Favoritaço?



Antes de a Copa começar, quando me perguntavam qual país considerava favorito, dizia o Brasil. Continuo dizendo, mas longe de ser “favoritaço”, como insistiam alguns.

Dá perfeitamente pra vislumbrar uma eliminação nas oitavas de final, porque o Mundial tem seleções fortíssimas, fortíssimas. A primeira rodada do torneio mostrou isso. Holanda e Alemanha que o digam.

Mesmo uma Espanha, que pode ser nossa rival nas oitavas de final, não pode ser descartada só porque levou de cinco na estreia. Ou o Chile, por estar longe de ter a mesma tradição que a gente no futebol.

Depois do empate diante do México imagino que quem dizia que o Brasil era “favoritaço” possa estar mudando de ideia. Porque não estamos apresentando o mesmo futebol da Copa das Confederações.

O México, em muitos momentos, deu um sufoco na Seleção Brasileira, que se saiu bem no sistema defensivo, ao contrário do jogo de estreia.

Pecamos, a meu ver, do meio-campo para a frente, sendo muitas vezes anulados pela marcação mexicana, embora Neymar tenha feito uma boa partida. Mas o goleiro do México foi sensacional. O melhor do jogo, penso eu.

Seja como for, temos muito a melhorar, mas por Camarões temos tudo para passar e passar bem. Ir avançando pouco a pouco e acertando os ponteiros. Time nós temos. Falta entrosa-lo e também começar a marcar a saída de bola do adversário.

Como disse Ronaldo, superstição só, referindo-se ao casaco que Felipão colocou no segundo tempo, apesar de todo o calor de Fortaleza, não ganha jogo. E não ganha mesmo.

Ah! E como não poderia deixar passar em branco, parabéns à torcida mexicana, que hoje deu um show no Ceará. Numerosa e festiva, fez mais barulho que a brasileira. Um espetáculo à parte.



MaisRecentes

O escândalo de Platini



Continue Lendo

Fernando Diniz na berlinda



Continue Lendo

Deuses da Bola



Continue Lendo