Felipão e a Globo



Galvão Bueno iniciou ontem movimento de reaproximação com Luiz Felipe Scolari.

O narrador da Rede Globo havia decidido, antes mesmo do início do amistoso de ontem, tecer elogios ao ex-técnico da Seleção, que o responsabiliza por sua demissão da Seleção Brasileira.

Felipão até hoje não engole o que Galvão fez com ele. Durante a Copa, o treinador aceitou participar de pelo menos três programas na Globo, abriu o centro de treinamento para a emissora (e outras também), atendeu a pedidos do narrador, mas depois dos 7 a 1 e especialmente dos 3 a 0 sofridos contra a Holanda, sentiu-se traído por Galvão e pela própria Globo.

Até hoje não se conforma com “editorial” do narrador após o fiasco na Copa acabando com seu trabalho e soube de sua demissão em plantão do “Fantástico”, quando tinha a palavra de Marco Polo Del Nero de que continuaria na Seleção, o que o deixou ainda mais indignado.

Depois do Mundial não teve contato nenhum com Galvão, mas agora começou o movimento de reaproximação e vamos ver aonde ele vai terminar.

Ontem, contra a Turquia, o narrador elogiou o trabalho do técnico no Grêmio, lembrou que os 7 a 1 não serão apagados jamais, mas a história do treinador tampouco. E colocou Casagrande na jogada para também tecer elogios a Felipão, que vem de vitória contra o Inter por sonoros 4 a 1.

Resta saber se o técnico, que a Globo gostaria de entrevistar para o “Fantástico”, vai amolecer e aceitar dar uma exclusiva a ela. Falando, inclusive, sobre o que se passou na Copa do Mundo. Tudo, porém, ele não poderá falar. Se não, sobrará para o próprio Galvão e para a emissora também…

Ah! As relações humanas não são fáceis. Definitivamente não são mesmo.



MaisRecentes

Briga por Alan Kardec



Continue Lendo

São Paulo em parafuso



Continue Lendo

Conversas com um jovem…



Continue Lendo