Tite e a base



A diretoria do Corinthians já avisou Tite que ele tem que recorrer à base para completar algumas lacunas que a crise financeira deixará no time ainda em 2015.

Com a iminente saída de Sheik e Guerrero o técnico terá que correr atrás de um atacante formado na base, já que não está satisfeito com Vagner Love, um dos três reforços trazidos pela direção para a temporada.

O problema, porém, é que Tite não vê opções na base e mal tem acompanhado o departamento, já que o projeto de o centro de treinamento das categorias menores funcionar ao lado dos profissionais ainda não ficou pronto.

Dirigentes lembram ainda que, além de Love, trouxeram Edu Dracena e Cristian para Tite e que os três podem, uma hora ou outra, serem usados pelo treinador, deixando a reserva. Inclusive porque custam caro aos cofres do clube, mais de R$ 1,5 milhão por mês.

Tite tem evitado tocar no assunto, mas teme que, com poucas opções e uma possível debandada, que só estaria começando com a saída de Sheik e Guerrero, o time caia na tabela e a torcida comece a protestar.

Ele diz que vai trabalhar com o que tem e que entende os problemas administrativo-financeiros do Timão, que ainda tem que pagar a conta do estádio. Serão R$ 5 milhões mensais a partir de julho. E os direitos de nomear sua arena, que Andrés Sanchez dizia que seriam vendidos por R$ 400 milhões até fevereiro de 2012, por enquanto nada.

O jeito tem sido recorrer a empréstimos financeiros, mas até aqui eles têm servido para quitar apenas parte dos direitos de imagem que o Timão atrasou para alguns atletas. E em algum momento terão que ser pagos. Com juros nada camaradas…



  • Mario

    Todos os times tem q trabalhar melhor a sua base e usar mais nos times principais.

    Os tecnicos hj em dia (principalmente ps medalhões q ganham milhões) tem q parar de pedir jogador caro e começar a trabalhar mais , só querem jogadores prontos , raramente desenvolvem um jovem talento findo da base.

    Duvidas basta ver q Tite , Muricy ex-sp e santos , Osvaldo palmeiras raramente revelam um jovem jogador da base (alguns ate queimam os meninos).

    • janca

      Concordo. Eles têm que olhar melhor pra base, os clubes as trabalham muito mal e os técnicos querem soluções imediatas, reforços e mais reforços. Isso não acontece só no Corinthians, mas agora é uma chance para Tite finalmente olhar para as categorias menores, Mario. Abraço e boa terça pra você

    • janca

      E depois perdemos jogadores tão cedo para o exterior e não sabemos o porquê.

      • E alguns, como meu timão, insistem em perder os caras à troco de migalhas.

  • Zico

    Vou dar uma advogado do diabo . A base que tem surgido nos clubes , é pífia. Ridícula muitas vezes. Os garotos já sobem pro profissional achando que sabem tudo , já estão prontos. Falem aí o que aconteceu com o GABRIEL (gabigol é um dos problemas) e o enderson.
    Lançar os meninos não é problema , mas quando lançar sim . O caso do Santos é atípico pois a torcida gosta de endeusar vários jogadores comuns , o último mesmo foi o victor andrade.

    • janca

      Em parte concordo com você, em parte, não. O Santos, dos grandes do futebol paulista, investe metade do que os demais na base, mas tem colhido frutos, embora cometa erros aqui e acolá que fazem parte do negócio. De fato o jogador que sobe tem que entender que não sabe tudo, mas cabe à comissão técnica e à direção lhe dar uma diretriz, mesmo muitas vezes com o endeusamento precoce de alguns atletas. Saber a hora de subir é importante, mas o problema é que muitos treinadores nem sabem o que têm na base. E quando vamos ver tem um baita jogador brasileiro na Europa do qual nunca ouvimos falar e que no Brasil não foi aproveitado.

      • janca

        E a legislação também poderia ser repensada. Felizmente terminamos com aquela famigerada Lei do Passe, a escravidão no futebol, mas hoje há muitos clubes reféns de empresários, que fazem o que querem com “seus” jogadores. E os clubes acabam sendo usados e passados pra trás. Isso desestimula também.

    • Maximus Voreno

      Não vi muitos problemas com Gabriel e o Enderson. Na verdade… esse problema é menor que o vivido entre Gabriel e Marcelo Fernandes.

      Afinal de contas, com Enderson no comando o Gabriel foi artilheiro da temporada no Santos. Pior que um problema de disciplina é um problema técnico. Hoje é isso que o Marcelo Fernandes está trazendo pra o Santos.
      Olhe as substituições, e veja que apenas o Elano é aproveitado e no banco está Thiago Maia e Leandrinho… o Gabriel, mesmo em jogos menores não entra. A verdade é que o Marcelo Fernandes é um paneleiro e não um técnico.

      • Zico

        Maximus , pode não ter parecido mas foi uma pergunta… kkkk Pelo que sei , a diretoria ou os empresários interferiram ou tentaram interferir na escalação do Gabriel. Não acompanho a fundo o Santos , mas parece que sua demissão foi em (muita) parte por isso!

        • Maximus Voreno

          Vdd Zico,
          Esse tema surgiu no Santos sim… mas de qualquer forma, ele (Gabriel) jogou e foi reativamente bem. O que não pode é deixar de colocar ele, para colocar um tal de Nilson, um Elano, ou outro fim de carreira qualquer.
          Senão… pra que investir na base?
          E olha que estou falando do Santos… time que mais investe na base… se lá está assim, como deve estar no Corinthians?

          Exemplo: Não acho o Malcon pior que o Mendoza.

          • Robson Pacheco

            Maximus meu parceiro e Zico, penso o seguinte a respeito da base, jogadores jovens devem ser secalados aos poucos, com o time principal (não com o time C que vai disputar um amistoso contra o Sabuguense) e na boa, não quando a água bate na bunda. A não ser que o moleque seja totalmente fora da curva (caso recente NEYMAR e SÓ), não dá pra comparar o que fazem no sub qualquer coisa. A compleição física de um moleque de 17, 18 anos é muito diferente da de um cara de 28, 30.
            Mas fora o Santos, a imensa maioria dos clubes recorre à molecada pra apagar incêndios.
            Tem ainda a questão da paciência da torcida com eles, que serão como gente grande se por acaso forem responsáveis por uma derrota pra um rival, mesmo sendo só meninos. Imaginem por exemplo, no caso da invasão so CT do Corinthians ano passado, se em vez do Guerrero, os caras agridem ou ameaçam um garoto.
            Fora isso, tem também a questão técnica, nem todo garoto que manda muito na base mantém a performance no time principal, na verdade é uma minoria.
            Também entendo que o futuro dos clubes passa pelo aproveitamento da base, mas isso tem que ser feito com muito critério.
            Aliás, diferente de anos anteriores, acho esse time do Corinthians da Copinha desse ano muito bom, o Cassini e o Marciel deveriam estar com os profissionais, mas provavelmente veremos com ele o mesmo que aconteceu com o Marquinhos, infelizmente.

          • janca

            Claro que tem que ser feita com critério a utilização dos jogadores da base entre os profissionais, mas os dois departamentos têm de ser integrados. Se não os atletas da base não serão utilizados nunca e acabam indo logo para a Europa. Muitos técnicos nem sabem o que têm à disposição nas categorias menores.

  • Maximus Voreno

    Utilizar a base é uma arte.
    Não é fácil corrigir os problemas de fundamentos que os jogadores trazem da base.
    Não é fácil corrigir os problemas de posicionamento dos jogadores jovens.
    Não é fácil administrar os problemas comportamentais.
    Mas todos esses problemas são menores que administrar um salário de 450 mil como é o do Valdívia, lembrando que esse não joga.
    É melhor que administrar um jogador velho com pensamento infantil, como é o caso do Sheik.
    É melhor que administrar um jogador que já sabemos o que pode dar, como é o caso do Damião, para um jogador que podemos apostar e ter frutos melhores como é o caso do Gabriel.

    Lendo essa matéria, vejo que os problemas maiores estão nos técnicos.
    Aquele papo do Muricy de que “aqui é trabalho”, acredito até que seja verdade, pois vejo o Muricy como um homem sério. Mas será que o trabalho dele, está correto?
    Apostou demais em medalhões e qual legado ele deixou nessa ultima passagem pelo São Paulo?
    Veja o Luxemburgo, novamente expulso do Flamengo. Lembro dele sendo técnico do Robinho e corrigindo os problemas que o Pedalada tinha de finalização. Por que o Luxa não continuou nesse caminho? o caminho de um verdadeiro “Pofexô”.

    E por que esse caminho dá trabalho… e um trabalho que poucos sabem fazer.
    Será que o Tite, não quer trabalhar com os jovens, ou é por que ele não sabe trabalhar? Kd o treinamento que ele foi fazer na europa?

    • Não tirando a culpa dos treinadores, eu realmente acho que vc está certo nas suas colocações, mas definitivamente tem mais coisa aí.

      Primeiro que torcedor não tem muita paciência com a base comparado com medalhão. To cansado de ouvir falar que Vagner Love tá um lixo mas o cara sabe jogar que é só ter paciência.
      Como pode quando um time entra num viés de queda, num jogo contra um chamado “menor”, não experimentar a molecada.
      Se o técnico não conhece, como parece ser o caso do Tite, ELE já começou errado e é culpado por isso. Minha opinião é de que um técnico que não aproveita minimamente a base não está fazendo seu trabalho à contento. E isso pq gosto do Tite.

      Mas tem N fatores envolvidos incluíndo a influência velada que, dizem as más linguas, os clubes sofrem para escalar os atletas do empresário X e Y. Isso eu acredito piamente, vide passagens de Mano Menezes em qualquer clube.
      E vamos envenenando mais e mais nosso futebol.

      • Maximus Voreno

        Felipe… você tem razão. Tem muito mais coisa ai.
        Na verdade é uma série de fatores. O técnico tem grande parcela de culpa, e no final das contas ele que deve ter a responsabilidade final.
        Claro que a torcida as vezes não tem essa paciência, mas é ela que sofre no final.
        Alguém aqui, acha que o Leandro Banana pode dar em alguma coisa? Eu acho que não
        Alguém acha que o Gabriel Jesus pode dar em alguma coisa? Eu acho que até pode… é certeza? Não sei, mas há uma esperança pelo menos. Coisa que no caso do Leandro, nem isso tem.

        É isso que quero dizer.

        Cabe ao técnico aguentar essa pressão e administrar a situação. Afinal de contas eles são pagos, para administrar os recursos que tem (Elenco) ou não são?

        Obs: Muito bem pago por sinal.

    • Zico

      Tudo que você disse , é a pura verdade . Mas aí cabe a diretoria ser profissional. Ter psicólogo , ter pedagogos enfim toda uma estrutura para acompanhar os garotos. Aliado a isso , ter uma política de base , que favoreça a formação e não os resultados. É claro que crescer vencendo campeonatos é bom , porém é melhor chegar ao profissional sendo um atacante que saiba chutar com os 2 pés . Um goleiro que saiba sair do gol e saiba fazer uma cobertura quando preciso.
      O trabalho na base tem que ser em conjunto.

      • Maximus Voreno

        Sem dúvida Zico… uma politica que favoreça à base.

        Não vi sentido nenhum quando o Santos contratou o Leandro Damião. Um jogador que estava em baixa, sem nenhuma identificação com o clube bem na época que o Gabriel e o Diego Cardozo estavam subindo. Isso é coisa que se faça?

        Hoje, os clubes se arrebentam, pela incompetência de seus diretores, somadas a incapacidade de seus técnicos.

  • vuvu

    Janca, esta certo o Corinthians recorrer a base, alias todos os clubes vao ter que fazer isso se quiserem sobreviver a atual crise, o grande problema é que a categoria de base dos clubes de uns anos para cá é cada vez mais raro aparecer pelo menos um jogador bom quanto mais um craque, penso que isso tem muito a ver com a vázea, que éra uma verdadeira fábrica de talentos e que com crescimento urbano voce nao ve mais nenhum campo de futebol de verdade, a nao ser quadras de futebol de salao e outras modalidades, e essa escasses parece um processo irrerversível a menos que o Estado entre na jogada com a construçao de Centro de Treinamento de várias modalidades. Uma coisa legal que vi no Japao quando estive lá a trabalho é que cada escola possui um campo de futebol que serve também para beisebol e todos os dias os alunos praticam esse esporte e hoje tem até japones jogando na Europa.

MaisRecentes

Contas corintianas



Continue Lendo

Timão em 2018



Continue Lendo

Verdão aflito



Continue Lendo