Aidar e Muricy



Carlos Miguel Aidar deve ficar mais próximo do departamento de futebol e tirar um pouco do poder de Ataíde Gil Guerreiro, que vinha mandando e desmandando no setor.

Apesar de oficialmente ainda dizer que no futebol quem manda é Ataíde, o dirigente quer se aproximar de Muricy Ramalho, que se sente inseguro no comando mesmo tendo a garantia de que fica no cargo até o final do ano, para entender melhor o que se passa com o Tricolor em campo.

Aidar cogita mexer no departamento e pode afastar Rubens Moreno, que ocupa a direção de futebol, em caso de novo fiasco na primeira fase da Libertadores. Gustavo Oliveira, gerente de futebol, embora tenha sido trazido por Juvenal Juvêncio deve continuar mais um pouco, pelo menos até maio, embora possa mudar de função e se dedicar mais a contratos de atletas, afastando-se um pouco mais do treinador e do elenco. Mas dificilmente fica até junho/julho. Milton Cruz, auxiliar-técnico, tampouco está garantido na função e pode ser convidado para trabalhar na base.

Enquanto o time não se acerta e segue sem vencer clássicos na temporada, com empate contra o Santos e derrotas para Palmeiras e Corinthians, sendo duas só para o Timão, além de não ter feito gol nesses quatro jogos e tomado seis, o grupo de Juvenal Juvêncio segue detonando a administração Aidar. E reclamando que ele precisa explorar melhor a base, que tem sido pouco aproveitada por Muricy.

O clima ferve pelos lados do Morumbi, assim como ferve na Argentina, com um caos em Buenos Aires na véspera de San Lorenzo x São Paulo, jogo importantíssimo para os dois na Libertadores.



MaisRecentes

Elogios a Loss



Continue Lendo

Não vai ter Copa?



Continue Lendo

O escândalo de Platini



Continue Lendo