As bruxas no Mundial



Reproduzo abaixo coluna que publiquei na última terça no LANCE! sobre a Seleção e a Copa de 2014:

“A Copa de 1982, quando o Brasil tinha aquela Seleção incrível montada por Telê que acabou eliminada pela Itália, marcou toda uma geração. A minha, pelo menos. Lembro que acompanhei os primeiros jogos em São Paulo, mas os confrontos contra argentinos e italianos vi na Dinamarca, onde, adolescente, tinha ido passar as férias na casa de um amigo de infância, que hoje cuida de doentes terminais num hospital escandinavo. Quando acabou o jogo que consagrou Paolo Rossi, ficamos todos anestesiados, como se a derrota não tivesse ocorrido e a partida fosse recomeçar a qualquer momento. Acabei me recuperando do baque ao percorrer a Dinamarca, um país fantástico, viajando de trem com a camisa da Seleção já eliminada do Mundial. Os dinamarqueses me consolavam. Quando viam a amarelinha iam logo dizendo como admiraram nossas atuações, como torceram pelo Brasil e como, sem a Seleção de Sócrates, Júnior, Éder, Zico e Cia., o torneio perdera muito de seu encanto.

Em 1986 fui à minha primeira Copa do Mundo, ainda estudante, e acompanhei uma ótima competição, seja por Maradona, seja pelo carinho do povo de Guadalajara, que novamente abraçou a Seleção. Que também caiu nas quartas, agora diante da França, em decisão por pênaltis. Foi sofrido pacas, porque jogamos melhor que os franceses, desperdiçamos um pênalti durante o jogo, perdemos chances inacreditáveis até na prorrogação e tivemos azar nas penalidades que decidiram a favor deles. Numa das cobranças da França, não é que a bola toca na trave, bate nas costas do goleiro Carlos e entra no gol? Coisas do futebol…

É por essas e outras que, quando insistem em me perguntar (e como insistem…) se acho que a Seleção vai ganhar a Copa de 2014 digo que não faço a menor ideia. Porque não faço mesmo. Em um torneio de tiro curto, com sete jogos para ser campeã, um lance infeliz, uma bola mal passada, um dia ruim, enfim, qualquer descuido ou incidente pode tirar uma equipe da competição. Passada a primeira fase, são quatro jogos eliminatórios. E a sorte, sim, porque ela existe e faz parte do espetáculo, pode acabar sendo fator preponderante.

Não que possamos atribuir uma eliminação precoce, nas oitavas, por exemplo, como a de 1990, num jogo em que fomos melhores que os argentinos, apenas ao azar. Claro que não. Mesmo em 1982, acho que acabamos subestimando os italianos, achando, talvez como em 1950, diante do Uruguai, que poderíamos vencer (ou empatar) quando quiséssemos. A história mostrou que não era bem assim. E em 1986, sei que pênalti não é só loteria, depende de treinamento, preparo físico e psicológico, talento e sangue frio. Mas também de sorte. E acabamos pecando na disputa.

Certamente entramos como um dos favoritos também em 2014, não só pelo fator casa, mas por termos um time muito forte, com ótimos jogadores e um técnico que sabe unir e trabalhar um grupo. Ganhando ou perdendo, enfim, espero que joguemos bonito. Porque uma seleção é lembrada não só por títulos, mas pela qualidade de seu futebol.”



  • mario

    jogar bonito na seleção morreu em 1990 no gol do caniggia e foi enterrado de vez com a conquista do tetra em 94 , criamos a cultura do que é importante é ganhar e não jogar bonito , infelizmente.

    Brasil é sempre favorito em copas , jogando por aqui se torna mega favorito , a força do povo e a pressão sobre os adversários e juizes ajuda muito ,só ira perder a copa se subir no salto alto como em 50 que na véspera da final tinha jogador tirando foto com politico e clima de já ganhou.

    • janca

      Tem muita seleção boa na Copa e o caminho do Brasil não é nada fácil. O time é forte, jogamos em casa, mas… Sei não, sei não.

  • joe LHP

    Copa do mundo não perdoa vacilo, soberba, displicência e menosprezo ao adversário, os jogos são tensos e diferente de competições como a copa das confederações, nem sempre quem chega “voando” se dá bem, que o diga a Argentina e a França em 2002 que não passaram da primeira fase, ao Brasil, o recado já foi dado na final olímpica contra o México, bom não se iludir com essa copa das confederações e esquecer um pouco aquela vitória em cima da Espanha.

    • Tri Mundial Doom

      O México mesmo é um time forte em má fase, o Brasil deu foi sorte na Copa das Confederações. A Alemanha faço questão de assistir todos os jogos dela!

      • janca

        Não foi só a sorte que deu o título ao Brasil na Copa das Confederações. O time jogou muito bem e o Felipão conseguiu usar o momento pelo qual o país passava, com todas aquelas manifestações de ruas, para unir ainda mais a equipe, criar um clima favorável nos estádios e ficar com a taça. E aqueles 3 a 0 contra a Espanha não foram por acaso, não.

        • Tri Mundial Boom

          O Brasil não era considerado favorito para ganhar, mas ganhou, em outras Copas das Confederações ele era favorito e ganhou, inclusive saiu de 2005 como favorita não só a ganhar a Copa como também a desbancar até a seleção de 70 e 82, vendo que como favorito ganharam e não favorito também daí concordo que não foi sorte, os time que jogam não estão nem aí para essa competição. A Espanha tinha de lateral para marcar Neymar o pior jogador do time, o Arbeloa…

  • josé Eliaz

    Que seleção é essa que errava muitos passes e essa foi a razão da eleiminação? A mim essa seleção marcou sim, mas negativamente por que tinha vários caras chamados de craques , mas na Hora H falharam.

    • janca

      Não há uma razão para a eliminação. Há várias.

  • Jota Rodrigues

    Todo mundo sabe que o culpado daquela derrota para a Itália na copa de 82, foi o Júnior (capacete). O primeiro gol de cabeça do Paolo Rossi foi nas suas costas e o terceiro ele não saiu junto com a zaga e deu condições para o nosso carrasco desempatar. Acontece que o Júnior e comentarista (aliás péssimo) e tem o coorporativismo dos colegas de imprensa.

    • janca

      Tampouco há um responsável apenas pela eliminação. Há vários.

    • acho que este Jota é torcedor do galo mineiro hein!
      O caro Jota esta esquecendo que estava 2×2 quando o Toninho sem gelo resolveu dar um passe ao Paulo.

      Caro Jota!!!
      disfarça meu chapa…

    • Tú ta doido Jota!!!
      Tu é galo doido!!
      disfarça maluco!!!

      Tu só pode ser galo camarada!!
      A culpa foi do cerejo doido

  • Tri Mundial Doom

    Esse time não tem talendo quase nenhum, não tem muita opção de jogadores pois os melhores foram descartados por beberem cerveja e tocar pagode na concentração, graças a grandes técnicos exaltados pela mídia, não porque sou são paulino mas antes do Corinthians Tite nunca fez absolutamente nada como técnico, não consegue montar um time para atropelar o adversário como os melhores técnicos da história conseguiam e é exaltado por conseguir o feito pelo Corinthians, apenas isso, ele fez o que fez o técnico do Once Caldas, Mundial é 2 jogos só, a Libertadores tem mais dificuldade, ele conseguiu uma e já é fantástico, a mídia exalta esses técnicos horríveis, o Mano por uma vitória na final da segunda divisão do Brasileiro pelo Grêmio era técnico de seleção e para ganhar 700 mil nos clubes…Luis Fabiano jogando mal pelo São Paulo e ganhando mesmos 700 mil vale mais que Mano de técnico…Os grandes jogadores foram dispensados por causa de técnicos que não conseguem colocar um grande jogador para mostrar seu futebol. Cuca conseguiu tirar do Ronaldinho o que Dunga e outros não conseguiram por exemplo. O Zagallo queimou muito jogador, mas 6 meses para Copa, teve foi jogo pra testar e preparar realmente a seleção, essa sim podia ser chamada de seleção…qualquer torcedor pedia 1 ou 2 na seleção que não estavam, hoje o torcedor tem uns 10 diferentes do técnico, tem um monte de jogador de empresário que nunca vai jogar nem 10% do que outros jogaram, foram pra seleção e nem jogaram Copa, mas tiveram oportunidade…Por isso mesmo que essa seleção ganhe não fará diferença nenhuma no futebol do Brasil, isso se terminarem a Copa pois os protestos prometem. Eu gostei do Felipão como técnico, mas ele não manteve a linha de os melhores irão, já convocou jogador que parece ser por empresário e grupismo…Sendo por isso, o Brasil nunca iria conhecer Garrinha em Copa, já barrou Romário e pelo que vejo hoje, o Romário tava mais que certo de não ir para uma Copa América inútil só para ajudar, fazer grupo.

  • Caros e caras!
    Este tal de Jota só pode ser torcedor do galo mineiro.
    Pois não é que o camarada pega no pé do capacete e se esquece que quando estava 2×2 a vaga estava garantida. No entanto, o Toninho singelo resolveu dar um passe açucarado para o Rossi e deu no que deu.
    Caro Jota…..disfarça meu chapa..

MaisRecentes

Pela saída de Levir



Continue Lendo

Apoio a Jô



Continue Lendo

Os preços da Seleção



Continue Lendo