Culpa de Del Nero



O presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo Del Nero, tem total responsabilidade pelo absurdo calendário e fórmula de disputa do Paulistão-2014 que apresentou antes de ser acuado pelo movimento Bom Senso F.C., que já conta com adesão de 300 jogadores.

Não adianta alegar que é mais complicado reduzir o número de jogos em São Paulo do que em outros estados já que há 20 clubes disputando a primeira divisão. Não é verdade. Não é difícil mudar. Basta alterar a fórmula de disputa, algo que ele deveria ter feito há tempos, escutando clubes da capital e do interior, especialistas em marketing esportivo e os próprios jogadores, além de patrocinadores e emissoras de TV.

O dirigente, que quer se presidente da Confederação Brasileira de Futebol, parece se achar o todo-poderoso, fazendo o que bem entende do futebol paulista, sem discutir o Paulistão e seu formato de disputa, sem falar na participação dos times grandes no torneio, com a sociedade civil e as partes interessadas.

Uma primeira fase em que cada clube faz 19 partidas que praticamente nada valem não interessa a ninguém, nem às emissoras de TV que mostram o torneio e não têm argumentos para motivar o torcedor a acompanhar com interesse o espetáculo. Ficam todos de olho na Libertadores e à espera do mata-mata que define o campeonato.

A pergunta que fica é a quem interessa o campeonato no atual formato? Aos clubes do interior, que vivem com seus estádios vazios, mesmo no Paulistão, não. E sabendo que 2014 seria ano de Copa, por que esperar a formação de um movimento como o Bom Senso para se mexer? Com todo respeito, Del Nero como presidente da CBF seria uma catástrofe. Como é José Maria Marin, de quem é o vice mais velho, e já foi Ricardo Teixeira, de quem Marin era o vice mais velho. Que sina!



MaisRecentes

Seleção magoada



Continue Lendo

O emocional, de novo



Continue Lendo

A cabeça de Neymar



Continue Lendo