Atraso salarial



Como tenho dito e gosto de repetir, a questão do “fair play financeiro” é de extrema importância para o futebol brasileiro, mas terá que ser implantada gradualmente, não de um dia para o outro.

Deve envolver na discussão atletas, técnicos, dirigentes de clubes, federações e da própria CBF, além de executivos do futebol e representantes do governo.

Os clubes têm que ir acertando suas contas e parar de fazer loucuras, muitas vezes assinando contratos com seus jogadores e fornecedores que acabam não cumprindo, o que é lamentável.

Da Série A, há reclamações de atletas de pelo menos oito times que dizem não ter recebido salários e pagamento de direitos de imagem na data certa e que seguem com pendências a serem acertadas por seus clubes.

Na Série B de 2013 a situação foi ainda pior, com jogadores de pelo menos 12 equipes reclamando de atraso ou falta de pagamento.

É um absurdo, porque o sujeito conta com o dinheiro no dia em que deveria receber, tem seus compromissos financeiros a cumprir e muitas vezes fica a ver navios. Fora que, tendo conversado com muitos deles, não são poucos os que têm receio de reclamar publicamente e acabar queimados pelos dirigentes/patrões e fritados no mercado.

Já vi torcedor dizendo que há jogador que recebe 700 mil reais por mês e pelo jeito há mesmo, mas se o clube se comprometeu a pagar a quantia tem de a quitar na data certa. Se não pode honrar o combinado, que não tivesse inflado sua folha salarial, algo que vale quando se trata das comissões técnicas também.

Lembro, ainda, que se há atleta ganhando salários polpudos, muitos, principalmente na Série B, vivem outra realidade. E ainda assim vários não têm recebido em dia.

O Bom Senso tem sido interessante canal para reclamação, como já vimos no caso do Náutico e da Portuguesa, que têm obrigação de honrar seus compromissos. Mas o problema não se resume a esses dois times e é muito mais sério do que isso.

A ideia de criar uma agência reguladora para o futebol, que possa cobrar dos clubes que quitem suas pendências com atletas, funcionários, fornecedores etc. etc. etc., é interessante e deve ser mais discutida. Já foi levantada pelo Bom Senso F.C., embora, até aqui, tenha sido ignorada por CBF, federações e dirigentes de futebol.

A agência, aliás, que merece um capítulo à parte, poderia tratar de outras questões importantíssimas ligadas ao esporte, como a ligação dos clubes e dirigentes com suas organizadas, a questão da segurança nos estádios, política de preço para os jogos e tantas outras mais que merecem discussões aprofundadas.



  • Mario

    o problema de impunidade no Brasil faz as pessoas não acreditarem que essas mudanças são reais e os cartolas usam os prazos de adequação p/mudarem a lei a favor deles , então no Brasil a lei do Fair play financeiro tem entrar de sola rapidamente e os cartolas que se fodam p/se adequarem a lei ,se não conseguirem rebaixamento automatico.

    se jogador ganha bem parabens para ele , se tem cartola que da esse salario é problema interno do clube e seus conselheiros que cobrem os presidentes p/mudar isso.

    agencia reguladora no brasil é sinonímo de corrupção , tem é que ter 3 poderes (CBF , Clubes e Bom Senso )fortes e se vigiando p/as coisas começarem a andar.

    • janca

      Se entrar de sola _a lei do “fair play financeiro”_ teremos uma Série A com 12 times ou algo assim e uma B com oito. Mas uma agência independente pode ser interessante. É uma ideia a ser discutida. Até que porque o Bom Senso está longe de ser um poder constituído como a CBF ou as federações e os clubes são desunidos, não formam um grupo coeso. E o Bom Senso representa os jogadores _ou alguns deles_, mas é os técnicos, por exemplo, como ficam? Além de outros ligados diretamente ao futebol…

      • Mario

        que tenha só 5 times na seria A grandes , as coisas tem que mudar , tem que ter um choque p/as coisas mudarem

        a uns posts atras fiz a pergunta a vc daquela associação dos tecnicos montada pelo parreira , caio junior , Felipão que esta quieta , se esta quieta e não se posiciona então merrece passar sufoco com os cartolas e a juizada tambem , se querem mudanças tem que se posicionar.

        • janca

          Mas conhecendo Parreira, Felipão e cia, apesar de admirar o Felipão como técnico, duvido que se posicionem contra a CBF, até porque são contratados dela, e a atual estrutura do futebol brasileiro.

          • janca

            Agora que os técnicos deveriam se mexer, como os juízes, que fazem parte do espetáculo também, deveriam. Os jogadores não podem ser os únicos interlocutores.

  • dorival

    Janca, Sua abordagem é a do bom senso não é necessario reinventar a roda para haver mudanças é necessario acima de tudo ter boa vontade. Como os cartolas são politicos e não administradores como deveria acontece estas barbarie. Na Inglaterra existe a mesma hierarquia que existe nas empresas de outros ramos de atividade é o presidente que tem obrigação de montar um organograma para definir posições e cargos dentro da entidade, no Brasil o presidente é um ditador e só ele é que sabe das coisas os demais estão lá para aceitar seus desmandos na esperança de um dia chegar lá e fazer a mesma coisa.

    • janca

      Mas como falta boa vontade…

  • Luis Henrique Tosoli

    Estou muito curioso, mas muito mesmo, pra saber a opinião desse pessoal do Bom Senso F C sobre esse caso envolvendo o jogador da Lusa escalado indevidamente como dizem.

    Até agora não se manifestaram hein ,…..

    • janca

      Também estou curioso.

MaisRecentes

Alerta a Raí



Continue Lendo

Os erros do Verdão



Continue Lendo

Vencer ou vencer



Continue Lendo