Os pontos do Bom Senso



O goleiro Dida gostaria de ampliar de cinco para seis pontos as principais reivindicações do Bom Senso F.C., movimento criado por alguns dos principais jogadores do Brasil para modificar o futebol nacional.

Os pontos já existentes são um acerto no calendário nacional, diminuindo o número de jogos, pré-temporada de 20 dias ao menos, férias de 30 dias seguidos, punição aos clubes que atrasarem salários e representatividade dos jogadores na CBF e nas federações.

O sexto, que ele propõe seja incluído na cartilha tão logo possível, é a atenção específica aos times pequenos, muitos dos quais funcionam apenas quatro a seis meses por ano, deixando os jogadores do “baixo clero” inativos e sem receber.

Incluindo na cartilha um sexto ponto ou não, algo que ainda tem de ser avaliado, a preocupação do Bom Senso com os demais jogadores, que não estão em equipes da elite e querem mais e não menos jogos, existe e é grande.

O próprio Paulo André, que considero o principal líder do movimento, tem citado frequentemente a questão, insistindo que a mudança no início dos Estaduais de 2014 é um ganho muito pequeno e pontual e que a situação dos times pequenos é preocupante, já que eles não têm um calendário próprio. Ou seja, a ideia é mexer no topo, onde está a elite, mas também na base. E é muito, muito válida.

Também tenho gostado da posição do zagueiro corintiano que não tem entrado na ladainha da CBF, cuja conversa é mesmo para boi dormir. Cede um pouquinho aqui, outro tanto acolá, mas mantém a estrutura nefasta do futebol, que impede a rotatividade de poder.

O buraco é mais embaixo _não tem sentido as 27 federações escolherem o novo presidente da CBF, com mais força do que os 20 clubes desunidos que participam da eleição_ e Paulo André sabe disso. A luta apenas começou.



  • mario

    sera que o bom senso se tornara o terceiro poder(CBF , Clubes e Bom Senso) no futebol?

    verdade é que o Bom senso podia substituir a CBF e federações que ninguem ia sentir falta deles e olha que eles só querem o basico para o bom futebol.

    temos que parar de chamar os clubes de pequenos , eles são é semi-profissionais ou amadores , por que um time que só joga 3 ou 4 meses no estadual não pode ser classificado como profissional e se forem jogar o ano todo tem que reformular a C , D e criar a E em um formato regional .

    agora um coisa que não entendo é a Globo apoiar os estaduais vendo o ibope cair a cada ano.

    • janca

      Eu tenho observado com calma o movimento, Mario, mas confesso que o vejo com ótimos olhos e muita esperança. Sobre o calendário nacional, a reformulação tem que ser geral mesmo, não basta reduzir datas para os grandes, nisso concordo com Dida e Paulo André. E eles estão propondo um debate amplo, que é muito, muito válido. Algo que a CBF não quer, porque não lhe interessa. Nem as federações. Concordo com o Alex, por exemplo, que é um que diz que não dá para você ter um Estadual de quatro meses _o que são vários dos Estaduais hoje em dia???_ e apenas seis meses para o Brasileirão, que é muito mais importante. A participação dos grandes nos Estaduais tem de ser repensada e modificada. E é difícil para qualquer veículo, inclusive a Globo, vender um Estadual desgastado q que não interessa a quase ninguém. Ou que interessa especialmente às federações.

  • Cleibsom Carlos

    Não é possível alterar as estruturas de qualquer poder sem rupturas, ou seja, o Bom-Senso pouco conseguirá sendo “amiguinho” da CBF e da Rede Globo. Ou o movimento parte para a briga e radicaliza tanto seu discurso quanto suas atitudes ou a organização do futebol brasileiro continuará a mesma em sua essência e nas mãos dos poderosos de sempre!

    • janca

      Tenho minhas dúvidas sobre a melhor estratégia, não acho que a melhor medida agora seria a radicalização. Mas não pode _nem vai, aliás, pelo que tenho observado do Paulo André_ entrar no joguinho do empurra da CBF. Sou favorável ao diálogo, mas a um diálogo mais duro. Quem bate a mão na mesa não pode ser apenas o Marin. Mas tenho gostado desse início do movimento. Ele está em boas mãos. Espero que não se perca no caminho. E que se se perder, acabe se reencontrando. Torço muito por ele. Pelo Paulo André, pelo movimento e pelas propostas que defende para o futebol brasileiro.

      • Cleibsom Carlos

        Janca, segundo tenho lido por aí os líderes do movimento já perceberam que se a postura do Bom-Senso não mudar para algo mais agressivo as coisas continuarão como estão. Basta apenas as bases serem convencidas para alguma medida radical ser tomada pelo movimento. A mais branda seria os jogadores entrarem em campo com nariz de palhaço e as mais duras seriam o atraso dos jogos televisionados em até 01 hora ou, neste caso seria a radicalização definitiva, uma greve dos jogadores! Vamos aguardar…

        • Luiz Otávio

          Vou te dizer que gostei dessa ideia de atrasar os jogos em uma hora. O problema é o torcedor que vai assistir o jogo, já é complicado para voltar nos horários normais, com o atraso então era melhor já levar a roupa do trabalho para o dia seguinte.

          • cleibsom carlos

            Cara, no caso essa medida seria tomada só nos jogos transmitidos aos domingos à tarde…Acho uma idéia interessante!

        • janca

          De fato é uma discussão que eles têm tido internamente, não há um consenso sobre a melhor linha a seguir. Mas se forem muito brandos as mudanças serão mínimas, algo para inglês ver, e não resolverão nada. Nesse ponto concordo com você. Acho que o Paulo André já percebeu que é hora de dar uma endurecida, o que não quer dizer que tenha que ser algo muito agressivo, digamos assim. Mas vamos aguardar. E participar, dentro do possível. O movimento é bom e uma iniciativa interessante.

  • André

    Já passou da hora dos clubes se unirem e organizarem uma liga nacional sem a influência da CBF!
    Chega dos desmandos dessa confederação!! Os clubes precisam se unir e organizar uma liga verdadeira. pode ser que a CBF tente punir os clubes da liga mas isso não durará mais do que 2 anos. Quero ver se os grandes clubes estiverem unidos se a CBF terá peito de negar aos vencedores da liga as vagas na libertadores ou se vai se negar à convocar jogadores de Flamengo, Corinthians, São Paulo, grêmio, Cruzeiro, Inter, Atléticos, Fluminense, Vasco…. Cabe aos clube firmarem contratos com os jogadores nos moldes da CLT ou, até mesmo transformar a liga em empregadora desses jogadores que seriam designados à trabalhar nos clubes´, que por sua vez, ficariam responsáveis pelo pagamento do salário.
    E se por 2 ou 3 anos formos obrigados a ver os grandes clubes perderem seus grandes jogadores para outros países e ficarem longe da Libertadores, que assim seja!! O preço é baixo!! Vale correr o risco para moralizar nosso futebol e construir uma liga independente e forte!!!

    • janca

      Mas os clubes são extremamente desunidos, cada um pensa no próprio umbigo. Um dos poucos que têm pensado no futebol como um todo e um dos primeiros a sair em apoio ao Bom Senso foi o Santos. Há outros na mesma linha, mas em geral cada um pensa mais no valor das cotas de TV, nos próprios interesses e o resto que se vire. Uma pena. Também sou defensor de uma liga independente, mas por enquanto acho muito difícil viabilizá-la.

      • mario

        tambem gostaria que tivesse uma liga independente , mas tenho o pê atras , afinal temos que lembrar que nossos cartolas organizaram 2 campeonatos brasileiros , o primeiro foi a copa união de 87 que ate hoje o Sport e o Fla brigam para ter o direito de serem considerados o verdadeiro campeão brasileiro daquele ano e Copa João Havelange que teve uma formula super confusa misturando times da primeira e segunda divisão , fora a quase tragedia do jogo final do Vasco com o São caetano.

        • janca

          A Copa João Havelange foi uma coisa tenebrosa. Já começou mal na origem… A ideia da Copa União foi ótima, o público era bom, os jogos, emocionantes, depois deu aquela confusão todas com os módulos e a CBF entrando no meio para dizer quem era o campeão… Defendo uma liga independente, mas com nossos dirigentes do jeito que são é complicado.

  • Jocinei

    Acho que realmente agora estão pensando da forma certa , num calendario que seja bom para os grandes clubes e para os pequenos , que empregam 80% dos jogadores e são os que revelam jogadores . Tambem acho que se deve tomar alguma medida mais forte ,pois só assim a CBF vai acordar , poderiam atrasar as partidas em 10 min só para começar , ja ia colocar uma pulga atras dos senhores da CBF . Se a gente for na internet tem varias ideias para calendario muito boas ,com ferias , pre temporada , folga nas datas fifas , e etc , falta é vontade mesmo para quem comanda o futebol brasileiro .

    • janca

      Concordo sobre as ideias para o calendário. Há varias boas. Falta vontade política aos dirigentes do futebol. E concordo que o Bom Senso não pode se esquecer dos jogadores que não estão na elite. Mas ele não se esqueceu, inclusive por isso o Dida quer dar mais ênfase nesse ponto. E está certíssimo.

  • Carlos

    Excelente!!!

  • Tarcísio Rezende

    O curioso do movimento do Bom Senso F.C. é que não entra na pauta a questão dos altos salários dos jogadores, totalmente incompatíveis com a realidade de nosso país, e que certamente também significa falta completa de Bom Senso no futebol.
    Pimenta nos olhos dos outros é refresco !!!
    Grande abraço, Tarcísio Vascão.

    • janca

      Graaaaande Tarcísio. E boa sorte para o Vasco nas últimas rodadas. Mas que não empurre a Lusinha para a Série B… Abs.

MaisRecentes

Os preços da Seleção



Continue Lendo

O título do Timão



Continue Lendo

Tricolor acuado



Continue Lendo