E o Timão, hein?



Assim como havia feito em Assunção, o Corinthians não jogou nada novamente e caiu diante do Guarani do Paraguai, deixando a Libertadores nas oitavas de final.

Pífia a atuação do time de Tite, que no primeiro tempo teve apenas uma grande chance de gol.

Na etapa final a situação piorou. Sem equilíbrio emocional, os paulistas tiveram dois jogadores expulsos, Fábio Santos e Jadson, acabaram o jogo com nove e chegaram a levar olé dos paraguaios nos últimos 15 minutos. Paraguaios que souberam se defender e tocavam bem a bola, sem apelar para a violência. E no finalzinho ainda marcaram o seu, vitória merecida, merecida.

Difícil de entender foi a postura do Corinthians, que alguns, semanas atrás, comparavam à Seleção de 1982, ao Milan do início dos anos 90 ou até ao Barcelona ou o Bayern de Munique. Menos, menos.

Tanto no Paraguai quanto em sua arena, a equipe foi muito mal. Parecia morta em campo, sem alternativas, sem jogadas de ataque, apática…

E não dá pra reclamar de cansaço. Teve duas semanas para se preparar para o jogo de ida e uma para a partida de volta, inclusive porque Tite poupou seus principais jogadores na estreia do Brasileirão.

O técnico e seus comandados têm muito a explicar. E a direção, que não consegue pagar o elenco em dia, também.

De bom o Internacional, de Diego Aguirre, que tem jogado muita bola e avançou com brilhantismo para as quartas de final da Libertadores. Porque o São Paulo, que caiu diante do Cruzeiro, não merecia mesmo seguir adiante e para o Galo dessa vez não deu.



MaisRecentes

Lucas Lima abalado



Continue Lendo

Rodriguinho fora?



Continue Lendo

A aposta do Santos



Continue Lendo