Se fosse o Brasil…



Não, não acho que a Seleção esteja jogando bem, nem o Felipão acha isso, mas se fosse o Brasil a eliminar a Nigéria nos instantes finais, depois de passar sufoco, como a França, ou ganhar da Argélia na prorrogação, caso da Alemanha, ou superar a Suíça nos instantes finais e também na prorrogação, como a Argentina, o que estariam dizendo?

E os argentinos também foram salvos pela trave no finalzinho como aconteceu conosco.

Está certo que os favoritos passaram, Holanda, França, Alemanha e agora Argentina, mas nós também, aos trancos e barrancos, estamos nas quartas de final.

Fica difícil apontar quem tem mais condições de ganhar o Mundial, nessa altura do campeonato, embora ainda ache que Holanda e Argentina têm tudo para fazer uma semifinal e o Brasil a outra, não sei se contra franceses ou alemães, embora tenda a achar que contra os últimos.

Enfim, uma Copa emocionante pacas, com muito jogão, muita surpresa, muito sufoco, mas podemos ter quatro gigantes nas semifinais. E aí fica difícil qualquer prognóstico, não?



  • Zico

    Tirando a Colômbia que é claramente a melhor seleção , todos passaram sufoco.
    Apesar da França ter tido um inicio difícil , teve as melhores chances no jogo e com um certo domínio. Alemanha foi um caso a parte.. o goleiro pegou quase tudo. Holanda assim como o Brasil teve os melhores adversários mas a Holanda não passou grandes sustos como o Brasil.
    Agora vi o jogo da Argentina , contra uma Suíça limitada , que jogou pra frente e teve no inicio uma chance clara de gol . Confirmo o que tinha dito antes : não chega a final ! O Brasil por mais limitado que seja , bem escalado com as peças certas é melhor que a Argentina que depende de Messi e Di Maria. Só.

    • janca

      E a Bélgica também precisou da prorrogação pra passar pelos Estados Unidos.

  • Jean Eudes

    Janca, boa tarde!
    Estava pensando nisso agora, todo mundo passou no sufoco com excessão da nossa adversária, uma seleção que achei que iria passar fácil, inclusive achei que golearia ontem era a Alemanha, mas tbm não teve sossego… To achando que estamos muito exigentes com o time do Brasil, ta certo que não temos meio de criação nenhum e entre Fred e o Jô eu fico com um espantalho que acho que assusta mais a zaga adversária, qdo na verdade tá difícil para todo mundo… Acho que chegamos lá, mas serão três jogos que como diria uma pessoa que quase ninguem gosta… HAJA CORAÇÃO AMIGO.

    • janca

      Não acho que estejamos sendo muito exigentes, Jean, se bem que, como disse, tivéssemos passado o sufoco de Alemanha, França ou Argentina também estaríamos criticando o time. Está uma Copa complicada. O que acontece, a meu ver, é que as outras seleções, como Alemanha, França ou Holanda, pelo menos tiveram jogos pra entrar na história. A primeira nos 4 a 0 diante de Portugal, a segunda nos 5 a 2 diante da Suíça e a terceira metendo 5 a 1 na Espanha. Nós não fomos bem em nenhum dos quatro jogos. Podemos render mais. Quem sabe isso não aconteça sexta, diante da Colômbia?

  • WAGNER

    FOI MUITO FELIZ NO TEXTO. MAS EXIGIMOS PORQUÊ SABEMOS QUE PODEMOS MAIS. O ANO PASSADO NA COPA DAS CONFEDERAÇÕES MOSTROU ISSO. SE ARREDONDAR… MAS PRIMEIRO A COLÔMBIA E NOSSOS FANTASMAS.

  • t.

    janca,

    a colômbia foi a única seleção que ganhou com tranquilidade o seu jogo, é certo. no entanto, se as outras passaram sufoco, ao menos apresentaram alguma organização tática, alternativas, variações e entrega. ou seja, justamente o contrário da seleção brasileira. somado a isso, à exceção desta também, em nenhuma outra os jogadores entraram em prantos desesperados. e olha que a bélgica é formada por uma seleção bem jovem. nem as que saíram derrotadas.

    contudo, o mais legal foi reparar que as seleções que se prepararam, de maneira, para jogar em contra-ataques, perderam, pois em algum momento levaram o gol e quando quiseram sair, já era tarde.

    • janca

      Você tem razão na sua análise. Pelo menos vi os jogos das oitavas assim também. As demais seleções apresentavam alguma organização tática, o que não aconteceu com o Brasil. Mesmo a Argentina, que não tem jogado bom futebol, alguma organização tinha, ao contrário do que aconteceu no primeiro jogo, diante da Bósnia, e em momentos do segundo, contra o Irã.

MaisRecentes

Pela saída de Levir



Continue Lendo

Apoio a Jô



Continue Lendo

Os preços da Seleção



Continue Lendo