A volta de Citadini



Antônio Roque Citadini, que se lançou como candidato de oposição à presidência do Corinthians, quer mudar o grupo que cuida da arena do clube em Itaquera e especialmente da venda do direito de nomear o estádio.

Caso Citadini vença, Andrés Sanchez e sua turma devem ficar definitivamente afastados das negociações dos chamados “naming rights”. E a pedida, que inicialmente era de R$ 400 milhões por um período de 20 anos, deve cair.

Luís Paulo Rosenberg, que cuidou do marketing do Timão nos tempos de Andrés e agora apoia a candidatura de Citadini, deve cuidar não só da gestão da arena, formando um novo grupo para administra-la, como liderar iniciativas para vender os “naming rights” e começar a pagar as contas, que podem chegar a R$ 100 milhões só em 2015…

Do grupo de Rosenberg devem participar economistas, empresários e publicitários corintianos de renome, que trabalhariam para acertar receitas e despesas da arena e o marketing da arena, que não estaria sendo trabalhado como deveria.

Para Citadini, o Timão perdeu o tempo certo de vender os “naming rights”, que deveriam ter sido negociados antes da Copa e está pelo menos dois anos e meio atrasado na questão.

Com a economia em baixa e as empresas retraindo os investimentos, até mesmo o prazo do negócio, inicialmente previsto para 20 anos, deve ser flexibilizado, podendo sofrer redução drástica.

Nas categorias de base, Citadini diz que a meta é ter atletas 100% do Corinthians, acabando com a influência que considera nefasta (e com razão) dos empresários, por ele chamado de predadores.

Se vai ganhar ou não confesso que não sei, o Timão está muito dividido e Citadini ganhou apoio de Paulo Garcia recentemente, mas que está fazendo barulho, está. Inclusive porque a situação, que tem dois candidatos, Roberto de Andrade, apoiado pelo atual presidente Mário Gobbi, e Ilmar Schiavenato, está rachada. E Andrés, por mais que dizem que apoia Roberto de Andrade, tem dado seu apoio “em termos”. Em outras palavras apoia, mas não muito. Até porque sua relação com Gobbi não é das melhores.

Ah! Não custa lembrar, as eleições no Corinthians serão em 7 de fevereiro.



MaisRecentes

Nova caminhada



Continue Lendo

O desabafo de Cuca (ainda)



Continue Lendo

As críticas de Cuca



Continue Lendo