Bom Senso E.C.



Reproduzo, abaixo, coluna que publiquei no LANCE! na última terça:

“O Bom Senso Futebol Clube, movimento de jogadores com propostas para rediscutir e melhorar o futebol brasileiro, bem que poderia servir de inspiração para a formação de um Bom Senso Esporte Clube, tão necessário para repensar o esporte olímpico no país.

Assim como acontece com o futebol, cuja estrutura é arcaica e viciada, evitando a alternância no poder e privilegiando aqueles de sempre, as demais modalidades olímpicas também precisam de uma chacoalhada. Necessitam, como tenho insistido há tempos, de novas vozes. E não há melhor oportunidade que agora, com os Jogos Olímpicos de 2016 acontecendo bem aqui em nosso quintal e os olhos do mundo voltados para o Rio.

Muitos dos atletas, que são a base do esporte, vivem sem recursos, com ajudas pontuais, isso quando o auxílio aparece, sendo que o Comitê Olímpico Brasileiro e as confederações são irrigados por verbas públicas, via loterias, estatais ou leis de incentivo fiscal, boa parte das quais acaba usada para sustentar uma baita estrutura burocrática e mal chega a muitos dos protagonistas do espetáculo.

Passada a Copa de 2014, quando todas as atenções estarão voltadas para o Mundial e o futebol, a bola da vez será a Olimpíada, pela primeira vez na história realizada na América do Sul. E o Brasil, como sede, terá participantes em todas as modalidades. Há melhor momento do que esse para trazer as demandas a público, debater e pensar o que se passa em cada uma delas?

Os atletas olímpicos terão espaço e visibilidade na mídia para reivindicar, mostrar os gargalos de suas atividades e propor projetos esportivos, já que muitos dirigentes, aqueles mesmos que deveriam pensar o esporte, pelo jeito não o fazem. Ou não o fazem adequadamente. Não só atletas veteranos de cada uma das modalidades, mas também os mais jovens, terão a chance de abrir a boca e apitar.

É o que estão fazendo os jogadores de futebol, em ações muito bem organizadas e para as quais a Confederação Brasileira de Futebol e as federações estaduais não têm dado a devida importância. A CBF parece que não percebeu que o Bom Senso F.C. veio para ficar e vai lhe dar muita dor de cabeça, assim como as manifestações de junho deram ao governo e às autoridades ligadas à organização da Copa de 2014.

As reivindicações do movimento, que tem como um de seus líderes o preparado Paulo André, são absolutamente legítimas e é impressionante ver que só serão colocadas em pauta graças aos atletas, não aos dirigentes. Porque por mais que eles queiram fugir da discussão e enrolar o Bom Senso, duvido que conseguirão. A mudança no calendário é essencial, não só para 2014, mas também para os anos seguintes, quando não teremos a “desculpa” da Copa para postergar maiores alterações.

A redução dos Estaduais do ano que vem foi um ganho dos jogadores, mas ainda é muito pouco. Há diversos outros pontos em pauta, como o “Fair Play Financeiro”, que terão de ser tratados, queiram os dirigentes ou não.”



  • Mario

    a pouco tempo atras os tecnicos tinham criado um grupo p/defende-los , o que aconteceu com ele ? nunca mais ouvi nada e se ele ainda existe vai ficar quieto?

    • janca

      Pelo jeito vai, embora os técnicos tenham sido chamados a se manifestar e participar das discussões pelo próprio Bom Senso, que não tem se negado a debater o futebol, muito pelo contrário.

MaisRecentes

O título do Timão



Continue Lendo

Tricolor acuado



Continue Lendo

A volta de Felipe Melo



Continue Lendo