São Paulo rachado



Na avaliação da diretoria são-paulina a principal missão do futuro treinador do clube será unir o elenco, que há tempos não fala a mesma língua.

Os jogadores estariam rachados e com problemas no vestiário que Muricy Ramalho não conseguiu resolver.

Como o treinador, que deixou o cargo ontem alegando problemas de saúde, não conseguiu formar um time titular e mudava a escalação jogo após jogo, os atletas não se acertavam e reclamavam das indefinições da comissão técnica e da opção por A ou B.

Paulo Henrique Ganso e Alexandre Pato eram dois dos mais irritados com Muricy e o poder de Rogério Ceni junto ao técnico também incomodava parte do elenco, principalmente os mais veteranos. Até o fato de sempre querer bater pênaltis e faltas começou a ser contestado no Morumbi.

Muricy, além dos problemas de saúde que enfrenta há algum tempo, estava cansado das cobranças da torcida e da diretoria, com a qual não tinha a mesma sintonia da anterior. Sua relação com Carlos Miguel Aidar nunca foi das melhores e o treinador sentia falta do convívio com Juvenal Juvêncio, que ano passado acabou rompendo com o atual presidente são-paulino.

Seja como for, com Muricy no comando o Tricolor não tinha sequer um esboço de esquema tático, tocava muito a bola para a lateral, defendia mal, chegava capengando ao ataque e não marcou um gol em clássicos em 2015, perdendo três jogos e empatando um.

Ainda acho que se classifica na Libertadores, mas tem que jogar muito mais do que apresentou até aqui. Elenco pra isso o São Paulo tem. Vamos ver se sem Muricy a coisa anda melhor, mas os jogadores precisam querer e não ficar com briguinha aqui e acolá como vem acontecendo desde o início do ano.

Viajo amanhã a trabalho e segunda, dia 13, volto a postar. Até lá, dentro do possível, sigo respondendo os comentários de vocês. Bom restante de semana a todos, João



MaisRecentes

Tite questionado



Continue Lendo

A falta de um líder



Continue Lendo

Haja coração!!!



Continue Lendo