Vitória heroica



O Flamengo mais uma vez jogou com muita, muita raça na Libertadores e obteve uma vitória importantíssima diante do Emelec.

O semestre dos times brasileiros, que até aqui tem sido apagado com os Estaduais, salvo raras exceções, caso dos meninos do Santos, tem valido pela atuação no torneio continental.

Que não tem sido fácil, aliás. Atlético-PR e Botafogo, que  tropeçaram em casa, o primeiro semana passada, o segundo agora há pouco, no Maraca, que o digam. O Cruzeiro também.

Flamengo e Grêmio, porém, fora de casa, conseguiram dois resultados muito significativos e os gaúchos ainda podem, salvo engano, até terminar essa fase como o time de melhor campanha entre todos os grupos.

O Atlético-MG, que defende o título, é outro que tem feito boas partidas no torneio.

Campanhas à parte, as dificuldades financeiras que os clubes brasileiros enfrentam e que se tornam cada vez mais evidentes, vide o que tem se passado com o Botafogo mas também com o tão comentado Corinthians, deveriam ter acendido o sinal amarelo, se não o vermelho.

A situação é cada vez mais grave e em ano de Copa, então, o assunto era para ser mais debatido.

E por mais que possamos elogiar a garra dos brasileiros na Libertadores, tenho que reconhecer que é difícil vermos por aqui um jogo como Barcelona x Atlético de Madrid, aquele incrível 1 a 1 na partida de ida pelas quartas de final da Liga dos Campeões.

Ok, durante a Copa devemos ter partidas tão boas quanto e até melhores, inclusive, espero, da nossa própria seleção, mas e depois do Mundial? O Brasileiro deste ano definitivamente não promete. Ou talvez prometa um show de horrores. Dentro e fora dos gramados.



MaisRecentes

Seleção no divã



Continue Lendo

Seleção magoada



Continue Lendo

O emocional, de novo



Continue Lendo