Dida e a greve



Conforme esse blog revelou na última sexta, apesar de todas as especulações de que o Bom Senso poderia paralisar a última rodada do Brasileirão com uma greve, o goleiro Dida segue dizendo que a possibilidade de isso acontecer é nula.

As especulações cresceram entre domingo e segunda, após entrevista do zagueiro Paulo André à revista “Veja”, mas Dida continua garantindo que greve, se houver, só no ano que vem, durante os Estaduais.

Acontecendo este ano, o temor, absolutamente legítimo, é atrapalhar as definições dos rebaixados e dos que irão à Libertadores no ano que vem, irritando os torcedores e a Rede Globo, que exibe o torneio.

Poderia até desembocar numa nova virada de mesa, já que com os dirigentes que temos…

Melhor mesmo deixar um possível movimento grevista para o ano que vem, ano de Copa e em que, só para variar, teremos os desanimados Estaduais no primeiro semestre, ocupando, com uma série de jogos desinteressantes, boa parte do calendário do futebol.



  • Cleibsom Carlos

    Sou à favor da greve apenas em 2014 não porque uma greve agora “irritaria” a Globo, a emissora do plim-plim tem de ser irritada mesmo, mas uma atitude dessas agora daria o motivo perfeito, como você disse, para nossos dirigentes rasgarem o regulamento do brasileirão, isso porque, não há dúvidas quanto à isso, pelo menos um time grande cairá…

    • janca

      Poderia ser um pretexto para a famosa virada de mesa mesmo, sem dizer que poderíamos ainda ficar sem os quatro rebaixados e os times que vão à Libertadores, prejudicando muitos torcedores, que acreditaram na competição, e o próprio futebol brasileiro. Mas para 2014 é diferente. E do jeito que as coisas estão caminhando, não duvido de greve para o ano que vem, não, inclusive porque os dirigentes têm se mexido muito pouco e tentado enrolar o Bom Senso.

  • Cristiano Galo Doido

    A gente sabe que o Brasileirão é um barato, chamado por muitos de “o campeonato mais difícil do mundo”, e tudo mais. Mas as trapalhadas, intervenções, interrupções, etc o desvalorizam completamente. A elevação do nível do campeonato brasileiro começa na organização e no respeito a datas, acordos e regulamentos. Isso traz investimento, que se reflete nos times, e por aí vai.

    Não tem a ver com babar ovo da Globo ou da CBF. Tem a ver com a promoção de um evento e o cumprimento do mesmo. Uma greve no meio do nosso maior torneio é puxar o nosso próprio tapete. Aliás, brasileiro é mestre em desvalorizar o próprio produto. E se a gente não se respeita, quem há?

    A estrutura do campeonato ainda é frágil, pois não faz muito tempo que tivemos virada de mesa, Copa União, Copa João Havelange, etc. Mas ela, mesmo balançando pra lá e pra cá, tem se mantido e é fundamental preservá-la.

    • janca

      Greve nesse ano não tem sentido mesmo, ainda mais na última rodada, o que acabaria encurtando, inclusive, as férias dos jogadores, já que a rodada poderia passar para a semana seguinte. Ou seria instaurado o caos. Para o ano que vem é outro papo e a greve, uma boa opção.

  • Marcelo

    Dida tinha razão. Ameaçaram, ameaçaram e a greve não aconteceu. Não tinha que acontecer. Ia jogar todo mundo contra o Bom Senso. Greve é instrumento pro ano que vem, não pra final do Brasileiro. Pode favorecer virada de mesa. Seria muito ruim virada de mesa nessa altura do campeonato.

    • janca

      Não era a hora de fazer greve mesmo. Mas ano que vem, se a CBF insistir em não dialogar, a situação muda nos Estaduais.

  • Marcelo

    Nem tudo está mal no futebol brasileiro. Faz 11 anos que temos campeonato com pontos corridos sem virada de mesa. Não é um avanço, Janca?

    • janca

      Sim, esse é um ponto extremamente positivo e espero que siga assim.

MaisRecentes

Ainda dá?



Continue Lendo

Saída de Lucas Lima



Continue Lendo

Dorival bombardeado



Continue Lendo