Chute no traseiro



As relações entre governo federal, Comitê Olímpico Internacional e Comitê Organizador Local da Rio-2016 não anda nada boas.

O governo está irritado com ambos e não pretende ficar abrindo a torneira. Já até avisou o comitê local que deve se adequar a seu orçamento e, caso termine no prejuízo, pedir socorro à iniciativa privada.

Em relação ao COI, depois de os brasileiros terem levado novo chute no traseiro, assim como ocorrera na Copa, agora com o vice-presidente do comitê internacional, o australiano John Coates, dizendo que os preparativos para os Jogos do Rio são os piores que já viu na história recente da Olimpíada, a irritação também é grande.

A intervenção da entidade na organização dos Jogos pegou o governo federal de surpresa e, especialmente em ano eleitoral e já com tantos protestos em relação à Copa, o Brasil não quer fazer obras que considere desnecessárias e que possam ser atacadas pela opinião pública.

Já existe enorme celeuma em relação a possível estádio de rúgbi, exigência do COI que o governo não aceita. Só se depois puder ser adaptado para outras modalidades (e também tem que saber a que custo), se não o risco de a população contestar a obra, pedindo mais escolas e hospitais e menos arenas supérfluas, será grande.

O temor é que, passado o Mundial que começa em junho, a cobrança ficará toda concentrada no Rio e a cidade poderá virar um caos, paralisada por manifestações.

Durante a Copa o COI terá observadores concentrados no Rio, preocupado que está com as questões de hotelaria e transporte público. A entidade avaliou o trânsito na cidade como caótica e vê poucas chances de melhora até 2016.

Apesar de dizer que não há um plano B para os Jogos, a possibilidade de o basquete, por exemplo, ser disputado em SP, algo que o COI inicialmente descartava com veemência, é mínima, mas já existe.

Pelo jeito a confusão com os gastos com os megaeventos esportivos que o Brasil resolveu abrigar vai longe. E o povo terá que arcar com os custos. Haja imposto!



  • Guilherme

    Lamentável…

    • janca

      Lamentável mesmo. O caos na organização para os Jogos, digo.

  • Seria possível faltando 2 anos desistir dos jogos?

    Vergonha por vergonha é melhor admitir que não conseguirá fazer um bom papel do que teimar em fazer e deixar a desejar perante o mundo todo. Pior, enquanto se endivida para pagar pelas olimpíadas a população morre por dengue, por falta de segurança, falta de recursos na saúde etc.

    • janca

      Desistir dos Jogos o Brasil não vai. Mas não acho impossível, apesar de por enquanto não haver plano B, de o COI desistir do Brasil. O bicho vai pegar e mais do que pegou no caso da relação entre Brasil e Fifa. Aguardemos.

MaisRecentes

Pela saída de Levir



Continue Lendo

Apoio a Jô



Continue Lendo

Os preços da Seleção



Continue Lendo