A despedida de Ceni



Ainda não está definida quando nem como será a despedida de Rogério Ceni do gol do São Paulo.

Há várias possibilidades, mas uma definição só será feita depois de definido o futuro da equipe no Brasileirão de 2013 e também na Sul-Americana, que, pelo menos em tese, pode dar uma vaga ao São Paulo na Libertadores do ano que vem.

Caso não caia no Brasileiro, a tendência é mesmo de a despedida acontecer antes da Copa do Mundo no Brasil, com a participação do goleiro no Paulistão e a realização de um amistoso contra uma equipe de ponta da Europa no Morumbi.

Sobre o substituto de Ceni, quando ele parar de jogar, não deve ser Denis, reserva que não agradou quando entrou em campo, nem Leonardo, formado no próprio clube e que nunca passou de terceiro goleiro. Há chances para Renan Ribeiro, contratado do Atlético-MG, e Diego Cavalieri e Julio César, goleiro da seleção de Luiz Felipe Scolari, seguem como sonhos de consumo. Já Júlio César, reserva do Corinthians, não tem chances, pelo que dizem membros da atual diretoria.

Com ou sem Rogério _e no momento com_, a luta para fugir da degola continua.



  • jean

    Bom dia, Janca,
    Boa matéria.
    Gostaria de lhe fazer duas perguntas, por favor.
    O Rogério é um grande ídolo do Sao Paulo, e é detestado pelos seus rivais. É um exemplo para nós, sao-paulinos, pelo seu profissionalismo e lideranca. Mas, Janca, outro dia fiquei pensando que, por tras dessas caracteristicas exemplares, eu nao sei quem é de fato o Rogerio Ceni. O que pensa o cidadao? É um cara legal, de bom convivio? Voces, que sao da imprensa, certamente tem uma imagem mais proxima, provavelmente mais real da pessoa…
    Outra pegunta… Kalil, Aidar ou Leco? Qual a opcao, ao seu ver, vamos dizer assim, menos danosa? Para mim, o Kalil. Parece um cara, ao menos, mais democratico, e com bom senso.
    Obrigado

    • janca

      Oi Jean. Perguntas complicadas… Quem sou eu para definir o Rogério Ceni? Mas tenho algumas opiniões sobre ele. Fez muito pelo São Paulo, isso é incontestável, só que acho que é uma pessoa que tem dificuldades de assumir alguns erros, muitas vezes pensa mais em si próprio do que no conjunto e nos últimos tempos tem mais atrapalhado do que ajudado. Não gosta de dividir o osso, digamos assim. Em relação à convivência, pude conversar um bocado com ele durante a Copa das Confederações de 1997, na Arábia Saudita, quando nós, jornalistas _e éramos poucos_, ficamos no mesmo hotel da seleção. Passou-me uma impressão positiva, bom papo, não era daqueles que vão com a maioria, o que é bom, pois tem posição, ficou p… da vida com a brincadeira de cortarem o cabelo de todos, o que achei uma babaquice (por parte dos líderes do grupo) e foi bom alguém externalizar a contrariedade… Mas no São Paulo acho que tem extrapolado suas funções. Tanto que na briga com Ney Franco achei que os dois tinham razão quando um falava do outro. Sobre o candidato à sucessão do Juvenal, no fundo vejo os três como situação. Mas acho que o Carlos Miguel Aidar, que não é o mesmo dos anos 80, um dos criadores do Clube dos 13, é o mais preparado. Apesar da relação umbilical com o Juvenal, que acho que foi péssimo para o São Paulo, principalmente por ter defendido a mudança estatutária que lhe garantiu um terceiro mandato.

      • Neil Neri

        Janca,
        Quanta besteira nas suas respostas…
        Em relação a dificuldade em assumir erros foi em relação ao episódio da seleção… Jah fazem mais de 10 anos… Seria o mesmo de dizer que vc pensa igual aos seus primeiros textos.
        Nao gosta de dividir o osso??? Quem dera todos tivessem a mesma atitude.. Jogar em condições adversas…
        Mas numa coisa tem razão…. Quem eh vc para falar de Rogério Ceni?

        • janca

          Quem falou sobre o papel que vem desempenhando o Ceni no São Paulo foi o Ney Franco, que o próprio Ceni elogiou aos jogadores no vestiário na despedida do treinador. Depois, em público, a história foi outra. E veja a reação dos jogadores do São Paulo, quase todos se solidarizando com o ex-treinador antes de São Paulo x Vitória, para desgosto do goleiro tricolor. Que perdeu a cabeça quando viu os companheiros ao lado de seu desafeto. A reação destemperada que teve durante o jogo se explica muito por aí. Ceni fez muito pelo São Paulo, mas que tem um quê de demagogia em suas declarações, tem. Vide o papo de que vai a Minas apoiar o elenco pagando do próprio bolso… E em relação a assumir erros não é só em relação ao episódio da seleção. Sábado, contra o Vitória, ele cometeu pênalti e não admitiu que fez a infração. Insiste que não foi nada e era perseguição do árbitro. Então tá. Infelizmente com o Ceni, ao contrário da minha postura, parece que muita gente vive no clima de amor ou ódio. Deve ser o seu caso.

  • Danilo

    É Janca, quis ser simpático, e recebe um coise desse, kkkkkkkkkk, qta ignorância cidadão!!!. Uma coisa é o q vc pensa, outra é o q outros pensam. Não sou leitor dessa coluna, mto menos amigo do colunista, mais vendo esse comentário, tive de comentar. Vai ler um livro, Neil Neri, estudar, procurar ocupar a cabeça.

    • janca

      Não quis ser simpático, não, Danilo. Quis apenas responder duas perguntas que me foram feitas, uma sobre a eleição no São Paulo e outra sobre o Ceni. O problema é que as pessoas, como coloquei, querem uma resposta tipo A ou B. Quando a vida é um pouco mais do que isso. Um pouco, não. Muito mais do que isso. O ser humano é mais complexo do que algumas mentes pequenas imaginam. Boa quarta pra você, Janca

MaisRecentes

Oposição santista



Continue Lendo

Santos em SP



Continue Lendo

Fuga de patrocínio



Continue Lendo