Fim do oba-oba?



A partir de amanhã, quando a Seleção se reapresentar para os últimos quatro dias de treino antes da estreia na Copa, a comissão técnica quer por um ponto final no clima de oba-oba que marcou as duas primeiras semanas em Teresópolis.

Patrocinadores e parceiros comerciais da CBF, que tiveram facilidades para se aproximar dos jogadores, inclusive em Goiânia e São Paulo, onde aconteceram os dois últimos amistosos, agora serão brecados.

A relação com a imprensa, que também teve certas regalias nas duas primeiras semanas, com alguns veículos de comunicação podendo fazer matérias exclusivas com determinados atletas e integrantes da comissão técnica, inclusive interrompendo um dos treinos do Brasil, seguirá parecida, embora sem os “privilégios” dos últimos dias.

Luiz Felipe Scolari quer, a partir de agora, o grupo focado apenas no Mundial, pois, como diz, serão cinco semanas para que todos entrem na história do país e do futebol brasileiro.

Acho que tem razão. É hora de deixar o oba-oba de lado e pensar nas sete partidas seguintes. Se é que o Brasil fará mesmo sete jogos, pois pra isso terá que chegar às semifinais, o que não é fácil. O caminho até a decisão é dos mais complicados, o que faria de uma eventual conquista brasileira algo épico.

Espero, sinceramente, que cheguemos lá. E acho que temos todas as condições de chegar, embora o futebol possa ser muito ingrato.



  • Mario

    um problema sera o os politicos querendo fotos com seleção para suas campanhas , não duvido nada q fila deles aonde a seleção passar sera grande …..

    • WAGNER

      CONCORDO MARIO. SOBRE O TEXTO ACIMA, ACHO QUE A SELEÇÃO CHEGA ATÉ A FINAL SE PASSAR DAS OITAVAS. O JOGO CHAVE SERÁ CONTRA ESPANHA, OU HOLANDA, OU ATÉ O CHILE. A FINAL É UM PARADIGMA. VENCE-LA, SÓ A HISTÓRIA E O DESENROLAR DO JOGO MOSTRARÁ SE TEMOS CONDIÇÕES OU NÃO. TEMOS UM FELIPE MELLO NO ELENCO QUE JOGA NA LATERAL ESQUERDA. SE ELE SE COMPORTAR, AÍ O CAMINHO TENDE A NOS DAR 70% DE CHANCES DE TÍTULO. 50% POR IGUALDADE NUMÉRICA, 10% POR CAPACIDADE TÉCNICA E OS ÚLTIMOS 10% POR TER TODA A TORCIDA FAZENDO PRESSÃO NOS ADVERSÁRIOS, QUE QUEREM REALMENTE SABER, FAZ SIM MUITA DIFERENÇA EM UMA COPA.

      • janca

        Não acho que seja assim. Cada jogo, especialmente quando uma derrota significa a eliminação, caso das oitavas ou das quartas, é complicado. A pressão é grande e os adversários são complicados. A começar pela Croácia, que não é baba, não. Claro que somos favoritos, mas daí a dizer que já ganhamos vai uma grande distância. Não que você esteja fazendo isso, mas muitos analisam o Brasil como se do outro lado não houvesse um adversário a enfrentar. E a vencer.

    • janca

      Mas espero que não consiga. Ao contrário do que aconteceu em 1950. Agora que terá gente tentando tirar proveito político de possível sucesso da Seleção, terá. Como terá gente tentando tirar proveito de eventual fracasso, Mario.

  • Wagner

    Analisei com atenção os times que cruzaremos na primeira fase, mas vejo apenas México com real capacidade de criar frente. Camarões e Croácia brigarão pelo 3 e 4 respectivamente. E se caso pegarmos a Espanha nas oitavas, se a mesma apresentar esse futebolzinho que mostrou contra El Salvador, teremos mais que 80% de chances de passar. Não sei não Janca, essa seleção espanhola não é mais aquela…

    • janca

      Claro que o Brasil tem tudo para ganhar os três primeiros jogos, mas a estreia, ainda mais sendo o jogo de abertura do Mundial, pode ser complicada. Não podemos desprezar ninguém. Sobre a Espanha, também não acho que a Fúria seja mais aquela, mas tem bons jogadores, tradição, experiência… Nas oitavas de final, caso pegue o Brasil, pode complicar. E não dá pra avalia-la pelo jogo contra El Salvador, assim como o Brasil não pode ser avaliado apenas pelo jogo contra a Sérvia.

  • Rafael

    Olá Janca,
    Qual grupo vc acha mais difícil? Eu pessoalmente acho o grupo da holanda, espanha e chile mais complicado que uruguai, inglaterra e itália. Os ingleses sempre chegam favoritos e todas as vezes amarelam, exceto em 66 quando ganharam a copa com uma “ajudinha” da arbitragem. Um grupo que tem as duas finalistas da última copa certamente merece atenção. Acho que o Brasil vai passar com relativa na primeira fase, só a Croácia que é osso duro, mesmo assim não assusta tanto. Torço para a excelente seleção Belga fazer uma boa campanha mas falta tradição. Colômbia é outra seleção que sempre amarela em copas, não entendo como ganhou o posto de cabeça de chave.

    • janca

      Acho o mais complicado o grupo D, com Uruguai, Inglaterra e Itália (Costa Rica tende a ser a baba, mas nunca sabemos). Mas também acho bem difíceis os grupos B, com Holanda, Espanha e Chile (Austrália é o quarto time da chave), o E (com França, Suíça e Equador, com Honduras completando os quatro) e o G, que reúne Alemanha, Portugal, Estados Unidos e Gana.

      • Rafael

        O grupo da Alemanha realmente é muito complicado.

MaisRecentes

Goleiro são-paulino



Continue Lendo

Protestos à vista



Continue Lendo

Ajustes no São Paulo



Continue Lendo