Propaganda na Copa



Reproduzo, abaixo, coluna que publiquei semana passada no diário LANCE!:

“Outro dia fui ver “Clube de Compras Dallas” no cinema e apareceu uma propaganda de uma multinacional de eletroeletrônicos sobre a Copa, antes de o filme começar, claro, num clima bem ufanista, velho estilo de “Pra Frente Brasil”, em que no final o sujeito pergunta se o pessoal tinha gostado ou algo assim. Fiquei surpreso quando a plateia se manifestou e pude ouvir várias vozes dizendo não.

Apesar de o governo e embaixadores do futebol brasileiro, como Pelé e Ronaldo, insistirem em dizer que o que importa agora é a Seleção em campo, o hexacampeonato, enfim, e que temos todos que apoiar o Brasil, sinto que muita gente está conseguindo separar o que se passa (ou passará) dentro das quatro linhas de uma série de mazelas que envolvem a organização do torneio.

Por mais que Pelé, Ronaldo e Cia. possam pedir para a população evitar manifestações durante a Copa, focar o gramado, fazer muita festa, beber um bocado e relegar o resto para segundo, terceiro ou décimo plano, não dá para dizer que não houve desperdício de dinheiro público, que o povo brasileiro é cordial, simpático e acolhedor e por isso vai continuar abaixando a cabeça para tanta coisa errada, que as obras de infraestrutura podem não ter ficado prontas para o Mundial, mas algum dia estarão aí para todos verem e usufruírem…

É um discurso que não pega mais e coloca quem o faz no ridículo. Como aconteceu com Pelé, para quem “futebol não tem nada a ver com a corrupção dos políticos” ou o próprio Ronaldo, que vê a Copa como “um grande negócio para o país, que deixará centenas de legados para nossa população”.

A atuação da Seleção é uma coisa, a situação do país e a promessa jamais cumprida de que veríamos uma Copa da iniciativa privada, quando teremos um Mundial irrigado de dinheiro público inclusive em arenas particulares, outras bem diferentes e que podem, sim, ser contestadas. Porque a Copa foi feita com o meu, o seu, o nosso dinheiro e temos o direito de cobrar como ele está sendo investido.

Em relação à Seleção, a cobrança será outra. De um bom futebol. E imagino que, como aconteceu na Copa das Confederações, quando o clima fora dos estádios era de turbulência, os torcedores irão apoiar com muito afinco a equipe em campo. Eles devem proporcionar um espetáculo à parte, espetáculo, aliás, que deveremos ver em todos os jogos, mesmo num Irã e Bósnia, porque o brasileiro gosta de futebol e também sabe festejar, como já demonstrou tantas vezes.

O que não dá é para A ou B querer tirar proveito do que acontece dentro dos gramados pra desviar o foco das atenções e passar a imagem de que está tudo bem, que interessa ganhar o título e caso isso aconteça todo o dinheiro usado na organização terá sido válido. Porque não terá. Poderia ter sido muito mais bem aproveitado, inclusive na Copa. Que agências de publicidade e patrocinadores fiquem atentos a tudo isso para não marcarem gol contra.”



  • Thiago

    Olá Janca.

    Acredito que assim como eu, a maioria dos brasileiros, apaixonados por futebol, não são
    contra a Copa, mas sim como esse processo foi desenvolvido, ou não foi.
    Perdemos uma grande chance de termos melhor mobilidade, aeroportos com melhor infra estrutura,melhor investimento em segurança, ou seja, era uma esperança de termos o tal legado
    posto em prática.
    Mas não, teremos apenas estádios, dívidas gigantescas, elefantes brancos, manobras políticas por sedes, passamos vergonha com nossa desorganização, prazos não cumpridos, falta de infra estrutura etc.
    Do Brasil, nós brasileiros podemos falar mal, mas que dói quando um meio de comunicação fala mal daqui, nos compara a outros horríveis lugares, isso machuca e muito nosso orgulho

    • janca

      Sempre fui favorável à Copa no Brasil, mas a forma como a preparação do país para o Mundial foi conduzida é digna de questionamentos.

  • Jailson

    Eu sempre fui contra, pois, para mim, como para alguns órgãos de empresa, ia acontecer exatamente o que está ocorrendo. Atraso na realização das obras com intuito de não respeitar as leis de licitações; custos muito maiores do que os orçados inicialmente; obras de infraestrutura prometidas não realizadas, praticamente tudo bancado com dinheiro público (o contrário do que prometido pelos nossos políticos).
    Isso não foi nenhuma premonição. Já tínhamos visto esse filme no Pan 2007, ano que o Brasil foi escolhido para sediar a Copa, porque agora seria diferente?

    • janca

      Porque uma hora a história tem de mudar. Pena que não tenha sido agora.

      • Jailson

        Só muda a partir de pressão, da sociedade, da mídia. Infelizmente, não foi o que ocorreu, pelo menos na proporção adequada, depois da realização do Pan. Pois, parte da imprensa, poderosa por sinal, tenta vender até hoje o chamado “legado” que não existiu (cadê as praças desportivas que foram construídas ou reformadas para o evento, cadê o Engenhão, o Maracanã?). Isso deixou as portas abertas para o mau uso do dinheiro público nos eventos seguintes.
        Porém, felizmente, acho que dessa vez a pressão da sociedade vai ser bem maior (aliás, já estamos vendo isso), apesar daqueles mesmos setores da imprensa continuarem a remar em direção contrário.

    • janca

      E como a coluna falava sobre propaganda na Copa, recentemente li interessante coluna de Fernando Rodrigues, jornalista da “Folha”, em que ele criticava um comercial protagonizado por Neymar, que confesso que ainda não tive a oportunidade de ver. O atacante estaria tirando um sarro dos estrangeiros que têm dificuldades para se comunicar em português… Como se dominássemos bem os outros idiomas…

  • Paulo Junior

    Janca,
    O que não entra na minha cabeça de maneira nenhuma é como ainda há atrasos para a Copa. Como não deu tempo para se fazer estruturas básicas para que se tivesse um bom andamento durante a Copa. Ora, fazem 8 anos (se não estiver certo, me corrija) que o Brasil foi “sorteado” para ser o país da Copa. Milhares de promessas foram feitas. Hoje, faltando praticamente 3 meses para o início do evento, muita coisa não está pronta.
    Eu não me sinto com “orgulho ferido” quando surgem notícias criticando o nosso país nos veículos de comunicação lá de fora. Eu só penso “puts, e não é que eles têm razão?”.
    Que o povo irá apoiar a Seleção dentro de campo, isso ninguém tem dúvidas. As dúvida que surgem são: como será quando todos os torcedores de fora do país começarem a chegar nos aeroportos para a Copa? Como será nos dias de jogos, em relação aos transportes públicos (sim, eles irão usar), ao trânsito caótico na maioria das grandes cidades brasileiras? Como será se um “gringo” precisar de um bom hospital? E a segurança deles, será que realmente será boa? A nossa polícia não está preparada, os hospitais não estão preparados…ninguém fala inglês, ou pelo menos a grande maioria não.
    Só não digo que “cabeças irão rolar” após a copa porque nosso país já é o país da impunidade, da corrupção…e acredito, ao meu ver, que nada adiantará o povo sair á rua para protestar…já que governo “investiu” mais de 30 milhões em armamentos especializados “anti-manifestação”.
    O gigante acordou? Não, só levantou, deu uma mijada e voltou a dormir, infelizmente!
    Abraços!

    • janca

      Tampouco acho que o gigante tenha acordado, concordo com você nesse ponto. Sobre os atrasos em relação à Copa _e muita coisa prometida não ficará pronta a tempo mesmo_, quanto mais em cima da hora, mais caras as obras acabam ficando. E quanto mais caras mais um determinado grupo fatura com isso. As empreiteiras, pra variar um pouquinho, acabam fazendo a festa. E o Brasil foi escolhido (oficialmente) em 2007 pra receber o Mundial. Já são sete anos, embora antes disso já soubesse que não teria oposição séria na América do Sul.

  • Jonny Santista

    Pelé e Ronaldo se enterraram nessa. Aliás, repare naquela entrevista do Pelé, que antes de falar toda aquela besteira,ele agradece a Globo “pela oportunidade”, ou seja, foi pra Globo bolou aquela entrevista. Falta de noção de quem propôs isso, achando que o Pelé é uma voz respeitada pelos jovens, e dele que só “aceitou” falar – será que ganhou? Já o Ronaldo pedir pra enchermos a cara de cereveja é lógico, é uma de suas patrocinadoras, mas ele só faz tudo por amor ao Brasil. A sua função no COL é nos dar “orgulho”. Nem o Maluf é tão cínico.

  • Rlima

    Paguem as papeletas Amarelas e as Papeletas Luzitanas..

    Dr. Senize, a torcida do Fluminense quer saber quem comprou o suicidio da Portugue$a, com as papeletas Amarelas.

    promotor, promotor…

MaisRecentes

Pela saída de Levir



Continue Lendo

Apoio a Jô



Continue Lendo

Os preços da Seleção



Continue Lendo