O hexa e os protestos



Reproduzo, abaixo, coluna que publiquei no diário LANCE! de ontem, seguida de uma observação de um jornal britânico:

“Depois da Copa das Confederações, quando boa parte dos torcedores conseguiu separar as manifestações políticas da Seleção que estava em campo, cheguei a pensar que no Mundial algo parecido poderia acontecer. Que os protestos ficariam focados na falta de um legado, nas promessas que não foram cumpridas, no dinheiro (nosso) jogado no lixo, nas obras com custos muito maiores do que os previstos e nas mazelas político-administrativas que vivemos, independentemente do que acontecesse em campo e do desempenho do Brasil na Copa. Hoje confesso que tenho minhas dúvidas.

Outro dia o ex-presidente Lula chegou a dizer que não quer ver repetido o que chamou de “vexame de 1950” e que não interessa quanto vai entrar de dinheiro no país com o Mundial ou a Olimpíada. Como se o principal fosse mesmo ganhar o troféu. E como se, ao levantar a taça, a Seleção pudesse deixar pra trás todos os problemas, para não usar um termo mais forte, que marcaram a organização (se bem que desorganização aqui caberia melhor) da Copa no Brasil.

Conversando com amigos nas últimas semanas, uma parte acha que, quando as seleções começaram a desembarcar por aqui e a bola a rolar, o clima será de festa. Talvez o velho “Pra Frente Brasil” dos tempos da ditadura. E que parte da mídia, inclusive com seus interesses comerciais e de audiência, conseguirá dar uma leveza ao evento e empurrar o torcedor a apoiar a Seleção e a festejar cada vitória nas ruas. Se ganhar o hexa, então, festa total. Outra parte pensa diferente e acha que não há clima de Copa como houve por aqui quando a Seleção jogou Mundiais disputados no estrangeiro. E que o cidadão conseguirá separar o desempenho da equipe de Luiz Felipe Scolari daquilo que acontece fora dos gramados.

Eu já acho que as duas coisas, na cabeça de muita gente, estarão misturadas.  Discordo de Lula quando menospreza a parte financeira envolvida na Copa e também quando se refere ao desempenho do Brasil em 1950 como “vexame”, mas hoje já acredito que, caso o time encante e avance na competição, o clima de oba-oba pode acabar predominando. Mas se por um acaso a Seleção for eliminada nas oitavas de final, o que pode acontecer, porque enfrentaremos algum time do grupo da Espanha, quiçá a Holanda, as manifestações ganharão terreno e podem chegar a um ponto complicado. Aquela história de não sabermos bem aonde começam e tampouco aonde vão terminar… Gostaria que as duas coisas não andassem atreladas, mas tenho a impressão de que caminham de mãos dadas.

Em 1970, quando o Brasil ganhou o tri no México eu era muito pequeno. De lembranças, só as fotos de uma criança de 3, 4 anos com um sombreiro na cabeça. Agora não. Ouço aqui e acolá gente dizendo que vai torcer contra, como alguns fizeram em 70, mas não faço parte dessa galera. Torço muito pela Seleção. Que ganhe e encante, o que é bem possível. Mas que as reinvindicações populares continuem fortes, desde que pacíficas, pois são legítimas.”

Nota: O jornal britânico “Financial Times” tem analisado o impacto que o Mundial pode ter para a campanha eleitoral deste ano. Acredita que, caso o Brasil vença a Copa, a população pode perdoar os altos custos do torneio, os erros na organização, os futuros elefantes brancos que consumiram rios de dinheiro público e tantos outros descalabros mais, mas, se perder, a pólvora estará acesa. As ruas que o digam.



  • Mario

    o Brasil perdendo ou ganhando a copa não muda em nada a situação politica , mesmo com o alto preço da copa o povo vai votar na Dilma pois para grande maioria o importante é a bolsa familia criada pelo PT ou arrumar um emprego publico para mamar na teta do governo.

    e pior é q a oposição no brasil é igual ao governo , então no final não muda nada e cada povo tem o governo q merece.

  • Oscar de Melo

    O brasileiro saiu às ruas para protestar contra o aumento nas tarifas de transporte público.Outros protestos produtivos e populares eclodiu em meio as massas revoltadas com os desmandos políticos generalizados.Porém,como tudo que envolve política em qualquer canto do mundo,os próprios políticos viram a opurtunidade de orquestrar manifestações contra seus rivais,e enterraram mais uma vez as chances de ouvirmos a vóz do povo(penso que a única representação válida do povo é o das urnas).Portanto,o mesmo acontece com os protestos contra a copa,que só existe por rivalidade política ou clubística,Sãopaulinos revoltados com a exclusão do Morumbí,alguns palmeirenses e santistas,e os tucanos fanáticos que não aceitam que o voto alheio valha o mesmo que o seu,e por aí em diante.Protesto de classe não pode ser e não é incontestável,assim como nenhuma opinião particular é incontestável

  • Cleibsom Carlos

    Pelo menos para mim está claro que o pau vai comer nesta copa! As pessoas que estarão nos estádios não serão as mesmas que estarão nas ruas protestando, como a “festa” é obrigatória e tem de acontecer de qualquer jeito as duas coisas ocorrerão uma independente da outra. A mídia pode até tentar maquiar a situação mas no fim a realidade irá se impor. As seleções dos países desenvolvidos estão tremendo de medo de vir ao Brasil. O pavor está no ar e a coisa vai ferver!!!!!

    • janca

      As pessoas que estarão nos estádios certamente não serão as mesmas que irão às ruas. Mas paira uma sensação de ambiguidade no ar, inclusive por parte da própria mídia. Acho que as coisas na Copa vão funcionar, espero partidas incríveis, dentro de campo o Mundial tem tudo para dar certo. Ao mesmo tempo parece que o clima de Copa (ou de euforia/ufanismo, seja o que for) está diferente (e menor) do que em outros torneios que aconteceram no estrangeiro. Talvez aquela coisa de o brasileiro ter sido “enganado” pelo governo, a história do legado que não veio, os elefantes brancos… Um clima estranho. Dúbio, talvez. Ambíguo.

  • Charles

    Uai, parece as ciclovias que estão fazendo aqui na minha cidade…
    Começa de lugar nenhum e acaba no nada…

  • joe LHP

    Duas perguntinhas a todos, se por acaso o Brasil não fosse escolhido para sediar a copa ou jogos olímpicos será que haveria esse clamor popular e essa cobrança sobre o governo por mais “educação, segurança e saúde”? E mais uma, será que esse questionamento continuara após esses eventos?

    • janca

      Tenho minhas dúvidas, se bem que, depois da Copa, teremos a Olimpíada de 2016. Ou o Rio, pelo menos, terá. Mas acho que um dos legados indiretos da Copa foi justamente esse: despertar a população. Agora questiono o que muitos têm feito ao protestar. Não só em relação ao vandalismo e depredação a patrimônio público e privado. Li em algum lugar hoje alguém reclamando que se falta um muro ou há um buraco numa rua ou calçada, algo do gênero, enfim, já aparecem 15 ou 20 gatos pingados, queimam pneus e paralisam o trânsito em várias vias, prejudicando inúmeras pessoas. Até por isso acho que o clima está estranho. E grande responsabilidade cabe à classe política, que tem uma agenda própria e que nós, muitas vezes, desconhecemos.

  • WAGNER

    JANCA, PEÇO PERMISSÃO PARA TROCAR DE ASSUNTO PARA LHE PERGUNTAR QUE É VERDADE QUE O CORINTHIANS ESTÁ TROCANDO O GUERRERO PELO LUCAS PRATTO DO VELEZ E O LODEIRO É O CONTRAPESO DO BOTAFOGO PELO SHEIK.

    • WAGNER

      JANCA, TÁ DE MAL? RSSS

    • janca

      Sinceramente não sei, Wagner. E não estou de mal. Gripado, mas em paz.

      • WAGNER

        OKAS.. RS ABRAÇO E MELHORAS

        • janca

          Valeu, Wagner, meu pulmão agradece. Espero que fique bom logo…

  • Jocinei

    Não acredito que o resultado final da copa mude alguma coisa no Brasil .Tinha que ter protestado quando foi escolhido como sede , agora não adianta ,o dinheiro já foi para o ralo . Não torcerei contra meu país ,pois o futebol não tem culpa da corrupção do País . O País só pode mudar com o resultado das urnas .

  • Gilson Donizeti Mendes

    Janca, para ser sincero, se a seleção for eliminada ni inicio do torneio, vou ficar até contente, porque não da para aguentar mais esta cúpula que ai está: Marin, Felipão,etc….
    Se o Brasil ganhar ai é que estamos ferrados: sabe quando vão dar um jeito no campeonato brasileiro? Nunca.

    • janca

      Ganhando ou perdendo duvido que deem um jeito no Brasileiro. Mas confesso que prefiro ganhar. E ganhar bem, jogando bonito.

MaisRecentes

Ingerência no Morumbi



Continue Lendo

Revolta corintiana



Continue Lendo

Pela saída de Levir



Continue Lendo