Autuori e Luxemburgo



Muitos clubes trocam técnico como se troca de camisa. Várias trocam lembram o seis por meia dúzia, uma forma de dar uma satisfação à galera e, por que não?, aos jogadores insatisfeitos.

No São Paulo, saiu Ney Franco e entrou Paulo Autuori, que começa a ser detonado por parte do conselho, e o time não só não melhorou, como conseguiu piorar. Ainda acho que se safa do rebaixamento, tem muito pelo campeonato pela frente, mas há algo de bem podre no reino da Dinamarca, ou melhor, no do Morumbi, onde Juvenal Juvêncio se perpetuou no cargo ao apoiar mudança no estatuto que lhe deu um terceiro mandato.

Autuori, depois de um trabalho medíocre no Vasco, resolveu abandonar o barco, foi para o São Paulo  e até agora não fez nada, nada, nada. E mantém o discurso empolado que encanta boa parte da mídia esportiva. Em terra de cego…

Mas a derrota de ontem para o Criciúma mostrou, mais uma vez, que a crise no Morumbi é geral. Adalberto Baptista, que voltou à diretoria após ter renunciado ao futebol, detonando Rogério Ceni, que há tempos deixou de ser unanimidade entre os são-paulinos, Paulo Henrique Ganso e Luis Fabiano seguem insatisfeitos e Autuori assiste a tudo passivamente, como se o técnico fosse Ceni, quando não é. Aliás só técnico, não. Ceni parece se achar mesmo o dono do time e do clube.

Ainda no mundo tricolor, agora no carioca, ter trocado Abel Braga por Vanderlei Luxemburgo, o queridinho da Unimed, tampouco surtiu efeito. Depois de péssimo primeiro semestre no Sul, Luxemburgo chegou a peso de ouro, rachou o clube, já que a diretoria do Flu quer sua saída e a patrocinadora, que paga as contas, não, e o time, sem padrão de jogo, luta para não cair. E ainda há quem fale na volta de Luxemburgo para o Palmeiras em 2014, o ano do centenário…

Antes que digam que sou contra trocar de treinador, não é verdade. Às vezes a mudança é necessária e faz bem. Que o digam o Vasco, abençoado pela saída de Autuori, hoje melhor nas mãos de Dorival Júnior, o próprio Grêmio, que progrediu com Renato Gaúcho e o Atlético-PR, com campanha sensacional, sensacional mesmo, nas mãos de Vagner Mancini, técnico promissor e batalhador.



  • Felipe

    Janca, trocas excessivas de técnicos, ao meu ver so servem para amenizar cobrança da torcida… Aliado a isto, gestores irresponsáveis, que dilapidam capacidade financeira dos clubes, sim, porque trocas geram custos, e “novos projetos” requerem investimentos… Isto so mudara quando tivermos seriedade e profissionalismo, mas se falando em Brasil parceiro, difícil acreditar. Estou torcendo mesmo, pelo meu flamengo, por um ciclo honesto, em curva ascendente de profissionalismo!!! Afinal, sou brasileiro, e esperançoso. Rs

    • janca

      Em tese concordo com você, Felipe, embora em alguns casos a troca seja necessária. Mas você lembrou bem a questão das multas contratuais, inacreditáveis. Os dirigentes _alguns, pelo menos_ beiram a irresponsabilidade. Abs. e boa sorte pro seu Mengão, Janca

  • t.

    sinceramente, não sei porque o ganso só anda insatisfeito.

    tem gente que tem a teoria que ronaldinho gaúcho é um bom jogador que atravessou uma fase de genialidade.

    e o ganso? tem criança que já nasceu, cresceu, aprendeu a falar e o jogador, nada de jogar.

    • janca

      E já está há quase um ano no São Paulo. E até agora nada…

    • Zico

      Realmente.. Após a contusão o PH não é nem de longe, mas longe mesmo o que era na copa do brasil!! Até achei que ia melhorar com os jogos com o Galo no morumbi e em Minas e no jogo seguinte contra o curintias.. Mas.. Acho que no fim do ano vai ser vendido pro mundo árabe onde ninguém se mostra!!!

      • janca

        Mas jogando o que tem jogado (quase nada) quem vai fazer a loucura de comprá-lo? Potencial ele tem, mas segue mal assessorado e com muitos problemas psicológicos, o que complica. E isso não é de hoje, Zico.

  • Cleibsom Carlos

    O pior não é a troca de técnicos, acontece que são sempre os mesmos nomes…O mercado brasileiro presica de “novos” professores, basta de Muricy, Abel, Luxemburgo, Autori, etc, etc!!!!

    • janca

      Sobre precisarmos de novos professores com novas ideias, concordo.

  • Toni Paz

    João Carlos,

    Reconheço sua capacidade jornalística, muito bem embasada por sua rica experiência.

    Leio seus blogs que, geralmente são bons, principalmente quando relacionados aos times de SP. Mas quando o assunto é Fluminense, não é a primeira vez que identifico ignorância nos seus textos. Não interprete a palavra “ignorância” como um termo pejorativo. É desconhecimento mesmo sobre o assunto Fluminense. Longe de mim defender o Luxemburgo, mas a troca de técnico no time de Nelson Rodrigues foi uma decisão mais que acertada, porém tardia. O Sr Abel Braga, por quem tenho forte admiração pelo cidadão e grande Tricolor que é, não fez o que deveria ter feito no início de 2013: Reformulação de um elenco acomodado e desgastado. O que o Luxemburgo está fazendo, mas que poderia ser o João, Pedro ou Manoel, é exatamente isso. Só que demora para dar resultados, ainda mais com as sucessivas lesões de inúmeros atletas. Tenho muita segurança para afirmar que Abel Braga é um excelente técnico, mas com prazo de validade que vai de 12 a 18 meses, no máximo. Isso ocorre em função de sua estratégia de parceria incondicional com os jogadores que em um cenário de prazo mais longo leva a acomodação e poucos treinos, limitados âqueles de bola parada. Resumindo: o Fluminense precisava sim trocar de técnico. Pena que o fez tão tarde. Por fim, deixo um pedido ao ilustre jornalista: Trate com mais profissionalismo o assunto “Parceria Flu e Unimed”. Não seja um mero repetidor da mídia Global. Procure saber o que a excelente gestão Peter Siemsen está realizando. Filtre as lendas.

    Um grande abraço

    • janca

      Toni Paz, discordo de você. E não me ofendo com o uso da palavra “ignorância” que você atribui a mim ou a meus textos sobre o Flu. Não se trata de desconhecimento, houve e há muita controvérsia dentro do próprio clube sobre a parceria com a Unimed, que manda no departamento de futebol. Sobre o Luxemburgo, se ele fosse João, Pedro ou Manoel não estaria ganhando uma fotuna sem apresentar resultados. E o Luxemburgo, cujo trabalho acompanho bem, tem um grande defeito de se achar manager ou querer ser manager. Há tempos não faz um bom trabalho, apesar de ter muita capacidade como técnico. Mas se perde querendo fazer outras coisas. Veja no Grêmio. Com complacência da diretoria gremista o time contratou estrelas, gastou muita grana, comprometeu receitas e nada. Demissão na pausa da Copa das Confederações. E o elenco do Flu é muito bom. Se está acomodado tem que levar um tranco, sair da posição em que se encontra. Não adianta contratar estrelas a peso de ouro, como gosto o Luxemburgo, achando que vai dar jeito na coisa. Aliás, antes do Grêmio, a passagem do técnico pela Gávea também deu o que falar. Grande abraço, Janca

      • Toni Paz

        João,

        Talvez eu tenha me expressado mal. Não quis comparar o Luxemburgo com qualquer um. Minha convicção se relaciona ao fato do Fluminense ter acertado em trocar o Abel por outro técnico, ainda que não fosse o Luxemburgo.

        O que não invalida sua análise sobre o Luxemburgo que é perfeita. Embora no Flu, ele não comprometeu nenhuma receita em contratações. Pelo contrário, tem se valido da base que é, reconhecidamente, uma das três melhores do Brasil. Olha aí a gestão Peter se fazendo presente.

        Quanto ao tranco no elenco do Flu, também concordo plenamente. Mas que jamais seria feito pelo paternalista Abel.

        Quanto a questão da parceria Flu e Unimed, concordo que há controvérsia dentro do próprio clube sobre oassunto, o que considero até sadio. O ponto que não concordo é a forma como alguns tratam o assunto que depreciam o principal executivo do clube e, por consequência, o próprio clube.

        Se o vir nas dependências do Fluzão, terei o enorme prazer e a grande honra de te convidar para trocarmos informações fidedignas sobre o FFC.

        Grande abraço

        • janca

          Oi Toni. Só mais uma divergência, pode ser? Antes de mais nada concordo que o Luxemmburgo não comprometeu receitas em termos de contratações, você tem razão. Mas é a gestão Peter se fazendo presente? Pelo presidente do Flu o Luxemburgo não teria sido contratado nunca!!! Quem manda no futebol? E frequentei muito o Flu entre 2004 e 2006. Mas não moro no Rio e há tempos não vou às Laranjeiras. Quando for, será um prazer trocar ideias com você. Grande abraço, João

  • Eduardo Junior

    Pois é Janca, o RC esta conseguindo provar que o NF e Adalberto tinham razão. Ele manda no time, esta em busca de conquistas pessoais, e a mudança, aliás, janca, bem lembrado, o spfc foi o único clube que a mudança piorou o que já estava ruim, como bem lembrado por vc, Atlético, Grêmio, Vasco a mudança foi imediata e crescente, outros como Flamengo e Bahia, teve um bom início, mas não tão crescente como os três primeiros, e como o Adalberto disse, se estivesse com o NF o time estaria em outro patamar.

    Não falo que estaria no G4, e muito menos na briga por títulos, mas acredito que não estaria sofrendo com o Z4, mesmo com o complô armado contra ele, e o mal relacionamento dos atletas contra ele.

    Não que o Paulo é incompetente, mas… a mudança trouxe para o tricolor simplesmente a pior sequência de resultados negativos da história do time.

    Percebo como jogadores que brilharam com o NF, como Osvaldo, Jadson, dentre outros, estão abaixo com o Paulo, e como disse, nem Ganso e nem LF9 estão felizes, ou satisfeito.

    Gostava no NF, ele não tomava partido de jogador, escalava quem estava melhor, o problema q nesse elenco ninguém consegue fazer dois jogos bons seguidos, talvez por isso suas constantes mudanças no time.

    Sei lá, ta osso, o tempo de tolerância com o Paulo esta presta a explodir, teve tempo para treinar, e essa semana foi atípica, pelo desgaste, apesar de reconhecer que armou o time mal.

    como que coloca três atacantes com um time desgastado? Era para cadenciar o jogo, procurar espaças, sem desgaste, era para ter paciência, e achar o momento certo de atacar.

    • janca

      O Ney Franco só não deve estar rindo da situação em que se encontram Ceni e São Paulo porque tem que se preocupar com o Vitória, que acaba de assumir. Mas ele, Ney Franco, também tem culpa. Sobre Ceni, que coisa, mas finalmente muita gente percebeu que tem um lado muito nocivo do goleiro em relação ao São Paulo. E Autuori, queridinho da imprensa, ajudou a piorar o que já vinha bem mal. Abs.

  • Jorge

    Janca,

    Será que já não está na hora de se mudar a forma de tratamento dos técnicos pelos clubes?

    Deveria haver, no meu entendimento, um ” Piso salarial ” para a classe. Funcionaria assim:

    Técnico campeão regional
    Técnico campeão brasileiro
    Técnico campeão da libertadores
    Técnico campeão mundial interclubes.

    Onde o técnico campeão mundial interclubes seria o salário top e os demais seriam remunerados de forma decrescente.

    Luxemburgo jamais foi campeão da libertadores então por que ganhar mais do que os que já foram, por exemplo???

    Se eu fosse diretor de um clube contrataria 4 treinadores recém formados ( para o time principal e para as categorias de base ) e os enviaria para os principais paises da europa ( claro que de forma remunerada ) para um periodo de aprendizado. Findo o periodo, iriam assumir o time ( cada qual em sua área ) e seriam remunerados por conquistas ( como acontece em qualquer empresa atualmente ).

    Um salário de 20 mil reais já é muito além do que ganha 99% da população brasileira mas seria o ponto de partida para um técnico recém formado!

    Para cada conquista, este técnico iria para um patamar superior de remuneração ou poderia ser premiado com bonus por conquista!

    Por que o que ocorre hoje no País é que existem técnicos ganhando fortunas e, com medo de perder a boquinha, colocam seus times com 3 volantes simplesmente para não perder.

    Estamos nivelando o futebol por baixo infelizmente!

    • janca

      Discordo, com respeito, da sua ideia. Seria muita inteferência _e interferência descabida_ no mercado de técnicos. Se clube A quer pagar o que for para o técnico X, problema dele. Abs.

  • Zico

    Não é de hoje que venho falando do ceni..Arrogante,prepotente e se acha dono do SP. Estava claro lá atrás, quando ele se machucou.. O tempo chega pra todos. Acabou.. Só quem não quer ver que ele contrata e manda embora quem ele quer.
    A respeito do Autuori o que ele já ganhou pra ser colocado como técnico de ponta??? 1 liberta e brasileiro??? a mais de 10 anos.. e só!!!

    • janca

      Em relação a encerrar a carreira, acho que isso cabe a ele decidir. E ao São Paulo também. Se interessa ou não continuar com o goleiro. Mas que é pernicioso ao São Paulo, acho que é e há tempos. Lobo em pele de cordeiro. Ninguém queria enxergar… Mas tem suas qualidades. Como jogador, claro, e como pessoa. Nem tanto ao céu, nem tanto à terra (ou ao mar)… Em relação ao Autuori, ganhou o Mundial pelo São Paulo também. Mas deve muito ao Ceni a conquista daquele título. De resto, fala de jeito empolado e a mídia esportiva, medíocre, em grande parte, acaba achando isso o máximo.

  • Janca, boa tarde! Com relação ao Ganso e ao LF, discordo. Com quem eles estão jogando? Mesmo os craques, precisam de alguém “pelo menos do mesmo nível” do lado. Quem é parceiro do LF? Aloísio? fominha demais. Oswaldo? deu sorte de fazer alguns bons jogos, já ganhou oque na vida? e quem joga ao lado do Ganso? não me lembro de ninguém…. O que o SP precisa é de reforços, do mesmo nível de seus principais jogadores, aí sim… Não sou sãopaulino, sou palmeirense, e aceitaria com prazer os dois no próximo ano. Já pensou o Ganso ao lado do Valdívia? e o LF ao lado do Leandro, ou até do Vinícius (que vem crescendo muito e ainda vai se dar muito bem). Quanto ao técnicos, “reza a lenda” que o Palmeiras “ainda” paga salários de Felipão, Luxemburgo e até do Muricy…. Temos bons treinadores jovens com idéias novas. Devemos deixá-los fazer seu trabalho senão serão “institucionalizados” pelos esquemas táticos arcaicos dos treinadores que a imprensa adjudica como TOP’s, que os nossos dirigentes também arcaicos defendem e obrigam o treinador jovem a implantar, como garantia de emprego… e por aí vai…

    • Zico

      Na boa, queria saber o que vcs palmeirenses veem no Valdívia. O cara já mamou todos esses anos do clube. Joga só as finais( 1 jogo também). Essa mania de idolatrarem caras que sugam até o fim ,que levam seus times ao fundo. Ceni é a mesma coisa. Enquanto aqui no Rio o problema maior são os dirigentes aí são alguns jogadores que a torcida idolatra.

    • janca

      Concordo sobre técnicos novos e a necessidade de novas ideias. Nada contra os veteranos, nada mesmo, mas a própria mídia e a torcida os colocam num patamar indevido. Ou parte deles, pelo menos. Sobre Ganso e Luís Fabiano discordamos. Os dois não jogaram nada o ano todo. Não se trata da falta de parceiros, trata-se de falta de equilíbrio emocional (de ambos) e talvez até de vontade. Acham-se mais do que são ou do que têm apresentado em campo.

  • Gustavo Costa

    Sou fanático então não consigo ser imparcial, mas onde que o São Paulo piorou com Autuori? Vc deve estar comparando com o da sulamericana, que tinha o Lucas como 75% do time(Ceni disse isso ano passado e isso foi comprovado ja no 1 semestre). Com Ney o SP não marcava ninguém desde o começo do ano, agora o time esta mais seguro, com o Ganso dando combate e wellington com a cabeça no lugar. E o Autuori treinou só 2 semanas.
    Gosto muito do seu blog, mas desta vez discordo de vc. Também discordo de tudo o q vc falou sobre o Rogério, mas cada um tem sua opinião. Obrigado.

    • janca

      Claro, Gustavo, cada um tem sua opinião. Mas você acha que com o Autuori o time melhorou? Não tem jogado nada. Mesmo contra o Náutico, apesar do 1 a 0, foi um fiasco. Esse ano o time começou muito mal sem o Lucas, com o Ney Franco, e conseguiu piorar com o Autuori, que em quase 20 jogos só venceu duas vezes. Uma piada. E não sinto segurança nenhuma no São Paulo. Em relação ao Rogério, cada um tem sua opinião. Mas muitos de seus colegas e ex-colegas não o acham o máximo. E concordo com o Adalberto Baptista que ele se acha maior que o São Paulo. Quando não é. Abs.

  • Pulga

    Luxemburgo Zé Roela, será que cai com o Flu ou abandona o barco antes como fez com o Palmeiras em 2002?

  • radamantys

    RC pode mandar e desmandar no time desde que seja pra ajudar (coisa que não aconteceu contra o náutico e Criciúma) se o Rogério manda é porq o treinador é fraco os jogadores preferem escutar o RC (isso é fato) o souza que já jogou com o RC já revelou que ele e os demais escutava o RC e ganhavam. E na época que souza e CIA jogavam junto era murici o treinador.
    Paulo Autuori e fraco, apesar do time do SP tbem ser fraco, se vc junta um técnico fraco e um time fraco o que vai dar, um time rebaixado.

    • janca

      Autuori pode ser fraco _e acho que é_ e Ceni tem sido nocivo ao São Paulo, pensando mais na própria carreira do que no clube.

    • janca

      Ah! E o time não acho fraco a ponto de cair. O treinador, sim.

  • francotimao

    Ola, João, infelizmente no Brasil é uma cultura que já vem de muitos anos atras, ta difícil contrata um técnico de “ponta”, mas ao que nos parece notadamente nos últimos tempos os chamados técnicos tops não estão conseguindo “dar conta do recado”, não sei porque razões antigamente parece que resolviam, porém ultimamente os problemas extracampo tem sobressaído a experiencia acumulada destes ‘professores”…Ótimo Fim de Semana!!!…Abs!!!!!!!

    • janca

      Bom final de semana pra você também, abs. João

  • Matheus Brito

    Tem algumas coisas na vida que não entendo. O que levou os dirigentes do Vasco a acharem que o Autuori seria a salvação da Nau? O que o credenciava a isso? pior, depois de todo aquele discurso de palavra, compromisso, pegou o São Paulo, com elenco muito mais qualificado, salários em dia, uma das melhores, senão a melhor estrutura do país, e…….nada. Tudo bem que alguns jogadores no elenco estão jogando com o nome. Mas não se consegue enxergar uma estrutura tática no time. Quem é o time titular? e com todo o respeito ao Rogério, por quê insistir nele cobrando pênaltis nesse momento? simples e pura falta de comando. Obrigado Autuori por ter abandonado o Vasco. As coisas estão se resolvendo por lá e jogadores que com ele estavam para ser negociados (Marlone inclusive) estão rendendo e subindo de produção.
    Janca, como dizia o Eurico(pé de pato mangalô três vezes) “técnico não ganha jogo, no máximo faz o time perder”. Como o Flunimed achou que o Pojeto do Pofexô seria solução para um time que perdeu todo mundo e não contratou ninguém? Como o Palmeira pode estar achando que ele trará um centenário vitorioso ao clube? Enfim, difícil de entender coisas assim.

    • janca

      Difícil de entender mesmo, Matheus.

  • Claudio

    Boa tarde nobre Janca

    O Luxa ja deu provas que o seu tempo ja foi,vejo tecnicos como o do Cruzeiro,do Coxa a chego a conclusão que esse tecnico ja é ultrapassado e so afunda os clubes que ele comanda. O Paulo Autuori mesmo na pessima fase do São Paulo tem restropecto menos ruim em relação com o pofexo..Olha so as quedas da ultimas equipes que ele dirigiu desses ultimos ano pra ca..Luxa tinha que partir pra outra area ja que tecnico ele não é mais..abss.

    • janca

      Penso um pouquinho diferente, Claudio, no caso do Luxemburgo. Acho que ele conhece muito bem o jogo, tem excelente visão tática, mas… Quer ser manager, quer mandar nisso, mandar naquilo e há tempos perdeu mesmo a mão. Achava que estava se recuperando no Sul, no ano passado, mas esse ano voltou a ser uma tragédia só. Pena. Já o Autuori há muito tempo não faz nada. Acho que tem o discurso que deixa a imprensa feliz e só. Diria que é um Lazaroni dos tempos atuais. Não vejo com bons olhos seu trabalho há algum tempo. Depois do Mundial com o São Paulo, em 2005, quando esteve no Brasil o que fez de bom? Quase nada, quase nada… E gosta de dar uma de “professor”. Pelo menos é o que eu acho, Claudio. Abs.

  • Luke

    Eu, nas primeiras rodadas, não apostaria no rebaixamento do São Paulo, mas o 1º turno chega ao fim com o time nessa situação… Sofrendo para ganhar do Náutico (saco de pancada desse campeonato), perdendo pro Criciúma (concorrente direto no Z4) em casa, então não sei não. E tem outra: pro São Paulo sair do Z4, alguém precisa entrar, e hoje, os quatro clubes acima são nada menos que Fluminense, Atlético-MG, Flamengo e Santos. Você acha que o São Paulo vai se safar de boa ou vai lutar até a última rodada? E acha, assim como eu, que mais uma vez um time grande vai dançar? Qual o seu candidato pra substituiu o São Paulo no Z4?

    • janca

      Não faço ideia, Luke. Antes achava que o São Paulo não cairia de jeito nenhum, depois de ontem começo a ficar em dúvidas, mas ainda assim apostaria na recuperação do time. Sobre quem vai cair ainda é cedo para dizer, há todo um segundo turno pela frente e em duas rodadas muita coisa pode mudar. Vide o caso do Criciúma, que estava lá atrás e agora já aparece na primeira parte da tabela depois de duas surpreendentes vitórias fora de casa. E Vitória e Bahia começaram a cair de produção… Aguardemos. Só espero que, no final, a Lusa não esteja entre os quatro últimos.

  • Diego Martins

    Eu sou meio revoltado com a questão diretoria de futebol. Infelizmente no Brasil não tem um time com uma diretoria que pense em futuro, é cada um querendo ganhar seu título de relevância em seu mandato. E infelizmente 90% ou até mais das torcidas apóiam a troca constante de técnicos. Por isso infelizmente nunca teremos um exemplo aqui parecido com o de Arsène Wenger do Arsenal, porque diretoria e torcida não dão tempo de trabalho para treinadores, e consequentemente não acreditam em longo prazo.

  • J.Martins

    Há alguns anos venho falando (e escrevendo) que o goleiro-ancião deveria estar em casa, de pijamas e pantufas, e não nos campos e nos vestiários tumultuando o trabalho de técnicos e dirigentes. Com efeito, qual “professor” impõe respeito ao elenco quando se sujeita a escalar o time de 2 a 8 e de 10 a 11, sabendo que o ultrapassado arqueiro e o “frauduloso” avante são imexíveis??? Quanto ao chamado ganso, trata-se do maior conto do vigário da história do futebol brasileiro, sábia, ainda que tardiamente, vendido pelo “estelionatário” peixe para o “otário” time da zona oeste…..

    • janca

      Não é questão de idade e acho que a hora de parar (no caso do Ceni) não cabe a nós decidir. Mas que ele vem fazendo um mal danado ao São Paulo de uns tempos pra cá, vem. Ney Franco tinha razão quando se referiu ao papel pernicioso que acabou tendo no São Paulo, especialmente neste último ano, mas Ceni também tinha razão ao criticar o trabalho de Ney Franco no São Paulo, que foi péssimo, péssimo, péssimo. Especialmente após a saída do Lucas. O técnico não sabia o que fazer e não deu padrão tático nenhum ao time.

  • Valdir P.Ferreira

    Sou torcedor do GALO, o treinador como produto também tem data de validade. Treinador quando começa a inventar e ir de contra a torcida, tá na hora de pegar o boné e sair. É o caso do treinador do GALO, alguns acham um bom treinador, mas simplesmente confunde um bom moço com a profissão. O Cara faz tudo errado, claro às vezes dá certo, mas só às vezes pois na maioria dá errado. Ultimamente ele insiste em cada uma, por exemplo: a Insistência com o Richarlysson, 99,99% da torcida não quer, mas ele e 0,01% que são a diretoria os conselheiros e comissão técnica, alguns jogadores e mais alguns babacas, torcedores que gostam de ser sacaneados,bancam um jogador que em dois anos de clube fez apenas uma partida razoável, o resto jogou contra o próprio time, todo jogo consegue ser o pior jogador entre todos do jogo.

    • janca

      Tem prazo de validade, sim. Mas esse prazo é muito variável, Valdir. E pode ser longo. A Inglaterra está aí dando exemplos nesse sentido. Alex Ferguson que o diga.

  • Vaz

    Profissionalismo e só. O futebol brasileiro é amador, gerenciado quase como regra por oportunistas e demagogos. Sem isso nada vai acontecer.
    Apenas para completar, me desculpe os são-paulinos mas Ceni pode ser e é, um dos grandes da história do São Paulo mas isso não lhe dá o direito de comportar-se como uma madona ou reizinho. Se quer se meter na politica do clube, que aposente e vá a luta mas misturar a posição de contratado do clube com a de diretor não nomeado jogando para a torcida é que não dá.
    Quanto a JJ… Sem comentários.

    • janca

      Quanto a Juvenal Juvêncio, escreveu bem, Vaz, sem comentários. Que gestão tenebrosa, heinw

MaisRecentes

Contas corintianas



Continue Lendo

Timão em 2018



Continue Lendo

Verdão aflito



Continue Lendo