Não somos alemães



Já cansou o papo de que temos de copiar o modelo alemão, como se fosse o único que existisse e a solução para todas as mazelas de nosso futebol. Não é.

Fora que não é factível importarmos tudo o que a federação alemã fez para melhorar o futebol de seu país, já que vivemos em realidades totalmente diferentes.

Há dois dias um senhor veio comentar comigo que a Alemanha ganhou 103 vezes o prêmio Nobel, nós, zero. Como se, por conta disso, fosse impossível a vencermos no futebol. Não era. Tanto que Gana empatou com eles e ainda marcou dois gols e a Argélia por pouca não os elimina da Copa, levando o jogo até a prorrogação e dando-lhes tremendo sufoco no final.

Claro que o que a Alemanha fez a partir do momento em que soube que seria a sede da Copa de 2006 foi bárbaro. Estive lá e vi o legado esportivo que deixaram, com mais de 250 campos de treinamento e um trabalho de base de primeira.

Há muitos pais que atuam como voluntários e professores muito bem preparados que ganham mais de 10 mil reais mensais para ensinar a garotada, ajudar a formar cidadãos e achar novos talentos. Mas nossa realidade é outra. Mal temos professores, médicos e policiais para atuar em condições mínimas nos campos de educação, saúde e segurança pública.

Claro que temos de nos mexer e mudar a estrutura do nosso futebol. A começar pela CBF, uma entidade milionária e que nem consegue disponibilizar por internet para os dois times, árbitros e torcidas quem tem e quem não tem condição de jogo… E isso no principal campeonato do país, que anda jogado às traças.

Mas achar que devemos ser a Alemanha, não. Temos de continuar sendo o Brasil e conciliar nossas características (e qualidades, pois também as temos) com o que há de bom lá fora. E não só na Alemanha, não.

Mexamo-nos. A começar por rediscutir o modo de a CBF funcionar. Ela não pode continuar administrando a Seleção e o futebol brasileiro dessa maneira. A Seleção é um patrimônio público e não deveria ser tratado como propriedade de um pequeno grupo que não quer largar o osso. Governo e sociedade civil, quer queira a Fifa, quer não, têm de se mexer. E o mais rapidamente possível.



  • Dorival

    A saída está numa drástica transformação de mentalidade dos nossos cartolas (os dos clubes, das federações e da CBF), assim como de nossos treinadores.
    Há que se estabelecer um calendário decente, com sumária redução de jogos, espaço adequado para férias e pré-temporada. Além disso, que os clubes ofereçam garantia de tempo suficiente aos treinadores (brasileiros ou estrangeiros, não importa) para que possam desenvolver seu trabalho transformador.
    Treinadores que apresentem um organograma de treinamento de habilidades, planejamento, equipamentos e tecnologias para a preparação física – técnica e psicológica. Uso sistemático de estatísticas e tecnologias para o desenvolvimento do individuo.
    E, sobretudo, fazer uma verdadeira revolução nas categorias de base dos clubes, incentivando mais os jovens talentosos do que os brucutus em formação, salário descente para as categorias de base, a criatividade só pode ser desenvolvida quando os jogadores jovens têm liberdade para fazê-lo sem adultos gritando em seus ouvidos que é viadagem ser criativo.
    Por fim, jogar na lata de lixo da história esse amaldiçoado conceito do futebol de resultados, exigindo de todos – técnicos e jogadores – bons espetáculos, qualquer que seja o placar final, pois, trata-se de entretenimento, onde se perde jogando bonito ou feio.
    Quando me refiro ao atraso do futebol brasileiro, afora o primarismo de nossos cartolas em geral, sempre busco a palavra exata – conceito. Conceito de jogo, não esquema ou tática, que são outro departamento, embora correlatos.
    Tática é a opção imediata do treinador, de acordo com as circunstâncias de um jogo específico – o estilo dos jogadores de que dispõem naquele momento, as fraquezas e forças do adversário etc.
    Nesses dois aspectos, não há nada de novo sob o sol. O que se alterou ao longo das duas últimas décadas é o conceito de jogo.
    É a maneira como você encara a armação de sua equipe em relação ao objetivo, ao sentido do jogo. Se você acha que seus objetivo é vencer, jogando por meio de passes, sempre com a clara intenção de marcar gols. Ou, se você parte do princípio de que o mais importante é impedir que o adversário jogue, faça gols, e, na medida do possível, então, cumprida esta fase do plano, o seu time vai lá, e, pimba!. carimba o inimigo.
    A chamada escola brasileira de futebol encantou o mundo e conquistou o imaginário de europeus, asiáticos, africanos o’scambau, partindo do conceito (ainda que tenha sido inconsciente) de um jogo de passes, envolvimento, dribles, invenções e muitos gols.
    Os europeus, em geral, sobretudo ingleses e alemães, viam o futebol sob outra ótica, mais pragmática, mais objetiva: antes de tudo, marcar; e só atacar na boa, nem que fosse aos chutões, o que, para o brasileiro (para os argentinos também) era um anátema, uma heresia, um pecado.
    Há coisa de vinte anos, os polos começaram a se inverter até chegarmos ao oposto total hoje em dia: eles jogam como nós jogávamos; nós jogamos como eles jogavam.
    Tem tudo a ver, pois, quer queira, quer não, ele é o porta-bandeira dessa mudança, que instalou em nossos campos o chamado futebol de resultado, pragmático, aquele conceito de vencer a qualquer custo. Ora, como acabou fazendo nome e fortuna dirigindo clubes, sobretudo em torneios de tiro curto, quando o emocional muitas vezes supera o técnico e o tático, passou a ser um exemplo para todos os demais treinadores brasileiros, incensado pela mídia sem a devida formação e cobiçado pelos cartolas.

    • janca

      A mentalidade deles não muda. Nós, da sociedade civil, temos que exigir mudanças. A CBF não pode continuar como está. Não mesmo. É hora de dar um basta, porque por eles continua tudo como está.

  • Marcelo

    Bom Dia Janca!
    Voce não achou aquele jogo esquisito demais não?
    7×1 deu muito na cara.
    Eu sinceramente não acho não!
    Mas já está circulando na internet que o Brasil vendeu o jogo.
    Acreditar 100% não, mas desconfiar sempre!
    Abraço Janca!

    • janca

      De jeito nenhum. A Alemanha humilhou. E a hoje se a Holanda forçasse um pouco mais meteria cinco, seis no Brasil com facilidade.

  • HECK_BR

    DESCULPE JANCA.

    ONTEM POSTEI O QUE POSTEI NA EMOÇÃO. APÓS SABER COISAS QUE EU NÃO GOSTARIA DE SABER. NÃO DIREI QUE CONTOU. NÃO SEI SE É VERDADE TAMBÉM. MAS TEREMOS OUTRA COPA DO MUNDO EM BREVE. SIM, AQUI NO BRASIL. O QATAR NÃO SERÁ SEDE. ESCUTE O QUE LHE DIGO. ESTAMOS A BEIRA DE UM GOLPE DE ESTADO NOJENTO E ARTICULADO PELO PODER NACIONAL. CARA, CORPO E ALMA DE JOSÉ MARIA MARIN. OS JOGADORES NÃO QUERIAM QUE ACONTECESSE O QUE ACONTECEU. VENTILAM FELIPÃO AINDA PQ ELE FOI UMA MARIONETE DO PODER. PT, PSDB, CBF, FIFA FIZERAM UM GRANDE ACORDO. O SLOGAN DA COPA DE 2022 SERÁ QUE POUCOS AJUSTES SERÃO FEITOS PARA ATENDER AS EXIGÊNCIAS DA FIFA, QUE HÁ UM LEGADO DE 2014 E QUE AGORA É SÓ REALIZAR A COPA, SEM CONSTRUÇÕES. SERIA BEM VINDA PELO POVO IGNORANTE E O BRASIL AÍ SIM SERIA HEXA. COM ITÁLIA E OU ALEMANHA TETRA E ARGENTINA TRI. ANTES DE GANHAR A COPA, O BRASIL TERIA DE VER A APROXIMAÇÃO DE ARGENTINA E ALEMANHA. OS JOGADORES ENTREGARAM DE PROPÓSITO AQUELA PARTIDA. FOI DE PROPÓSITO 7 X 1. ELES QUERIAM QUE FOSSE VERGONHOSO, PARA O POVO DESCONFIAR. TERIAM QUE CHOCAR. POR ISSO O PAPO FURADO PÓS JOGO DE PARREIRA E FELIPÃO. VEJA NA ENTREVISTA DO NEYMAR. ELE NÃO CHORA. FORÇA O CHORO, MAS NÃO CHORA. CADÊ A TATUAGEM NO BRAÇO DELE NA MACA EM FRENTE AO HOSPITAL? PQ O PANO NO ROSTO? NÃO ERA NEYMAR NA MACA. DIZEM QUE ELE SAIU DO ESTÁDIO 6 HORAS DEPOIS, CAMINHANDO. NÃO ACREDITEI. NÃO QUERIA. MUITO SOFRIDO PARA QUEM SOFREU TANTO PELA SELEÇÃO NESTA COPA, NO CASO EU. MAS FORAM TANTAS EVIDENCIAS DADAS QUE ME FORÇAM A ACREDITAR QUE NÃO SEJA MENTIRA.

    NÃO DUVIDO MAIS. NÃO TENHO CERTEZA DE MAIS NADA.

    • janca

      Outra Copa no Brasil? De jeito nenhum. Pelo menos não nas próximas duas, três décadas. De jeito nenhum mesmo.

      • HECK_BR

        AGUARDAREMOS.

  • robson

    Ah, eu tenho certeza de uma coisa sim:se acreditarmos nisso que vc acreditou, aí sim o Brasil não vai melhorar nunca, em nenhum aspecto não só no futebol.
    E escrever o texto inteiro em caixa alta também não vai convencer ninguém.

  • HECK_BR

    NÃO ESTOU TRISTE. ELES NOS MOSTRARAM A VERDADE NOVAMENTE. CABE A NÓS INVESTIGAR E APURAR. NÃO ME ILUDO MAIS.FOI MAIS QUE COMBINADO ESSES PLACARES. OS JOGADORES NÃO TEM CULPA. E CÁ ENTRE NÓS, UMA SEMANA ATRÁS O NEYMAR ESTAVA DE CAMA.FRATURA NA COLUNA PODE FICAR SENTADO 90 MINUTOS? ESPEREMOS AS COLETIVAS.

  • Esse papo de que o trabalho alemão faz a Seleção deles ir bem nessa Copa é besteira.

    Um time vai bem ou mal por causa de quem o técnico convoca. SOMENTE ISSO CAUSA O DIFERENCIAL.

    Se um técnico convoca jogadores em que a maioria dribla, sabe passar, sabe tocar e sabe dominar uma bola, um time chega longe em qualquer competição.

    Se um técnico convoca jogadores em que a maioria não sabe driblar, não sabe passar, não sabe dominar uma bola, esse time vai passar vergonha em qualquer competição de nível.

    O problema é que todas pessoas no futebol não sabem diferenciar jogador realmente bom, de jogador famoso(mas ruim).

    Raça, vontade, trabalho anterior, estrutura… isso não define quem ganha títulos.

    Ganha títulos quem possui uma grande quantidade de jogadores técnicos no time titular… essa é chave da vitória. E não basta possuir só um 1 craque e mais 2 grandes jogadores….

    No mínimo é bom ter uns 6 jogadores técnicos dentro de um time. Isso torna um time diferenciado e forte.

    Infelizmente o ser humano subestima fatores naturais e lógicos que levam a vitória e acham que podem controlar tudo somente através de raça, vontade ou trabalho.

    Vontade e trabalho com certeza são importantes, mas são certos fatores racionais que fazem toda a diferença!

    • janca

      Mas até aí quando Scolari convocou a lista era quase unanimidade. E ele mesmo era quase unanimidade. Temos que pensar nisso também e fazer uma autocrítica também, não acha?

      • Mas o problema esta na unanimidade!

        Como eu disse… a maioria das pessoas que acompanham futebol não sabem realmente o que faz um time funcionar.

        E eu nem estou criticando muito o Felipão, porque todos os técnicos são iguais, assim como a mídia e a torcida.

        As pessoas deveriam parar um pouco, pensar e analisar o que leva um time a vencer.

        Nos últimos anos eu tirei por base o meu time que é o São Paulo.
        Comecei a perceber que quando o São Paulo tinha atacantes como Muller, Amoroso e Dagoberto, o clube ganhou seus maiores títulos nos últimos 25 anos…. no caso todos esse atacantes sabiam dominar uma bola, passar e criar.

        Quando o São Paulo tinha volantes como Mineiro, Josué, Jean e Hernanes, o São Paulo ganhou seus maiores títulos…. no caso todos esse volantes sabiam dominar uma bola, passar e criar.

        A partir de 2009 quando o São Paulo começou a ter volantes brucutus e atacantes cones como Washington e Luis Fabiano, que não sabem dar um misero passe ou dominar uma bola, o time parou de ganhar títulos e começou a passar vergonha em decisões.

        Alias olha que interessante: O último título do São Paulo foi a Sulamericana…. por uma sorte incrível do destino, o Luis Fabiano foi expulso no primeiro jogo da final na Argentina e o ataque do São Paulo na final do Morumbi foi formado por Lucas e Osvaldo…. 2 jogadores de velocidade que sabem dominar uma bola e passar com precisão… em 45 minutos o São Paulo com 2 lindas jogadas e gols desses 2 jogadores acabou com a graça do Tigres.

        Quer um exemplo maior, olhe para Alemanha, Holanda e Brasil:

        Os volantes e atacantes da Alemanha e Holanda, sabem dominar e tocar a bola! Resultado? Acabaram com o Brasil….. já os volantes e os jogadores de frente do Brasil como Hulk e Fred são incapazes de dominar uma bola ou dar um passe de 2 metros. Perderam como qualquer outro time que tem excesso de cones no time titular!

        • janca

          Mas o problema do São Paulo não era apenas a questão de volantes brucutus e atacantes cones, como você os chama. Houve muitos problemas fora de campo também, uma baita crise política, Juvenal Juvêncio minando a oposição e defendendo mudança de estatuto para garantir um terceiro mandato, ingerência no futebol, brigas no departamento (de futebol), problemas com a base… A coisa é mais complexa e o buraco talvez seja mais embaixo.

      • Janca, quer um exemplo maior que tática e vontade não fazem muita diferença?

        Você deve conhecer bem o Muricy e sabe que ele tem um estilo mais de marcação e as vezes até de retranca.

        Pois bem o Muricy de 2006-2008 é o mesmo Muricy de agora…. o mesmo estilo.

        Mas sabe porque aquele Muricy de 2006-2008 é mais vitorioso do que o de agora?

        O Muricy de antes tinha um volante como o Hernanes, se a bola caísse no pé dele, ele colocava alguém na cara do gol e decidia o jogo. Hoje o São Paulo tem Souza que sob pressão erra passes.

        O Muricy de antes tinha um atacante como Dagoberto, se a bola caísse no pé dele, ele colocava alguém na cara do gol e decidia o jogo. Hoje se a bola cai no pé de Luis Fabiano ou Pato, eles tropeçam com ela no pé e dão contra-ataque pro time adversário.

        O mais bizarro é que muita gente acha que Luis Fabiano é melhor que Dagoberto, por exemplo…. e é exatamente por essas bizarrices que times fracassam.

        Só lembrando que a opção de manter jogadores limitados no time é do Muricy… assim como todos os outros técnicos fariam…Assim como Felipão fez nessa Seleção e todos concordaram! Os técnicos acham que o que deram títulos no passado foi o estilo de jogo implantado por eles próprios e não a qualidade técnica de alguns jogadores…. Esse é o erro fatal!!!!

        Por exemplo, o Felipão acha que a retranca/marcação é que fez ele ter sucesso no Grêmio e no Palmeiras. Mas na verdade ele usava uma retranca com jogadores qualificados…. A parte dos jogadores qualificados é que fez a diferença.

        O mesmo caso de Telê Santana…. ele não ganhou tudo porque colocava o time pra frente.
        Ele ganhou tudo porque colocava o time pra frente com JOGADORES QUALIFICADOS.

        As pessoas até hoje acham que é a tática de colocar um time pra frente e para trás ou de motivar, que vai fazer a diferença dentro de campo. Isso é um erro.

        O que faz a diferença é saber escolher com sabedoria cada titular do seu time.

        Imagina você montar uma Ferrari com peças de Fusca e treinar esse carro pra ser um Ferrari. Esse carro nunca será uma Ferrari com peças inferiores! Isso é ilógico!

        Imagina pegar cones como Hulk, Fred, Pato e Luis Fabiano e treinar muito pra eles jogarem e tabelarem em velocidade. Você pode treinar eles durante mil anos que você nunca conseguirá isso!
        Pois o natural deles é ficar parados e não saberem tocar ou dominar a bola sob marcação forte.

        Se você quer formar um time forte, rápido e vencedor, você precisa selecionar jogadores que sejam naturalmente rápidos e com domíno de bola. Esse é o segredo máximo de qualquer jogo em equipe!

        O ser humano insiste em tentar superar tudo na base somente da marra, quando o caminho da sabedoria trás resultados ilimitados.

        • janca

          Tática e motivação também fazem a diferença. Saber trabalhar um grupo é outro item importante. Futebol não é uma coisa só, é um conjunto de fatores. Entre os quais a parte física, emocional, técnica, tática e também fatores como orçamento, condições de treinamento e tantas e tantas mais. E até sorte e acaso, que fazem parte do jogo.

          • Sim esses fatores auxiliam, mas o motor que faz um time vencer com autoridade sempre é a técnica.

            No fundo, todos nós já sabemos quando nosso time vai vencer um campeonato ou não.
            Eu olho a escalação do meu time nos últimos tempos, vejo a qualidade de cada jogador e praticamente já sei se o meu time vai vencer um campeonato ou não.

            Ultimamente eu só acompanho meu time por paixão, sabendo que na fase aguda de qualquer campeonato, vai ser eliminado…. justamente porque é pobre tecnicamente na escalação… e é o que sempre tem acontecido.

            Alias quando eu comecei a ver os jogos do Brasil na Copa e vi Hulk e Fred na frente, me lembrei do São Paulo jogando com Luis Fabiano e Pato…. e times assim sempre tem o mesmo roteiro:

            Sofrem pra ganhar de times medianos nas fases iniciais, nunca convencem e nas fases finais passam vergonha.

            Muitas pessoas falam que futebol não tem lógica:
            Mas eu nunca me lembro de ver um time time ganhar algo com atacantes cones como Hulk-Fred ou Pato-Luís Fabiano jogando juntos. Ter um deles já é horrível, imagina ter dois!

            A maioria dos grandes times que vencem tudo, sempre tem atacantes com características de meia e pelo menos 1 volante que sabe jogar muito bem. Nunca vi time marcante ou vencedor jogar com cones na frente.

          • janca

            Claro que técnica é requisito básico, mas insisto que só ela não é garantia de vitória.

  • Outra coisa… muita gente imagina que o segredo de treinadores como Telê Santana e Pep Guardiola era/é treinar um time para tocar a bola e jogar no ataque.

    Mas isso é besteira! O segredo desses treinadores é selecionar a dedo jogadores qualificados tecnicamente.

    Esses jogadores qualificados tecnicamente, reunidos em um mesmo time, AUTOMATICAMENTE fazem o time ter muito toque de bola e qualidade no ataque. Esse é o segredo!

    Não é tática ou treino que forma um time forte….. é a seleção criteriosa dos 11 titulares que faz isso!

    Infelizmente 99% das pessoas que acompanham ou vivem de futebol, não compreendem isso.

    Muitos selecionam peças de um Fusca e acham que com treinamento e raça vão produzir uma Ferrari.

    Mas para se fazer uma Ferrari é necessário ter peças de uma Ferrari.

    Isso é um fato lógico!

    Infelizmente no futebol e na maioria dos jogos em equipe, as pessoas deixam essa logica de lado e só investem em motivação.

  • Camara

    Desculpe, esta seleção estava toda errada.
    Desde o começo 2010 até este jogo contra a Holanda.
    Chamaram o Muricy e ele não aceitou, porque não deram garantias a ele que ficasse até
    2014.
    Aí chamaram o Mano e ele aceitou e acreditou em tudo que falaram para
    ele, coitado, caiu no conto da cbf.
    Ai veio o Felipão e junto o Parreira (antiquado), recebendo 1 milhão de salários.
    Sem nenhum jogador catimbeiro convocado e só jogador sem experiência.
    Acharam que seria fácil como foi a copa das confederações.
    Vocês acham se tivesse um jogador experiente, aquele que fala o deve e chega junto
    nestes jogadores pula pula como o Robben. Com estes juízes deixando a pancada
    comer solta, eles iriam tomar conta do jogo e pronto.
    Tinha que ter um zagueiro zagueiro, aquele que chega junto e espana e o melhor
    não chora e daria logo um chega pra lá nestes chorões.

MaisRecentes

Santos em SP



Continue Lendo

Fuga de patrocínio



Continue Lendo

Verdão vai às compras



Continue Lendo