São Paulo x CBF



As relações entre São Paulo e CBF azedaram de vez, o que, segundo Juvenal Juvêncio, é um contrassenso de Carlos Miguel Aidar, que virou seu grande desafeto no Morumbi.

O clube quer cerca de R$ 10 milhões da confederação por jogadores cedidos na última década à Seleção e reclama por estar atuando desfalcado no Brasileiro devido aos dois jogos do Brasil na Ásia.

Ainda acusa a CBF de não organizar direito o campeonato, já que ela se esquecera, por exemplo, que no próximo dia 26 não poderemos ter jogos do Brasileirão pois há segundo turno das eleições. Para a entidade comandada por José Maria Marin o segundo turno (ou a chance de) inexistia…

O curioso, segundo Juvenal, é que o escritório de Aidar foi quem defendeu a CBF em ações na Justiça no primeiro semestre. E na hora de receber da entidade o atual presidente do São Paulo não via problema nenhum… Agora, porém, a história começa a mudar.

Assim como mudou com o próprio Juvenal, que se diz traído por Aidar, seu sucessor no Morumbi que o demitiu do comando das categorias de base.

Juvenal lembra que contratou o escritório do atual presidente para defender alteração no estatuto tricolor, que garantiu ao próprio Juvenal mais um mandato, hoje contestado e criticado por Aidar.

Correligionários do atual presidente sempre disseram não haver conflito de interesses na atuação do escritório de advocacia e em seu trabalho como mandatário do clube do Morumbi.

Se há ou não, não sei, mas que não dá para o São Paulo atribuir a derrota de ontem em Minas apenas à CBF e à Seleção, não dá.

Que a confederação é uma bagunça há tempos todos sabemos e que o time do Morumbi não foi o único a jogar desfalcado, não foi. O Atlético-MG, justamente por conta da Seleção, também estava sem seu principal atacante. E quantas vezes o Santos não ficou seu sua principal estrela por convocações em 2012? Mas como cada um pensa apenas no próprio umbigo…

O que não justifica, claro, que a CBF siga errando feio ao montar o calendário. Se joga a Seleção, times com atletas convocados não deveriam atuar. Nisso Muricy Ramalho tem razão.

Como tem razão Dunga ao reclamar de jogo no continente asiático, distante pacas e em campo com gramado em estado lamentável, numa poluição incrível.

Quem mandou a CBF terceirizar a negociação dos amistosos do Brasil? Vendeu a Seleção, deu no que deu. E, como dizem por aí e seguirão dizendo por um bom tempo, gol da Alemanha… Porque é ótimo vencer a Argentina, mas nada disso apaga nem cicatriza os 7 a 1. Reflexo que são da falta de gestão de nosso futebol.



MaisRecentes

Elogios a Felipão



Continue Lendo

Os rivais do São Paulo



Continue Lendo

O discurso de Tite



Continue Lendo