A briga pelo Esporte



O PCdoB anda muito descontente com a presidente Dilma. Insiste em manter o Ministério do Esporte, que está em suas mãos desde o governo Lula, apesar de uma série de escândalos que acabaram até derrubando um dos ocupantes da pasta.

Aldo Rebelo tinha, via PCdoB, a promessa de que continuaria a chefiar o ministério, tanto que não se afastou do mesmo para concorrer nas eleições. Nos últimos dias, porém, a pressão do PT para ter um nome seu no comando da pasta aumentou.

O nome do partido governista mais citado é o de Edinho Silva, que o presidiu em São Paulo e atuou como tesoureiro.

Também foi cogitado Andrés Sanchez (PT-SP), mas o ex-presidente do Corinthians deve mesmo ficar na Câmara.

Nos últimos dias, surgiu outro candidato à vaga. O ex-ministro da Pesca, Marcelo Crivella, candidato derrotado ao governo do Rio. E com apoio do prefeito Eduardo Paes e do governador Luiz Fernando Pezão, que o venceu nas últimas eleições. O Rio quer um nome do estado na direção do Esporte em período de Olimpíada no Brasil. Pode até ser que consiga.

Seja como for, não gosto de nenhum deles para o cargo, confesso aqui. Preferia um nome técnico. Uma Ana Moser, por exemplo, que faz excelente trabalho na área, principalmente quando o assunto é governança e inclusão social via prática esportiva. Mas parece que não tem chance nenhuma. Inclusive porque a ideia do governo Dilma é usar o ministério para conseguir apoio no Congresso. E aí, Crivella, com o crescimento do PRB, parece ter muito mais possibilidades. Como o próprio Aldo, que conta com a pressão do PCdoB. As nomeações infelizmente são políticas, não técnicas. E assim caminha o esporte brasileiro…



MaisRecentes

Nova caminhada



Continue Lendo

O desabafo de Cuca (ainda)



Continue Lendo

As críticas de Cuca



Continue Lendo