Marin apoia Aécio



O presidente da CBF, José Maria Marin, ficou satisfeito com a decisão de seu partido, o PTB, que optou por abandonar a base de Dilma Rousseff e entrar de cabeça na campanha de Aécio Neves, do PSDB.

Marin ficou muito descontente com a presidente da República, que deixou claro que não queria vê-lo por perto no jogo de abertura da Copa entre Brasil x Croácia.

A interlocutores, tem dito que já não aguentava mais as cortadas de Dilma e que se sente muito mais confortável ao lado de Aécio.

Caso o Brasil seja campeão, o dirigente pretende ajudar de todas as formas a campanha do PSDB à presidência da República. Se perder, no entanto, deve ficar na moita e pode até antecipar sua saída da direção da CBF, passando o bastão para Marco Polo Del Nero.

Sobre a Seleção, apesar de dizer publicamente que confia em Luiz Felipe Scolari e na sua comissão técnica e que o Brasil fez dois grandes jogos até aqui, está preocupado com o desempenho inicial na Copa.

Espera que amanhã, diante de Camarões, a história comece a mudar e o time passe a resgatar aquele futebol da Copa das Confederações.

Segundo Marin, se a Seleção ganhar o Mundial ele será colocado no céu. Se perder, porém, acha que será o inferno e complicado, por uns tempos, até sair de casa. A conferir.



MaisRecentes

A matemática do futebol



Continue Lendo

A melhor do mundo



Continue Lendo

Aprender a perder



Continue Lendo