Eleições corintianas



Se o Brasil viveu uma semana importantíssima, com o país dividido e mobilizado, conhecendo ontem sua presidente por mais quatro anos, o Corinthians começa a focar na sua própria eleição, que acontece em fevereiro do ano que vem.

Ao contrário das anteriores, deve ser um pleito complicado e acirrado, pois os dois candidatos aparecem com chances.

Roberto de Andrade tem o apoio do atual presidente, Mario Gobbi e, pelo menos em tese, o do anterior, Andrés Sanchez, eleito deputado federal pelo PT-SP. Mas Paulo Garcia, candidato de oposição, contabiliza o apoio de um bom grupo de conselheiros vindos da situação. E espera mais.

Garcia conta que ajudou muito na campanha de Andrés a deputado e que o ex-presidente, que teve suas desavenças com a gestão de Gobbi, tem deixado livres seus mais fiéis conselheiros a votarem na oposição. Aposta nisso para se tornar presidente, focando sua campanha na situação financeira do clube, que não é das melhores, e na campanha do time em 2014, que também deixou a desejar.

Já o candidato da situação tem dito que detém a maioria dos votos e que a ideia é sacudir o futebol no ano que vem. Um nome forte para dirigir o Timão entre seus correligionários é o de Tite. E espera ainda trazer um atacante e um meio-campista de peso, a fim de melhorar o poder de criação do time e sua força ofensiva, que é pequena. O calcanhar de Aquiles, no entanto, será a parte financeira, que anda complicada com o clube gastando mais do que tem.

Outra situação a resolver é a do estádio, cujos naming rights eram para terem sido vendidos até fevereiro de 2012 e até agora nada.

Enfim, que a eleição transcorra bem, embora, a meu ver, o Corinthians deveria repensar o período de sua realização para pleitos futuros, já que dezembro e não fevereiro é um período mais apropriado, pois o segundo atrapalha a preparação do time para a nova temporada.

Para encerrar, já que tocamos em eleições, que a presidente Dilma Rousseff faça um segundo mandato melhor que o primeiro. Acho que tem condições para isso. E tem a obrigação de acenar para aqueles que não votarem nela numa campanha marcada pelo ódio de parte a parte.

Sei que muitos que votaram na oposição se sentem como após os 7 a 1 da Alemanha no Brasil, alguns bairros nobres foram dormir e começam a acordar de luto, mas quem votou na presidente teve seus motivos, que devem ser respeitados. Inclusive o trabalho voltado às classes menos favorecidas, um dos papéis do governo, aliás, e que não votaram por acaso na atual mandatária do país.

No esporte, área em que Dilma deixou a desejar no primeiro mandato, apesar do sucesso que acabou sendo a Copa do Mundo (mas a conta…), espero que haja mudanças e pressão para a CBF, o COB e os clubes mudarem sua forma de gestão. Inclusive porque as agremiações devem fortunas ao governo, o COB vive de recursos públicos e a CBF, cujo presidente apoiou a candidatura Aécio Neves, administra um dos maiores patrimônios nacionais como se fosse bem particular, dominado por um grupinho, quando não deveria ser assim.

E que o governo ajude e participe, nem que seja em discussões, também do trabalho de base, de formação de jogadores, porque ele é fundamental também para o processo de inclusão social que tanto defendo.

Enfim, boa sorte ao Brasil e um bom segundo mandato à presidente. Mais calma a todos os lados, mais diálogo, menos rancor. Como diria Luiz Felipe Scolari, vida que segue. E melhor, espero.



  • Charles

    Esse ano a eleição no VASCO já está quente!
    Deixa o Euricão voltar que essa farra de benefícios a dois times de maior torcida vai se acabar !

    VASCO quer os mesmo “BENEFÍCIOS” !

    • janca

      Mas a solução do Vasco não passa pelo Eurico… Como não passou pelo Dinamite, que fez uma gestão bem fraquinha e polêmica.

  • Hamateen

    Quem tem que ser responsabilizado pela copa são os Estados. Era para ser tudo certo, emprego, transporte e turismo. Mais, a turma levou o dinheiro e não quer pagar. Veja a cidade de Cuiabá, as obras não terminada….Culpa da Dilma, claro que não culpa da tal SECOPA que tem que prestar conta para onde foi o dinheiro e a qualidade das obras !!!

    • janca

      O governo federal também teve sua parcela de responsabilidade. E foi ele, na figura do Lula, que exigiu 12 sedes para a Copa. E a Dilma se vangloriou de ter realizado um grande Mundial como se fosse responsabilidade do governo federal. E era. Ao contrário do que você diz.

  • Ricardo

    Janca,

    Votarei nesta eleição em fev.2015, pois cheguei ao 5º ano como sócio do SCCP.

    Bom, a campanha dentro do Parque São Jorge já começou, segundo lá, tanto a situação (Roberto de Andrade) quanto a oposição (Paulo Garcia), estão “tecnicamente” empatados. Mas tem muita coisa para rolar, até porque em breve terá um debate e a questão principal será sempre o Andrés, dos dois lados (se isso ocorrerá pelo lado bom ou ruim, eu não sei).
    Bom nesse momento, gostaria da mudança, por isso que irei apoiar o Paulo Garcia.

    • janca

      Parece que o equilíbrio é muito grande mesmo. E o Andrés, pelo jeito, está com um pé em cada barco. Bom voto pra você, João

  • Tudo no Corinthians é muito estranho . A impressão que tenho é que não existe força política oposicionista no clube , ou então a mesma não possui facilidades junto a mídia . São tantas as denúncias de gestào temerária ( fraudes , inclusive ) , como : de dívidas camufladas , de repasse de direitos econômicos de jogadores da Base , de relatórios financeiros maquiados , de sonegações fiscais , de falta de transparência no Itaquerão , de comissionamentos suspeitos , enfim sào tantas as denúncias que se isso ocorresse em clubes como o Flamengo , Palmeiras , Vasco ou Santos o Corinthians viveria um verdadeiro inferno , e a mídia abriria muitos espaços para essas oposições . Acho , sinceramente , que existe uma rede de “generosidades” concedidas pela atual gestão que acalma os ânimos da oposiçào e da mídia . Janca , sei que vc fala o que pensa e não se omite de dar a sua opinião , mas hoje a imprensa esportiva é uma das instituições mais corrompidas da nossa sociedade .

    • janca

      Não acho, Silvio. Não acho que seja isenta, uma parte pode até ser corrompida mesmo, inclusive por benesses e propagandas oficiais, mas no caso do Corinthians de fato pouca coisa aparece. Talvez porque a oposição seja fraca (Andrés chegou a ser quase unanimidade), talvez porque a própria imprensa não vá tão a fundo em algumas questões e fique esperando denúncia de A ou B para publicar. Pode ser. O Santos, por exemplo, teve um racha político e muita coisa complicada apareceu. Inclusive na venda do Neymar. Abs. e ótima semana pra você, João

      • Raphael

        Andres foi unanimidade pelo bom trabalho que fez, não porque oposição é fraca.

        • janca

          Unanimidade não foi. Ninguém é. Nem Jesus Cristo foi, Raphael. Ainda mais depois de ter ido para a CBF servir de escudo para Ricardo Teixeira… Enfim, pode ter tido tremendo apoio, mas tinha oposição, mesmo que fraca, fraca, fraca. Boa semana, João

  • Mario

    agora a Dilma tem uma segunda conta para explodir q vai ser as Olimpiadas , sobre futebol o governo não quer mudanças , se quisesse mudanças seria facil , bastava chamar os clubes , mostrar a conta de impostos atrasados , sonegados , juros,punições criminais aos cartolas e falar :”paguem ou tirem os Marins e Del Neros da CBF e das federações transformando o futebol em algo serio”

    Bom sobre o Timão só espero q o proximo presidente seja quem for não cometa os mesmos erros q o Gobbi.

    • janca

      Infelizmente em relação ao futebol vejo o governo se mexendo pouco e mal. Mas com o Aécio não seria diferente. Tinha Romário em sua campanha, mas também tinha Marin.

MaisRecentes

Protestos à vista



Continue Lendo

Ajustes no São Paulo



Continue Lendo

Mattos em xeque



Continue Lendo