulo



Continue Lendo