Aviões na Copa



Apesar de seguir com a política do morde e assopra quando o assunto é a Copa no Brasil, a Fifa continua muito irritada com a ação do governo brasileiro para preparar o país para o evento, que começa em junho.

Além de metade dos 12 estádios não ter sido entregue até o final do ano passado, ao contrário do prometido, possível caos aéreo durante o Mundial inquieta a cúpula da entidade que dirige o futebol mundial.

Pegou muito mal em Zurique declaração da ministra Gleisi Hoffmann, da Casa Civil, que disse estudar abrir o mercado doméstico para companhias aéreas estrangeiras no período da Copa.

A iniciativa, que teria como objetivo diminuir o preço das passagens além de melhorar o serviço no Mundial, foi vista como sinal de desespero por parte do governo, além de ter sido sinalizada tarde demais. Empresas estrangeiras já se pronunciaram dizendo que não haveria tempo para montar uma logística adequada. E, por enquanto, a fala da ministra não passa de ameaça.

Para a Fifa, mostra apenas que o governo não sabe o que fazer com possíveis transtornos em aeroportos durante a Copa, além do risco, absolutamente real, de o preço das passagens ir às alturas.



  • joe LHP

    Na verdade foi um comentário de quem desconhece o setor aéreo e as limitações estruturais , tbm mostrou o quanto é desinformada em relação ao que está acontecendo, pois as Cias aéreas já enviaram proposta de aumento de malha, porém o problema não é apenas na copa do mundo pois em época de férias ou feriados como o carnaval já acontece isso, onde alguns bilhetes são vendidos na casa dos 4 dígitos até mais caro que uma passagem para Miami, tbm é ser muito inocente achar que empresas de fora vão chegar aqui em plena demanda e botar o preço lá em baixo, ainda mais sabendo q essas empresas não terão benefícios que tem em seus países, infelizmente esse é o preço q se paga por não ter um sistema sobre trilhos e uma malha rodoviária decente.

    • janca

      Tem razão, nesse final de ano, por exemplo, tivemos várias situações de caos. Não adianta “resolver” o problema apenas durante a Copa e depois dela o brasileiro voltar ao transtorno do dia a dia, que é o que vai acontecer.

  • Victor Dunstan

    Fala Janca…copa no brasil tá tudo errado…obras que só ficam prontas depois da copa…estadios mais atrasados que na África do Sul…Itaquerão vai ser em cima da hora…tem estadio com vazamentos ja…vamos passar vergonha perante o mundo todo…torço pra dilma levar uma vaia daquelas de novo!!

    • janca

      Sabe que eu penso um pouco diferente? Claro que concordo que a preparação (ou falta dela) foi uma vergonha, obras atrasadas, legado minimizado, preços nas alturas, falta de política de turismo etc. etc. etc., mas acho que o Mundial vai funcionar e poderá ser um sucesso. Não será a melhor das Copas, mas tampouco a pior. Acredito que haverá muita emoção, jogos interessantes, futebol bonito… O problema é fora de campo. O que não foi feito. A oportunidade desperdiçada. E terminada a Copa ficaremos com legado quase nenhum, fora alguns elefantes brancos. O problema não é na Copa. É fora dela, pois o povo brasileiro continuará sofrendo no seu dia a dia. Pelo menos é assim que vejo a coisa, Victor.

  • Mario

    isso é Brasil , não estava preparado para copa quando foi escolhido e é quase certeza que não estara preparado quando acabar as olimpiadas de 2016 no rio , o unico legado desses eventos sera se não acontecer nenhuma tragedia durante eles.

    • janca

      E teve sete anos para se preparar para o Mundial.

MaisRecentes

Verdão vai às compras



Continue Lendo

Contas corintianas



Continue Lendo

Timão em 2018



Continue Lendo