Fan Fests em xeque



Semana passada Recife anunciou o cancelamento de sua “Fan Fest” durante a Copa de 2014, que começa em junho.

Oficialmente o problema é a viabilização financeira do evento, que tem marcado os últimos Mundiais da Fifa como forma de envolver mais gente na festa, especialmente aqueles que não conseguiram ingressos para os jogos.

Na Alemanha as Fan Fests foram um sucesso. Estive na de Berlim, que chegou a reunir 1 milhão de pessoas, que assistiam aos jogos em telões, passavam o dia confraternizando, comendo, bebendo (até demais), assistindo a shows, vendo exposições e trabalhos de artistas do mundo todo e consumindo produtos ligados à Copa.

Tudo transcorreu, apesar de excessos alcoólicos por parte de alguns, na mais absoluta harmonia.

No Brasil, com os últimos acontecimentos, a barbárie e a violência em várias manifestações, que já mataram, salvo engano, oito até aqui, e o clima de insatisfação com políticos, dirigentes e a forma como a Copa tem sido conduzida, há receio de que as Fan Fests sejam transformadas em palcos de guerra.

Apesar do discurso oficial de que está tudo bem e que o problema com Recife foi apenas administrativo e financeiro, o medo da violência está por trás da decisão de abortar a Fan Fest pernambucana, o que causou perplexidade na Fifa.

Nas outras 11 sedes elas seguem confirmadas. Por enquanto. E se forem mesmo realizadas devem ter segurança máxima. O esquema, inclusive, já está sendo discutido pelo governo, que teme que o Mundial, se for tomado pela selvageria fora dos estádios, acabe abalando seriamente a imagem do país. E a do governo também, claro.



MaisRecentes

Tite questionado



Continue Lendo

A falta de um líder



Continue Lendo

Haja coração!!!



Continue Lendo