Oscilações de Ganso



Há algum tempo o estafe de Ganso anda descontente com Muricy Ramalho, que mais uma vez colocou o atleta na reserva, irritado com duas atuações sofríveis após vitória na estreia do Brasileiro, quando jogara muito bem ao lado de Pato.

Entendo a insatisfação, mas o problema, pelo menos nesse caso, talvez esteja mais em Ganso que no técnico são-paulino.

Porque o meia é extremamente talentoso, tem ótimo toque de bola, sabe dar passes e lançamentos cirúrgicos, só que muitas vezes simplesmente desaparece do campo. Há dias em que está presente de corpo, não de alma.

No Santos, depois de jogar muito bem em 2010, acabou sendo assim, tanto que saiu da Vila hostilizado por torcida e diretoria, e na Seleção Brasileira também. Foi cortado da Olimpíada por estar desmotivado e muito apático nos treinos.

Contra o Coritiba, sábado, no Pacaembu, não foi escalado entre os titulares, já que Muricy, descontente com Ganso, resolveu apostar na velocidade de Pabon e Osvaldo pelas laterais do campo.

O time, porém, novamente não foi bem e só melhorou justamente quando o técnico resolveu colocar o meia, que entrou bem no segundo tempo e ajudou seus companheiros a crescerem em campo.

Ganso à parte, considero o trabalho de Muricy muito fraco até aqui. Foi importante para salvar o São Paulo da degola no Brasileirão, tirando-o das últimas colocações, mas foi só.

A equipe não tem padrão de jogo, seus desempenhos são abaixo do esperado e, assim como Ganso, oscila demais. Simplesmente não consegue emplacar uma sequência boa.

O “professor” reclama muito, ganha bem, tem ótimas condições de trabalho, mas resultado que é bom… Até aqui nada. Ou melhor, quase nada. Porque livrar a equipe da degola do Brasileiro conta, mas é pouco.



MaisRecentes

Nova caminhada



Continue Lendo

O desabafo de Cuca (ainda)



Continue Lendo

As críticas de Cuca



Continue Lendo