MMA infantil



Reproduzo, abaixo, coluna que publiquei ontem no diário LANCE! e logo abaixo dela os Três Toques, com três notinhas sobre a prática do MMA infantil:

“Não é que nos Estados Unidos e também no Brasil há pais colocando seus filhos para treinar MMA? O que considero gravíssimo, porque, em vez de melhorar o autocontrole, como pregam alguns, pode gerar mais violência nas escolas, sem falar no sério risco de contusões, inclusive na cabeça.

É uma questão extremamente delicada, pois, por mais que os defensores da modalidade insistam que é um esporte onde prevalece o “fair play”, em que os atletas são amigos e a violência fica apenas no octógono, o risco de concussões cerebrais, como vemos também no futebol americano e no boxe, é muito grande e pode ser devastador. Sem falar em outras lesões sérias, como fraturas de braço, perna, ombro e até coluna. Incentivar crianças a praticar MMA é, literalmente, um perigo. Pra elas.

Sei que muitos reclamam que costumo pegar no pé da modalidade (e costumo mesmo), mas nada tenho contra os lutadores. Tenho muito, porém, contra o que está por trás do MMA e do UFC, uma empresa comandada por um trio que fez das artes marciais mistas uma controversa indústria, conseguiu apoio de um público sedento de sangue e violência, patrocinadores e mídia forte e poderosa e como há muito dinheiro envolvido, parece que ninguém pode ter uma posição contrária.

Dá para notar, inclusive no caso da forte cena da lesão de Anderson Silva, que fraturou tíbia e fíbula na luta contra o norte-americano Chris Weidman, que os envolvidos direta ou indiretamente com o negócio tentam passar uma imagem de que o que ocorreu foi apenas uma fatalidade. Que poderia ter acontecido no futebol, vôlei ou basquete, que contusões fazem parte de qualquer esporte, que o próprio Ronaldo, Fenômeno, já se machucou feio em campo numa imagem impressionante que rodou o mundo.

Mas há uma diferença com o MMA. No UFC, onde Anderson competia, os golpes são intencionais. Quando um lutador chuta o outro, dá cotoveladas em seu rosto, tira sangue da cara do adversário, o objetivo é destruir, sim. Fazer estrago para vencer. No futebol, basquete ou vôlei, a meta é outra. Não é chutar o adversário, atacar o joelho, acertar a cabeça nem quebrar seu braço. É marcar gols, fazer cestas ou anotar pontos, vencendo sets. Tudo isso tem que ser pensado, especialmente pelos pais que colocam seus filhos para começar a treinar cedo. Pois há um preço a pagar, como vimos na própria luta de Anderson Silva.

Por mais que os defensores da modalidade digam que no futebol é pior, que há brigas de torcidas, como em Atlético-PR e Vasco, pela última rodada do Brasileiro, para ficar apenas em um exemplo, não há o que justifique a prática de MMA, especialmente pelo público infantil. Um esporte em que as pessoas vão para ver sangue, em que o público pede para o sujeito matar o rival, aos gritos de “Uh, Vai Morrer”, deve ser repensado. A essência do futebol, com todo respeito, é outra. E os vândalos que vão aos jogos brigar não são caso de esfera esportiva, mas da criminal.”

Três Toques

1) Audiência: A luta de Anderson Silva teria batido recorde na TV, superando 200 mil novas vendas no Canal Combate. A Globo, apesar de ter feito tudo para transmitir o evento ao vivo no final do ano passado, mesmo sem ter conseguido seu objetivo, exibindo-o com atraso, conseguiu bons índices no Ibope: cerca de 30% a mais que a média no horário dos sábados (ou madrugadas de domingos) anteriores. Há público, há público…;

2) Proteção maior: Defensores da prática de MMA por crianças dizem que a modalidade, que envolve o aprendizado de técnicas de caratê, boxe, jiu-jitsu, judô e muay thai, entre outras, pode ajuda-las a ter mais autocontrole e conhecer melhor seus limites, além de aprimorar a autodefesa, inclusive entre as meninas. Pregam, no entanto, que as proteções sejam maiores que nos treinos de adultos para diminuir o risco de lesões;

3) Agressividade: Quem condena que crianças treinem e lutem MMA aponta, além do risco de sérios acidentes, a possibilidade de efeitos nocivos em relação à psique do indivíduo, que pode se tornar mais agressivo e individualista. Mesmo assim há academias no Brasil e no exterior que aceitam treinar garotos e garotas já a partir dos sete anos de idade. Com a devida autorização dos pais ou responsáveis, claro. Responsáveis?



  • Marcelo

    Em New York são proibidos eventos de MMA. Em São Paulo também.

    • janca

      No Estado de Nova York, que eu saiba, os eventos são proibidos, sim, mas em SP, não. Tanto que há eventos de MMA no estado e em sua capital, que sábado completa 460 anos.

  • Cala boca… voce nunca lutou para saber.

    Luto desde meus 5 anos, nunca briguei na escola ou na rua.

    • janca

      Não calo. Tenho o direito de dar minha opinião. E você pode lutar desde os cinco anos, mas certamente, pelo seu comentário, a modalidade não lhe ensinou educação.

      • Leo

        Olá Janca acho que ai do comentário de cima não tem educação mesmo. Arte Marcial verdadeira nunca foi luta ou briga e sim auto controle e condicionamento físico. Eu tenho 22 anos e prático arte marcial desde os 6 anos, minha mãe é graduada no 2º Dan de faixa preta de Hapkido, eu já treino Hapkido com ela, já pratiquei por 3 anos capoeira e desde os 13 treino Goju Ryu. Eu particularmente não acho MMA um arte marcial e sim uma modalidade de luta. Acho que a crianças de 5 a 7 anos deviam aprender não MMA, mas Karatê, Judo ou Kung Fu em verdadeiras escolas que ensinam o espírito da arte marcial. Conheço muito praticantes de MMA que se acham verdadeiras máquinas de combate e não tem noção de companheirismo, respeito e honestidade que são as bases de um artista marcial. Espero apenas que o seu comentário sobre o MMA não seja sobre as artes marciais em geral (e acho que não é mesmo), pois elas nada tem com em comum com o MMA. Primeiro por as técnicas de combate que são ensinadas servem para auto defesa e proteção, eu mesmo já escapei de um assaltante que imobilizando o braço dele e jogando ele no chão. Não me acho o cara mais forte do mundo por ter feito isso e sei muito que nem sempre pode ser possível reagir a um assalto, mas naquele momento tive a felicidade de conseguir me livrar do assaltante. Enfim só queria parabenizar você pelo texto e dizer que seria legal incentivar as crianças a praticarem arte marcial de verdade ou qualquer outro esporte é importante para o desenvolvimento físico e mental de qualquer criança.

        • janca

          Meu comentário é de fato sobre MMA, não sobre as artes marciais em geral, digamos assim. Não sou contra um garoto treinar judô, por exemplo. Grande abraço e valeu pelo comentário, Janca

  • Rafael

    Janca,

    Respeito sua posição porém não concordo, sou praticante de MMA a alguns anos.
    Já vi algumas crianças de 13..12 anos treinando, e o treino é totalmente diferente!
    É voltado sim para a luta, porém com o respeito acima de tudo!
    Pelo menos os garotos que vi, tem um auto controle, e uma disciplina de dar injeva em adultos.
    Acho que não é certo comparar com o Futebol, mas no boxe, no judô, na luta greco-romana, muitas crianças praticam e não existe uma critica!
    Concordo que é chocante ver crianças lutando, mas no treino temos, luva, caneleiras, protetor bucal, dificilmente cai uma gota de sangue em treino.

    Uma boa semana Janca!

    Abraço.

    • janca

      Oi Rafael, agora estou sem tempo, mais tarde te respondo com calma. Grande abraço e até logo mais, Janca

    • janca

      Caro Rafael, também respeito sua opinião, mas discordo. No caso do judô ou da luta greco-romana o risco de lesões é menor, inclusive porque a essência do esporte é outra. No caso do boxe, já não. Enfim, boa semana pra você também, Janca

  • Luciano

    Legal, o treino do MMA beneficia criança e tal e coisa. E a competição em si entre elas, pra que ou quem serve?

  • Alan Miguel

    Janca, dessa vez, você matou a pau. Escreveu o que muita gente pensa e não tem coragem de escrever, por conta de esse “esporte” envolver muito dinheiro e muitos interesses, principalmente de parte da mídia. E essas comparações com as lesões sofridas por jogadores de futebol pra justificar casos como o de Anderson Silva, sinceramente, são ridículas e sem fundamento algum. As pessoas que adoram defender o MMA são aquelas que nunca vão entrar em um octógono pra perder sangue e sofrer contusões graves, mesmo que algum “gênio” lhes pague muito dinheiro para isso!!!!

    Boa tarde pra você, Janca!!!!

    Abraços!!!!

    • janca

      Obrigado, Alan, e depois, com mais calma, comento o que você escreveu. Agora estou na correria. Abs.

    • janca

      Também acho que essas comparações com lesões no futebol, que de fato acontecem, são descabidas. Mas é como você diz em relação a essa modalidade (MMA) ter muito dinheiro por trás, muitos interesses, mídia poderosa, público interessado nos combates, patrocinadores, audiência… Já viu…

  • Thiago

    Respeito sua opinião, porém deve estar embasado somente em achismos. O senhor nunca deve ter visto um treino de qualquer tipo de arte marcial para falar isso. Treinos para crianças são COMPLETAMENTE diferentes do que para adultos. Portanto acho que o senhor deveria assistir antes um treino de mma ou qualquer arte marcial onde tenham crianças no mínimo se retratar depois aqui neste mesmo blog.

    • janca

      Você deveria conversar com um neurologista sobre os riscos envolvidos. Uma modalidade em que o sangue jorra, em que há cotoveladas na cabeça, murros na cara e assim por diante não considero algo lúdico, não.

      • Thiago

        Acho que você não leu NADA do que disse. Riscos, não são verdades absolutas. E segundo, futebol é um esporte com riscos, até corrida de rua, mas estamos nos referindo a crianças!!! Então você deveria realmente rever o que escreveu pois é falta total de conhecimento seu e deveria no mínimo estudar mais sobre o assunto, ver na prática como funciona um treino de artes marciais para crianças. Se ainda assim continuar pensando assim deve ser preconceito seu, algum trauma sofrido. Quero acreditar que não seja um outro problema cognitivo.

        • janca

          Risco você corre ao atravessar a rua. O objetivo do futebol é muito diferente daquele do MMA. A finalidade não é agredir o outro com murros, cotoveladas e chutes. Aliás se um jogador faz uma coisa dessas é expulso na hora.

          • Marcus

            Janca, sou totalmente contra QUALQUER tipo de violência, seja onde for (e isto inclui o esporte). É incrível notar como a infância e adolescência sadias de 20, 30 anos atrás vêm sendo contaminadas pela violência travestida de esporte ou arte marcial. Como você bem observou, lesões graves ou fraturas sérias no futebol, vôlei, etc., PODEM ocorrer, porém não integram a técnica que deve ser usada na pratica destes esportes. No MMA, boxe, UFC, etc. é diferente pois a técnica incorpora FERIR, MACHUCAR, QUEBRAR ou oponente, e isto na minha opinião é barbárie, um retorno à época das arenas romanas, onde o público ansiava por sangue.

            Artes marciais como as chinesas e japonesas primam pelo trabalho físico como resultado de uma mente equilibrada. Tanto que em muitos lugares naqueles países a meditação é parte indispensável do treinamento e o foco é imobilizar o oponente, como no Judô.

          • janca

            Penso de forma muito parecida com a sua. E o próprio Tai Chi Chuan, que vi na China praticado por tantos idosos, uma forma de manter o foco, a concentração, os movimentos e a mente equilibrada, que o diga. Mas comparar a essência do futebol ou do vôlei com a do MMA não tem mesmo condições. Grande abraço, Janca

  • alessandro mendes

    Janca,

    Respeito sua opinião sendo que não concordo na sua totalidade. quando é ensinado uma arte marcial para crianças não é feito o contato como ocorre com adultos, vide caratê . sobre o auto controle, eu já vi pais em torneio de futebol entre crianças de 6 a 9 anos, mandando o filho bater na outra criança, sendo assim, temos violencia em todos os esportes dependendo da educação de quem ensina e estimula a pratica do esporte.

    sobre as lesões, vc está certo. é um esporte violento e que pode causar lesões graves , como ocorre no boxe e futebol americado. acredito que o MMA deveria utilizar uma proteção ca cabeça de cada atleta. sobre outras lesoes, fratura por ex, isso pode ocorrer em qualquer esporte de contato, vide as entradas criminosas que acontecem todas as semanas no futebol mundial( o bolivar e o airton do botafogo são jogadores violentos).

    Sou assinante do combate, estou me programando para ir a florianopolis ver o proximo evento.

    Abraço.

    • janca

      Caro Alessandro, se tem pai que manda o filho, no futebol, bater no adversário ele está errado. No MMA, salvo engano, é esse o objetivo. Bater no seu oponente. E entradas violentas de jogadores de futebol devem ser punidas, no MMA fazem parte do espetáculo. É algo bem diferente. Sobre você ir ver evento de MMA em Florianópolis e gostar da modalidade é um direito seu, quem sou eu para contestar? Mas questiono a essência do MMA e, especialmente, a prática por crianças, devido, inclusive, a golpes na cabeça. E isso vale para os adultos também. Como você mesmo colocou é um esporte violente e que pode causar lesões graves, como acontece no boxe e no futebol americano. Pode mesmo. Abs. e boa quarta

      • alessandro mendes

        janca, não tiro uma parte da sua razão. acho que ligam o MMA a violência e não é esse o sentido da coisa. os pitboys fizeram essa imagem distorcida. o MMA significa arte marciais mista, a criança aprende todos os tipos de artes ao invés de uma só. sei que não vou mudar sua opinião sobre a modalidade praticada e a essencia do esporte.

        sobre sua informação dos ganhos obtidos pelos administradores do eventos, méritos deles , pois estão sabendo ganhar em cima dos amantes do eventos, diferentemente dos adminstradores do futebol.

        nos eventos de MMA vc encontra facilidade na compra de ingressos, lugares marcados, pontualidade nos eventos, lojas para compra de produtos ligados ao evento, enfim, tudo que gera dinheiro… vc já viu em algum jogo de time grande os ex jogadores terem contato com a torcida? vc vê jogadores darem autografos em enentos dias antes dos jogos? no MMA isso acontece e gera MUITO dinheiro.

        acho que o Brasil deve aprender a administração do UFC . Os caras vendem eventos que muitas vezes são fracos ( lutadores não tão famosos) como se fosse final de copa do mundo… rs rs rs

        Grande abraço e obrigado pelo retorno, poís a maioria dos blogueiros escrevem suas materias e não respondem aos torcedores e vc coloca a cara mesmo quando algum leitor não concorda com seus comentários. acredito que um dialogo educado e de forma inteligente é a melhor forma de se debater alguns assuntos.

        Obs: espero que a Portuguesa não caia para a Série B. rs rs rs

  • Rafa

    Concordo em partes Janca todo esporte tem muito a evoluir em todos os aspectos , moral seja ele ou educacional, assim acontece em qualquer luta , ou esporte seja futebol basquete , etc.. a competitividade sempre existirá. Afinal a disputa é que chama atenção do publico seja em um clássico regional ou em um grande embate de lutadores, porem torcedores podres também estão por todas as partes mas isso é uma modalidade cultural que o Brasil é campeão.
    Assim com o garoto franzino sai da favela e das drogas para lutar e disputar qualquer modalidade que seja ela , acontece em outros esportes quantos não foram salvos desse mal pelo esporte são inúmeras vitorias desse aspecto , eu ainda acredito que a cultura motive cidadãos de caráter em todos os esportes, só espero estar vivo para presenciar isso em todos os seguimentos e esportes.

    Enfim sempre haverá instituições que lucram com isso infelizmente.

    Parabéns pela matéria

    • janca

      Mas competição (ou competitividade, como você diz) é uma coisa, agressão, como acontece no MMA, é outra. A finalidade da modalidade é bem diferente da do futebol, basquete ou vôlei. E pode provocar sérias lesões na cabeça, como o boxe e o futebol americano. Obrigado pelo comentário, abs. Janca

  • Rodrigo

    É parecido com aquela questão do video-game, se a prática conduz ou não a uma conduta violenta…

    Enfim, da minha parte, não tenho nada contra Esparta, desde que não ataquem Atenas.

    • janca

      É uma questão parecida mesmo, porque, a meu ver, esses joguinhos também são complicados.

  • Anderson

    Janca Jornaleiro, ta querendo ibope….

    • janca

      Nesse momento falar da Lusa dá mais audiência…

  • Heusner

    Assisti a uma competição de boxe amador em Mineiros do Tietê, com atletas de Barra Bonita, São Manuel e Dois Córregos. Os lutadores usavam um protetor na cabeça. A competição foi ótima, não houve sangue e nem de fraturas. O ex-campeão mundial Miguel de Oliveira estava lá com um seu pupilo. Mas é sabido, entre os atletas, que socos sistemáticos na cabeça podem causar lesões irreversíveis (comenta-se que o caso de Cassius Clay é esse: tomou muitos socos na cabeça). Meu filho mais velho, que adora o UFC, parou os treinos de boxe por influência minha, já que uma fratura prejudicaria seu serviço (ele fabrica caixas de som). Assim sendo, a luta não deixa de ser uma opção profissional para aqueles que não conseguem um afazer mais rentável.

  • Janca

    Publico sedento por sangue?, voce esta apenas expondo uma pequena parcela dos fãs de MMA que que gostam da violência, esses malucos que gostam de brigar e ver os outros se matarem estao em todos os esportes, e dizer que as crianças por praticarem esse esporte se tornaram, esse tipo de pessoa nao tem fundamento.Além disso como voce mesmo adimitiu voce é preconceituoso com o esporte, e por isso, é impossilvel voce mesmo sendo jornalista expressar sua opiniao com neutralidade, portanto me faça um favor e nao responda a esse comentario.

    Obrigado!

    • janca

      Quando a gente expressa nossa opinião, já estamos sendo parciais, afinal estamos nos colocando e colocando o que achamos sobre determinado caso ou situação. Não acho que exista a neutralidade absoluta.

  • André

    Eu gostaria que o Lance!, assim como todos os outros meios de comunicação viessem a público explicar por que após anunciar que o atleta André Santos do Flamengo ser anunciado como suspenso na sexta feira, dia 06/12/2013 e ter atuado irregularmente no sábado, dia 07/12/2013, NADA foi publicado na imprensa entre o fim do jogo e o início do complemento da última rodada, sendo que isso poderia auxiliar a Portuguesa e eventuais outros times a não cometerem o mesmo equívoco, evitando todo o imbróglio criado desde então? Fora que seria DEVER da imprensa noticiar esse fato! Expliquem, por favor?

MaisRecentes

Os erros do Verdão



Continue Lendo

Vencer ou vencer



Continue Lendo

Arena santista



Continue Lendo