Por um bom jogo



Escrevo antes da partida decisiva de logo mais contra a Colômbia, claro. E com uma questão em mente. A pressão sobre a Seleção Brasileira tem sido grande justamente porque até agora o time não fez um bom jogo na Copa, uma partida que pudéssemos lembrar com gosto, ou seja, ainda deve uma bela atuação.

Quando Luiz Felipe Scolari e Carlos Alberto Parreira insistem no discurso de que estamos com uma mão na taça e que a única coisa que interessa é isso, ganhar ou ganhar, acabamos nos distanciando da essência do futebol brasileiro. Que até deve jogar por prosa, mas não pode se esquecer da poesia.

Houve grandes seleções na história que não foram campeãs e até hoje fazem parte do imaginário popular, como a Hungria em 1954, a Holanda em 74 e o Brasil (de Telê Santana) em 82, sem falar no mesmo Brasil em 50. Foram equipes que fizeram jogos que são sempre lembrados, pois tiveram atuações históricas.

Nessa Copa ainda precisamos de um grande jogo, pelo menos um. É por isso que estamos devendo. E sendo cobrados.

A Argentina, que não vence Mundial desde 1986, adotou um futebol pragmático e também está devendo, é outra que está na base do vencer ou vencer, mas outras seleções, não.

A Alemanha tem na bagagem (e terá pra sempre) os 4 a 0 em Portugal, a França, os 5 a 2 na Suíça, a Colômbia, os 2 a 0 no Uruguai, a Holanda, os 5 a 1 na Espanha, e Costa Rica e Bélgica festejam, assim como os colombianos, o fato de estarem nas quartas.  Os costa-riquenhos tendo despachado dois campeões mundiais no chamado grupo da morte, a Bélgica com quatro vitórias até aqui, uma delas na prorrogação, após ter dado tremendo sufoco nos Estados Unidos.

Que hoje, contra a Colômbia, um time mais solto, que joga e normalmente deixa jogar, nosso futebol finalmente apareça.

Que ganhemos e convencemos, pois só assim entraremos mais soltos nas semifinais. Pelo menos um bom jogo a Seleção deve a seu torcedor. Um jogo que, infelizmente, não vimos nas quatro primeiras partidas e espero sinceramente ver logo mais.



  • Mario

    Eu não gosto do Parreira , acredito que é um dos grandes responsáveis pelo fraco futebol nacional dos clubes e de tecnicos de ponta q o imitam , mas concordo com ele , mesmo com futebol fraco , a seleção Brasileira tem uma mão na taça , só não tem 2 por culpa dos jogadores e treinador que deram uma tremida na base ate agora.

    hj tem q ganhar bem e adquirir confiança para enfrentar Alemanha ou França senão …….

    • janca

      É difícil dizer, nesse momento, quem está com uma mão na taça, pois como colocou o próprio Felipão há grandes jogos, mas grandes sufocos e times nivelados, como Alemanha, França, Brasil, Argentina, Holanda… A Colômbia jogou mais que a gente até aqui, mas acho que hoje o Brasil finalmente joga um bom futebol e passa para as semifinais com uma boa atuação, boa atuação que até agora, em quatro jogos, não vimos, Mario.

  • Victor Dunstan

    Fala Janca…o jogo de hoje torço para a colombia jogar bem,dar um sufoco daqueles no meio de campo do brasil,felipão ja se arrependeu ,pudesse até trocaria…tomara que não tenha choro do tiago silva,pq com Miranda tem essa de ficar choramingando não!! Era ele quem deveria ser o xerife na zaga!!

    • janca

      A Seleção está jogando muito. Parece que finalmente se soltou…

  • Zico

    Se a safra de jogadores é fraca imagine de treinadores. Alguns anos atrás o Muricy era quase unanimidade , hoje eu mesmo penso que não é uma boa. O próprio Marcelo Oliveira quando pressionado coloca o time na retranca.. Os treinadores reclamam mas eles mesmos não estão convictos de qual tática utilizar.
    Sinceramente não vejo dificuldade de treinar os jogadores. O Zico não acompanhava o ´´ala“. O Reinaldo não voltava até a cabeça da área pra marcar.. Cafu (que não era excelente ) atacava e marcava.. Os tempos eram outros , mas se treinar cada um dentro de suas características o futebol melhora.
    Tudo bem , que citei Zico, Reinaldo mas dá pra fazer!!!

    • janca

      Não acho que a safra de jogadores seja ruim. Acho muito boa. A de treinadores sim é fraca.

MaisRecentes

Pela saída de Levir



Continue Lendo

Apoio a Jô



Continue Lendo

Os preços da Seleção



Continue Lendo