Naming rights do Timão



A direção corintiana, que durante a Copa evitava falar em prazos, agora espera concluir as negociações para vender o direito de nomear seu estádio em Itaquera nos próximos quatro meses. Com a participação de Andrés Sanchez, que deixou as tratativas de lado para se dedicar à sua candidatura a deputado federal pelo PT-SP.

Após o pleito de 5 de outubro e até o final do ano o ex-presidente deve retomar os contatos para vender os chamados “naming rights” da Arena Corinthians, que ele pretendia ter concluído em fevereiro de 2012, há mais de dois anos e meio, portanto.

Segundo a diretoria do clube em duas ocasiões ela esteve muito próxima de fechar acordo com um grupo dos Emirados Árabes, sem êxito, no entanto. Mas as conversas com os árabes continuam firmes.

Além delas a novidade é que, nas últimas semanas, o Corinthians sentou à mesa com outros três possíveis parceiros: um banco, uma fabricante de bebidas e uma empresa do ramo de alimentação, que não para de fazer campanhas publicitárias no Brasil e, pelos mais variados motivos, não sai da mídia.

O Timão espera que, passadas as eleições de outubro, um acordo fique mais fácil e tem usado como trunfo o fato de o estádio estar recebendo ótimo público depois da Copa, contrariando algumas previsões negativas, inclusive, confesso, as minhas.



MaisRecentes

A cabeça de Neymar



Continue Lendo

Crise no Peru



Continue Lendo

Coronel Nunes de fora



Continue Lendo