A renovação de Guerrero



Empresários de Guerrero, que negociam a renovação de contrato do atacante com o Corinthians, diminuíram o pedido de luvas diante da alta do dólar do início do ano. Em vez de US$ 7 milhões agora exigem US$ 6 milhões, ou seja, de pouco mais de R$ 21 milhões aceitam valor um pouco acima dos R$ 18 milhões.

O Corinthians, no entanto, mantém-se firme oferecendo luvas de US$ 4 milhões, acima de R$ 12 milhões, portanto, valor que a empresa que representa o peruano acha baixo.

O período de contrato, que seria de três anos, já havia sido acertado entre as partes, mas havendo redução das luvas também pode cair. De três iria para dois anos.

Já o salário está definido, passando de R$ 480 mil para R$ 500 mil mensais.

Caso as partes não cheguem a um consenso, o Timão tenta esticar o vínculo de Guerrero com o Corinthians até as finais da Libertadores, em 5 de agosto. O atual contrato termina em 15 de julho, quando acontece a primeira semifinal.

A diretoria do Timão insiste que o pedido do atacante é fora da realidade do clube e do futebol brasileiro e lembra que há atletas que têm aceitado redução salarial para renovar, já que a situação econômica do país está periclitante.

O peruano resolveu não se manifestar sobre o assunto e seus empresários, apesar da redução nas luvas, ainda veem um abismo entre o que o atleta aceita receber e o que o Corinthians está disposto a pagar.

Na Europa tiveram reunião com a direção da Internazionale de Milão, encontro que deve ser repetido na semana que vem.



MaisRecentes

Cadê os patetas?!?



Continue Lendo

Complô no Santos



Continue Lendo

O contrato de Felipe Melo



Continue Lendo