A guinada de Ronaldo



A mudança de discurso de Ronaldo, que agora se diz envergonhado com os problemas na organização da Copa de 2014, foi bem estudada com seu estafe, que temia que ele virasse alvo em possíveis manifestações.

Ano passado, durante a Copa das Confederações, foi criticadíssimo por dizer que Copa não era feita com hospitais ou algo do gênero.

Reclamou que a frase foi tirada de contexto, seguiu defendendo os preparativos do Brasil, mas não quer que sua imagem seja afetada durante o Mundial e aos 45 minutos do segundo tempo tenta se afastar da organização.

Mas não será fácil, pois é uma espécie de embaixador da Copa e integra o Comitê Organizador Local há tempos.

Irá alegar que não recebe salários, é apenas voluntário, só que agora é tarde. Virou o cara do COL em diversos eventos, visitas a estádios, reuniões com a Fifa, entrevistas coletivas e deve satisfação à sociedade.

Reclamar faltando pouco mais de 15 dias para o início do torneio é estranho…

Se bem que ele tem pesquisas em mãos indicando que o apoio ao Mundial caiu muito, que a maioria acredita que houve corrupção nas obras da Copa, que a insatisfação com a Fifa só aumenta e, com tudo isso, decidiu, finalmente, mudar o tom.

O governo não gostou, claro, mas para as eleições de outubro o candidato de Ronaldo não será Dilma. Ele vai apoiar Aécio Neves, embora seu amigo Andrés Sanchez vá de Dilma.

Ah! Política, futebol e interesses comerciais… Tudo, enfim, se mistura.



MaisRecentes

Nova caminhada



Continue Lendo

O desabafo de Cuca (ainda)



Continue Lendo

As críticas de Cuca



Continue Lendo