Corintiano em Brasília



Parece que causou surpresa a notícia de que um dos corintianos presos em Oruro teria participado da briga com vascaínos e PMs no jogo de domingo, no Distrito Federal.

Leandro Silva de Oliveira, conhecido como Soldado, depois de ficar cinco meses e meio detido na Bolívia como um dos suspeitos pela morte do menor Kevin Espada, aparece em fotos e imagens, segundo o “Estadão” e emissoras de TV, brigando durante Vasco x Corinthians.

Qual o espanto? Se ele acabou inocentado por falta de provas, está livre para frequentar estádios e participar de algazarras como tantos outros membros de organizadas, ligadas ao Corinthians ou a qualquer outra agremiação.

O triste é saber que ninguém foi punido pelas brigas de domingo. Quatro corintianos chegaram a ser detidos, mas logo liberados por falta de provas.

Além de Soldado, que é da Gaviões da Fiel, um dos principais integrantes da Pavilhão 9, outra uniformizada do Corinthians, também detido em Oruro teria ido ao jogo no Mané Garrincha, mas, pelo jeito, não aparece nos tumultos.

Agora como esse pessoal tem dinheiro para viajar tanto, não trabalhar (a turma ficou mais de cinco meses detida na Bolívia) e ainda frequentar jogos do Timão, durante a semana ou nos finais de semana, vá perguntar para as organizadas. Ou para os dirigentes de clubes, muitos dos quais continuam atrelados às uniformizadas, vide o que se passa no Sâo Paulo com Juvenal Juvêncio e a Independente.

PS. E anteontem ficamos sabendo, via “Estadão”, que um terceiro corintiano detido em Oruro não só esteve em Brasília, como participou dos tumultos no estádio, cujas cenas dominaram os programas de esporte na TV.



  • Josué

    Janca Bom dia, esses bandidos são financiados pela própria organizada, nem sei se o clube no caso o Timão patrocina digo a vc que nem precisa, imagine a contabilidade da gaviões, acho que não pagam impostos e arrecadam GRANA ALTÍSSIMA, uma festa na quadra quanto arrecadam ? a mensalidade? os produtos Gaviões (sem dar um centavo ao clube)? o dinheiro é muito alto eles não precisam de ajuda de custo do clube…. Abs….

    • janca

      E o que é grave é que, bem ou mal (e diria que mais mal do que bem) a Gaviões vive da marca e do logo do Corinthians. Vive do símbolo do Corinthians. E alguns lucram muito com isso, que virou fonte de receita. Mesmo que não tenham a ajuda direta do clube, têm a indireta. Vá você comercializar algum produto usando o escudo do Corinthians para ver se é permitido. Não vai ser e com razão. Mas para a organizada, sela ela de time A ou B, o tratamento é outro. Abs.

  • Oscar de Melo

    “Organizadas” afastam os torcedores dos estádios.Será que nunca falaram sobre este fato com os dirigentes?Muitos não frequentam estádios por conta do medo dessas brigas,e com razão.Será que o lucro que se tem com esses marginais é tão grande a ponto de ignorarem outros torcedores?Acho que não.Porém o fato é que as “organizadas” contam com grande parte dos eleitores do clube,e precisam deles pra se eleger.Infelizmente.

  • Mario

    o espanto de alguns é bom , mostra q eles ainda acreditam q esses lixos das organizadas podem mudar , são uns sonhadores .

    eu queria entender como falta provas , tem imagem da tv , tem fotos , tem os policiais afinal eles podem testemunhar ocorrido , é uma vontade impressionante da nossa policia em não querer prender esses bandidos .

    como eu já disse aqui o Kevin morreu e nada mudou

    • Josué

      Mario, bom dia, eu sou timão, deixei de ir a estadios desde 94, lembro-me bem de assistir classicos no morumbi, partindo do anhangabau (onibus da CMTC) todos juntos sem brigas…… a coisa se marginalizou muito, são bandidos….. se quiser arrumar a casa, basta pedir antecedentes criminais para TODOS os membros de torcida….eu lhe garanto, 90 por cento tem passagens….ai virá alguém dizer, mas isso ja é feito todos são cadastrados……eu lhe digo É MENTIRA, pois, me filiei a uma torcida organizada e o cadastro é verbal, só querem saber da mensalidade, oque vc quiser numa sede vc consegue …. e se seguir caravanas eles até dão uma ajuda de custo, de droga…. abs

  • artur

    Quando eu falei que esses caras tinham que continuar detidos, servirem de exemplo, falaram que eu era alienado, mesmo sendo Corinthiano, esses caras não representam nem um décimo da torcida corinthiana que se fala em 30 milhões, é mais que uma torcida, é do tamanho de uma nação como a Argentina.
    Agora qual o espanto desses torcedores sendo flagrados em brigas, na minha opinião nenhum, parece que em dia de jogo há uma lei paralela que corre por fora da Lei em vigor, pois o cara não poderiam ser indiciado por lesão corporal, ou formação de quadrilha(pois não estava sozinho), depredação do patrimonio (pubilico ou privado), eu não entendo a falta de rigor no cumprimento da lei em dias de jogos.
    Foi como eu disse na época do caso do menino Spada, a policia boliviana podia até não saber o motivo da prisão, mas eles sabiam o motivo de estarem presos.
    Agora arquem com as consequencias, cadê as organizadas que travaram batalha judicial para tirar um bandido da prisão… por que a própria organizada não o pune? Pois ele foi com a organizada para o jogo, a organizada sabe muito bem o tipo de pessoas que estão nos onibus, aviões ou outro meio de transporte que vão para o jogo, que frenquentam suas quadras seus ensaios.
    Porém a extinção das organizadas não resolve, a Mancha Verde virou mancha alviverde, a Indepente virou Gremio recrativo…. Independente, só muda o CNPJ e a bárbarie continua.

    • janca

      É o que eu pergunto: Qual o espanto de ver esses caras de novo em confusão? E bem ou mal eles foram inocentados, estão livres, que eu saiba zerados com a Justiça e fazendo do torcer uma forma de ganhar dinheiro. Porque ficaram quase seis meses detidos na Bolívia, sem trabalhar, voltam, já “compram” passagem para Brasília, vão ao jogo apesar do preço dos ingressos e brigam. E não se trata da Gaviões ou da Pavilhão 9 apenas. É uma coisa que acontece com outras organizadas, vide as principais do Palmeiras e a do São Paulo o que fizeram recentemente. E não sou contra o funcionamento das uniformizadas, não defendo sua extinção, o que seria arbitrário. Questiono a forma como são financiadas e o comportamento de parte de seus dirigentes. Vide o que aconteceu domingo no DF.

  • artur Matias

    Quando eu falei que esses caras tinham que continuar detidos, servirem de exemplo, falaram que eu era alienado, mesmo sendo Corinthiano, esses caras não representam nem um décimo da torcida corinthiana que se fala em 30 milhões, é mais que uma torcida, é do tamanho de uma nação como a Argentina.
    Agora qual o espanto desses torcedores sendo flagrados em brigas, na minha opinião nenhum, parece que em dia de jogo há uma lei paralela que corre por fora da Lei em vigor, pois o cara não poderiam ser indiciado por lesão corporal, ou formação de quadrilha(pois não estava sozinho), depredação do patrimonio (pubilico ou privado), eu não entendo a falta de rigor no cumprimento da lei em dias de jogos.
    Foi como eu disse na época do caso do menino Spada, a policia boliviana podia até não saber o motivo da prisão, mas eles sabiam o motivo de estarem presos.
    Agora arquem com as consequencias, cadê as organizadas que travaram batalha judicial para tirar um bandido da prisão… por que a própria organizada não o pune? Pois ele foi com a organizada para o jogo, a organizada sabe muito bem o tipo de pessoas que estão nos onibus, aviões ou outro meio de transporte que vão para o jogo, que frenquentam suas quadras seus ensaios.
    Porém a extinção das organizadas não resolve, a Mancha Verde virou mancha alviverde, a Indepente virou Gremio recrativo…. Independente, só muda o CNPJ e a bárbarie continua, e a vida do torcedor comum vira um inferno.

    • janca

      Oi Artur. Já respondi pra você no comentário anterior. Abs.

  • artur Costa

    Quando eu falei que esses caras tinham que continuar detidos, servirem de exemplo, falaram que eu era alienado, mesmo sendo Corinthiano, esses caras não representam nem um décimo da torcida corinthiana que se fala em 30 milhões, é mais que uma torcida, é do tamanho de uma nação como a Argentina.
    Agora qual o espanto desses torcedores sendo flagrados em brigas, na minha opinião nenhum, parece que em dia de jogo há uma lei paralela que corre por fora da Lei em vigor, pois o cara não poderiam ser indiciado por lesão corporal, ou formação de quadrilha(pois não estava sozinho), depredação do patrimonio (pubilico ou privado), eu não entendo a falta de rigor no cumprimento da lei em dias de jogos.
    Foi como eu disse na época do caso do menino Spada, a policia boliviana podia até não saber o motivo da prisão, mas eles sabiam o motivo de estarem presos.
    Agora arquem com as consequencias, cadê as organizadas que travaram batalha judicial para tirar um bandido da prisão… por que a própria organizada não o pune? Pois ele foi com a organizada para o jogo, a organizada sabe muito bem o tipo de pessoas que estão nos onibus, aviões ou outro meio de transporte que vão para o jogo, que frenquentam suas quadras seus ensaios.
    Porém a extinção das organizadas não resolve, a Mancha Verde virou mancha alviverde, a Indepente virou Gremio recrativo…. Independente, só muda o CNPJ e a bárbarie continua.

  • artur MC Jr.

    Quando eu falei que esses caras tinham que continuar detidos, servirem de exemplo, falaram que eu era alienado, mesmo sendo Corinthiano, esses caras não representam nem um décimo da torcida corinthiana que se fala em 30 milhões, é mais que uma torcida, é do tamanho de uma nação como a Argentina.
    Agora qual o espanto desses torcedores sendo flagrados em brigas, na minha opinião nenhum, parece que em dia de jogo há uma lei paralela que corre por fora da Lei em vigor, pois o cara não poderiam ser indiciado por lesão corporal, ou formação de quadrilha(pois não estava sozinho), depredação do patrimonio (pubilico ou privado), eu não entendo a falta de rigor no cumprimento da lei em dias de jogos.
    Foi como eu disse na época do caso do menino Spada, a policia boliviana podia até não saber o motivo da prisão, mas eles sabiam o motivo de estarem presos.
    Agora arquem com as consequencias, cadê as organizadas que travaram batalha judicial para tirar um bandido da prisão… por que a própria organizada não o pune? Pois ele foi com a organizada para o jogo, a organizada sabe muito bem o tipo de pessoas que estão nos onibus, aviões ou outro meio de transporte que vão para o jogo, que frenquentam suas quadras seus ensaios.
    Porém a extinção das organizadas não resolve, a Mancha Verde virou mancha alviverde, a Indepente virou Gremio recrativo…. Independente, só muda o CNPJ e a bárbarie continua. E nada vem sendo fetio….

    • janca

      De novo, Artur, já respondi pra você no primeiro comentário que você fez. Abs.

      • artur

        Desculpa janca, as mensagens não estavam subindo e dava erros de como tivesse caido a internet, ja dialoguei com você várias vezes e essa a primeira vez que acontece.
        Me desculpe novamente

  • Thiago

    Caro Janca, bom dia.

    Só tem um jeito de resolver este problema, punição severa ao clube. E não estou falando de perder mando de campo, jogar com portões fechados e multa. Tem que tirar pontos, excluir de futuras competições, rebaixamento… esta é a unica forma de conter esses marginais.
    Sou Corinthiano, frequento o Pacaembu e acho a festa na arquibancada feita pelas organizadas muito bonita, mas esse tem que ser o limite deles, ganhando ou perdendo pega “as traia” e vão pra casa.
    Agora gostaria de te pedir pra abordar um assunto, esse absurdo de mandar jogos nesses elefantes brancos que foram construidos para a Copa e não tem condições de abrigar um jogo com tamanha rivalidade, existem outros culpados nessa historia toda. Outro ponto é, quem disse que nos estadios as torcidas devem ficar juntas? Isso só serve para jogos de seleções, até em campeonato de clube os pais brigam entre si. No mundo inteiro temos divisão de torcidas, pq forçar a barra aqui no Brasil?
    abs

    • janca

      Juntas ou separadas elas dão um jeito de brigar. Quem vai ao jogo com essa finalidade dá um jeito de fazer confusão. No jogo em que morreu o menino boliviano, as torcidas estavam separadas… Abs.

  • sergio

    Janca… Eu não acho que a punição a clubes tenha algum efeito na cabeça destes indivíduos. Eles vão, brigam, quebram, matam e aí o clube perde 2, 3, 10 mandos de campo. E daí? A punição coletiva sempre é mais branda do que a individual. A punição coletiva não machuca. Eu me dei mal? Tudo bem, nós todos nos demos. Além de abrir precedente para que torcedores de outros clubes se infiltrem em torcida alheia para aprontar. E outra, na cabeça deles, a multa e o não ganho de bilheteria dos clubes nos jogos de portões fechados não faz diferença.
    Sendo assim, creio que só haverá uma melhora na situação quando houver punições individuais. Processo, julgamento, cadeia, punição pecuniária e o sujeito não poder pisar em campo de futebol pro resto da vida. Ahh, mas como proibir o rapaz de frequentar estádio? Simples: Corinthians (no caso) vai jogar, fulano terá de se apresentar na delegacia tal. Não se apresentou e não possui uma justificativa no mínimo plausível? Cadeia de novo.
    O que acha? Talvez muito utópico em um país como o nosso, não?! Infelizmente.
    Abs.

    • janca

      Talvez utópico mesmo… Acho que punir o clube resolve pode até ajudar a mudar a situação, porque revolta o restante da torcida contra esses sujeitos que vão ao estádio para badernar, como parece ter sido o caso desses dois ex-detentos em Oruro. E outra coisa: tem que ser investigada a relação promíscua entre clubes e suas organizadas. Abs.

      • sergio

        Mas Janca, não importa o quanto eu me revolte contra os organizados. O que eu vou fazer? Comprar briga com eles? Quem vc acha que vai correr riscos? Eu ou o tal “Soldado” e sua trupe? Dentro do estádio (posso falar por mim que frequento o Pacaembu), onde costumo assistir aos jogos, se alguém atirar objeto pra dentro do gramado, no mesmo momento vão indicar pro PM mais próximo quem foi o autor da bobagem. Em compensação, ninguém vai querer fiscalizar o que fazem os organizados dentro do estádio. Se eu fizer isso, corro o risco de apanhar pra nunca mais esquecer. (e se apenas apanhar tá ótimo!). Se eu vejo um organizado esconder um sinalizador pra entrar no Pacaembu. O que eu faço? Falo pro policial? Não dá né… A função de fiscalizar as torcidas organizadas é da polícia e do MP. O torcedor comum não deve correr esse risco.
        Se acontece algo e punem o clube com portão fechado, garanto que o torcedor que vai ao estádio ver seu time sai muito mais prejudicado do que os marginais. Eles vão ficar rindo lembrando de como bateram ou mataram o torcedor rival. E assim que acabar a pena, estarão lá de novo no estádio esperando uma chance de fazer a mesma coisa.
        Por isso acho que a pena individual, firme e severa é o único meio de excluir esses indivíduos do nosso futebol. Pena coletiva pune muito mais inocentes do que culpados.
        Abs

        • janca

          Mas mesmo para a polícia é complicado. As pessoas costumam falar mal da PM, por exemplo, claro, há os bons e os maus policiais, como em todos os ramos de atividade, aliás, mas a polícia tem mais o que fazer do que ficar cuidando de marmanjos num jogo de futebol. Sendo que os organizadores e os clubes têm, em tese, lucros e receitas. E nós, consumidores, pagamos o custo da polícia no estádio. Muitos policiais mal remunerados, aliás. Quando em outros setores da cidade também há problemas. Acho que os clubes deveriam arcar com a segurança. E pena individual, firme e severa, concordo com você que seria a saída, mas aí tem que mudar uma série de coisas. Talvez até a legislação. Porque você sabe como é a impunidade nesse país. Enfim, assunto não falta sobre essa questão, Sergio. Mas se fosse te dar um conselho (rs) de fato diria para não discutir com esse tal “Soldado” e sua trupe. Certamente você levaria a pior e ele ficaria leve e solto para encontrar a próxima vítima. Abs.

        • janca

          Só pra completar, Sergio, já até abordei essa questão no blog e numa coluna no LANCE!, eu defendo que os clubes arquem com a segurança dentro dos estádios. Segurança privada. Fora é responsabilidade da polícia. Os clubes e os torcedores têm que sentir no bolso. E os vândalos, como na Inglaterra, punidos de verdade e deixados de fora dos estádios, apresentando-se à polícia em dia de jogos. Abs.

          • sergio

            Eu estou de acordo. E não vou contra a polícia, pelo contrário… Eu imagino o quanto é difícil ela dar conta de milhares de indivíduos dispostos a causar tumulto e ela de mãos atadas. Pq se a PM grita na orelha de um desses anjinhos, a opinião pública (ao menos a maioria dela) critica aos montes.. Pq a PM é despreparada, é truculenta, trata o torcedor como gado, etc etc etc.
            Colocando segurança privada, com o custo 100% do clube mandante, faria bem no ponto que vc mencionou: A PM tem mais o que fazer, além de obviamente, há toda uma cidade precisando do auxilio dela. Mas fora isso, qual seria o limite das ações desta segurança privada? No primeiro tumulto e um torcedor sair ferido, “pau” na segurança privada.
            É difícil a situação… Se o clube der carta branca pra esta Segurança, maravilha, porém, na primeira encrenca, duvido que o presidente do clube vá ficar do lado deles em detrimento dos “torcedores”.
            Ah e outra coisa: essa imbecilidade de extinguir a torcida organizada é um sarro que tiram da cara daqueles que amam o futebol, no caso, a nossa.
            Abs.

  • Thiago Ferreira

    Só o fato de irem a Bolívia, ficarem presos, portanto sem salários, e irem a Brasilia, com ingressos a 160,00 (de acordo com referencia desse nobre vereador classificado, isso sim como violência), e brigarem, escolhendo o risco de prejudicarem financeira, e também técnicamente os clubes que “dizem” torcer, desqualifica qualquer defesa que se pretenda fazer desses vândalos.

    Iguais, aqueles que colocam máscaras e aproveitam-se das passeatas, para saquear, quebrar lojas, incendiar ônibus, etc.

    E, aquelas cenas de torcedores da Indepedente, agredindo barbaramente um torcedor do Flamengo, que só não morreu por sorte, foram dantescas.

    Brigas essas que começaram dentro do estádio, e se estenderam para fora.

    E depois se descobre que todos os envolvidos eram fichados criminalmente.

    E não pensem que punir os clubes, Vasco, Corinthians, Flamengo e S.Paulo, resolva a violência.

    A única coisa que intimida, ou acaba com isso, é retirando esses elementos dos campos de futebol, como fez a Inglaterra.

    Fora! Marginais.

    • janca

      Desconheço a situação financeira dos sujeitos, Thiago, mas como você acho muito estranho ficarem quase um semestre detidos na Bolívia, voltarem e já irem viajar a Brasília, conseguindo ingressos caros, brigando no estádio e provocando toda essa confusão. Não os considero torcedores, talvez “torcedores profissionais”, porque é possível que vivam disso, não sei. O que seria uma lástima. Viver para brigar em estádio? Sobre punição a clubes, é mesmo um assunto polêmico. Talvez ajude porque o verdadeiro torcedor acaba se indignando e ficando contra esses elementos. Mas acho que a punição deveria ser pelo bolso. São eles próprios que bancam suas viagens? Quem os financia? Qual a ligação dos clubes e seus dirigentes com as organizadas? Mas pensar em algo no estilo do que fizeram os ingleses também é interessante. Porque isso não acontece apenas com o clube A. Acontece com o B, o C, o D… O Palmeiras não acaba de ser punido por sua torcida? O papel da Independente no São Paulo já nem comento mais… Mas o problema está no Rio, no Paraná, em Goiás… Não é uma torcida só. São várias. É complicado e um assunto muito sério.

  • francotimao

    Ola, João, esse assunto embora pareça esgotado ( tendo em vista sua repetição) nunca devera sê-lo, uma vez que as mudanças só ocorrerão se insistirmos no assunto até que uma solução definitiva aconteça, até que a justiça se faça, um aparte (embora no assunto) é em relação a punir os clubes pelas brigas dos torcedores me posiciono contra, pois acho inimputável uma pena ao clube por ação de terceiros, ou ainda se isto prevalecer, poderíamos ter torcedores de outros clubes “travestidos” brigando ou fingindo brigar só pra “ferrar” com o time adversário e, em se tratando de Brasil isso seria muito plausível..Abs!!!!!!!!!

    • janca

      Mas os clubes então que se posicionem contra suas organizadas e não as deixem usar o símbolo (do clube) que é valiosíssimo.

  • A resolução disso será a seguinte:

    O tal Soldado receberá uma punição (longe de ser severa), não vai dar nada para o vereador (se alguém achou que daria, pobre diabo), a gaviões vai se segurar aos trancos e barrancos ou talvez esse nome seja extinto e em uma semana eles mudam de nome, CNPJ e afins.
    A situação não muda pq não há interesse. Não há interesse por causa de costuras politicas (clubes, políticos, etc) que não permitem espaço para moralização. Moralizar não trás votos e sem votos não há poder e sem poder vc não é ninguém nesse meio.
    2 décadas atrás eu achava bonita a festa das torcidas com alguns incidentes. De lá para cá a coisa veio descendo a ladeira sem freio. Os clubes fazem vista grossa pq se algum dirigente ir contra e algum opositor oportuno passar a mão na cabeça ele automaticamente está queimado. Vai ser cornetado até o fim do mandato ou o fim da sanidade. Veja o exemplo da Independente com o JJ.
    O Corinthians é conhecido como uma torcida que tem um time e não me recordo da Gaviões ter tomado a posse do time.

    • janca

      Concordo, não muda porque não há interesse e os clubes e seus dirigentes têm medo de peitar as organizadas. São cúmplices e parceiros delas. Sobre o Corinthians, dizem mesmo que é a torcida que tem um time e concordo. Só que penso como você: essa torcida não é a Gaviões. Será que ela tomou posse do time? Não. Os verdadeiros torcedores são outros. Que não vivem do time, ao contrário do que acontece com Gaviões, Independente, Mancha e tantas outras…

  • Marioh

    Janca,
    Acredito que o Corinthians nada financia estes torcedores de organizadas, pois, se eles tem um poder de participar com uma forte escola de carnaval é porque estes são auto financiaveis. A punição a esses individuos deve ser severa. Atualmente a technologia desses novos estádios está desenvolvida para filmar e detectar todos estes bandidos participantes de brigas e a justiça só não pune porque não quer. Tanto os torcedores do Fla x SPFC e Corinthians x Vasco, são todos possíveis de identificação.

    • janca

      Se não financia diretamente, financia indiretamente, porque as organizadas podem usar a “marca” do clube à vontade, sem pagar nada, e lucra muito por conta disso, vendendo produtos, por exemplo, sem ter de licenciá-los. Não se trata de pirataria porque o clube permite e teme peitar as uniformizadas.

    • janca

      E que eles têm regalia, têm. O chamado torcedor comum teria direito a entrar no CT do Corinthians _com permissão da direção do clube, claro_ para conversar com o Sheik sobre a foto do selinho que ele publicou?

    • Thiago Ferreira

      Janca. O Corinthians realmente não dá nada. Isso “organizada” é um ” negócio” altamente lucrativo.
      A Gaviões parece que possui 70.000 sócios contribuintes, e tem filial em um monte de lugares no pais.
      Imagina quanto entra de recursos de mensalidades, e de subvenções publicas davPrefeitura para o carnaval.é orçamento maior do que muitos clubes do pais.
      É um “negocio” quase semelhante a abrir uma igreja.
      Esse “negocio” é tão bom, que a Independente fez a Dragões da Real, a Mancha fez a sua.
      Pagam advogados, pagam artistas para destaques, enfim futebol é fachada.
      A solução é matar no ninho, com leis.
      Por exemplo. “Proibir escolas de organizadas de times de futebol participar do Carnaval”
      A) justificativa? Violência nas avenidas entre rivais.
      Só isso já afeta o bolso e as mordomias desses caras que tem isso como profissão ( como vc. Disse)
      Enfim, extingui-las.
      Dirão: “mas elas voltam com outro nome”
      A) que voltem então, percam seus matérias, jaquetas, etc, e criem outros.
      B) aprontou de novo? Extingue novamente.
      Enfim tornar a vida delas dura, mas dura mesmos.

      E esse vereador, o mínimo que o PT tem que fazer é expulsar por falta de decoro.
      Mexe no bolso também perdendo i salário de vereador, que o povo lhe deu.

      • janca

        Temos algumas opiniões divergentes. Não vejo o porquê de proibir uma torcida de futebol de participar do Carnaval, quando as confusões que vimos na apuração do desfile do ano passado, por exemplo, envolve também escolas que não têm relação alguma com o futebol. Violência no Sambódromo e fora dele outras escolas também fizeram. Então o que vale para uma deveria valer para outra, atrelada ou não ao futebol. Agora os clubes deixarem que as organizadas usem seu logotipo, sua marca, seu símbolo, enfim, aí já é ajudar a financiar a uniformizada. Que sem o clube não seria nada. É o que penso. Aí já dificultaria a vida delas _organizadas_ que pelo que entendi é o que você quer fazer.

        • Thiago Ferreira

          Você está enganado Janca. Essas torcidas fazem da Escola de Samba, uma industria para arranjar dinheiro.
          Com que dinheiro você acha que essas organizadas viajam para o pais inteiro atrás de seus clubes?
          E como tirar o logotipo da torcida? Tem que extingui-la.
          O clube se for pensar assim tem que tirar o logotipo de todos os blogs e sites que vivem do corinthians.
          Proteger a sua marca por exemplo, é cobrar das emissorias de rádio pela transmissão de suas partidas, a exemplo do que fez o atlético do Paraná.
          Veja o simbolo do corinthians aí no lance, indicando o espaço do corinthians, com publicidades atreladas aos cliques.
          Explorar o clube todo mundo explora.
          As torcidas para não explorar tem que ser extintas.
          Que fiquem sócios do clube e não delas.
          um absurdo um cara contribuir para uma organizada, e não para o sócio torcedor do clube, e bater no peito que ama o mesmo.
          Você sabe que a Independente tem mais sócios contribuintes que o SPFC?
          Então!!!

          • janca

            A ligação da direção do Corinthians com as uniformizadas é clara. Organizadas puderam ir ao CT conversar com o Sheik sobre o selinho do qual não gostaram. Você acha que conseguiria entrar para “dialogar” com um jogador? E o título do Paulista e da Recopa o presidente corintiano dedicou, lembra?, aos 12 corintianos presos em Oruro. Tadinhos… Dois voltaram e já foram arrumar confusão em Brasília. Reparou como muitos dos que os defendiam antes agora ficaram meio sem graça? Voltaram ao Brasil como heróis, agora já são chamados por marginais pelos mesmos que antes os viam como coitadinhos. E bem ou mal um deles estava com pólvora na mão e foi encontrado com um sinalizador marítimo semelhante ao que matou o garoto Kevin Espada.

          • Thiago Ferreira

            De qualquer forma, para mim, pegou mal sua “declaração” “O papel da Independente no São Paulo já nem comento mais… ”

            Porque? Qual a diferença, do churrasco do JJ.?

            Se você exclui a independente, então sua critica é seletiva.
            Uma pena.
            E quanto aos briguentos de Brasília, todos, TODOS, são “todinhos”‘ inclusive aqueles que quase mataram de pancada um torcedor do Flamengo.

            Se aquilo prá você é normal, estamos bem de blogueiros isentos.

          • janca

            Não excluo a Independente, estão todas no mesmo saco, ou seja, minha crítica não é seletiva. Escrevi inclusive um post sobre a ligação entre Juvenal e a Independente, que é lamentável. Quando escrevo que nem comento mais é nesse sentido. Todos os vândalos que estiveram envolvidos nos conflitos de Brasília devem ser punidos. São-paulinos e corintianos, não estou fazendo distinção. Mas para quem diz ter dois neurônios parece ser difícil entender.

  • Pedro

    Esse Thiago é muito burro ou não leu seu post, Janca. Janca, você fala de todas as torcidas e o cara não entende. Leia o post do Janca, burrão. Aposto que você é um daqueles que defendiam os marginais de Oruro e não percebe que são organizadas de Corinthians, Palmeiras, São Paulo etc. que fazem confusão. Não é organizada de UM clube, meu. São organizadas de vários. Acorda e leia o post de novo. Se não entender, desista.

    • janca

      Sim, Pedro, veja o que Mancha (que fez o Palmeiras ser punido várias vezes), Independente (cuja ligação com o Juvenal é lamentável) e Gaviões, pra ficar em apenas três organizadas, têm aprontado ultimamente. E o problema não é só em SP ou no DF. No Rio, no Paraná, em Goiás, no Ceará e em tantos outros lugares o que temos visto de brigas entre torcedores uniformizados é brincadeira.

      • janca

        Sobre um ou outro não entender o post (ou nem ler e já ir soltando o verbo) infelizmente acontece.

    • Thiago Ferreira

      Se você acha que eu defendo esses marginais que só prejudicam meu time, o burro é você.
      Você que não leu o que eu escrevi, que “torcida organizada” hoje é um negócio altamente lucrativo.

      Qualquer um sabe disso. De onde que esses caras tiram dinheiro para viajar para todos os estádios?

      Pensam que os clubes dão?
      Estão redondamente enganados.
      Eles tem mais sócios contribuintes do que muitos clubes, e tem filiais em todo o Brasil.
      Arrecadam horrores, pagam advogados e elegem vereadores.
      Recebem verbas do municipio para o carnaval o que é uma vergonha e ninguém critica.

      Dinheiro meu, seu nosso, subvencionando essa industria.

      Leia o que eu escrevi e interprete como quiser.

  • Thiago Ferreira

    “A diretoria do São Paulo já definiu que não dará qualquer auxílio jurídico a nenhum dos três torcedores do clube presos em Brasília por agredirem um flamenguista antes do confronto entre as duas equipes no último domingo, no Mané Garrincha. Um deles, porém, é presidente da torcida organizada Tricolor Independente e saiu em defesa do presidente Juvenal Juvêncio recentemente.

    É Ricardo Alves Maia, de 37 anos, conhecido como “Negão” entre membros da organizada. Há cerca de um mês, Maia e outros três integrantes da Tricolor Independente estiveram presentes em um churrasco na sede social do São Paulo, em que Juvenal discutiu com sócios e conselheiros aliados à oposição. Maia e outros integrantes partiram em defesa do presidente.

    Antes disso, a organizada já havia vetado protesto de torcedores comuns contra Juvenal Juvêncio, no Morumbi. Depois dos episódios no estádio e na sede social, a Independente emitiu nota em repúdio ao ex-superintendente do clube e pré-candidato de oposição, Marco Aurélio Cunha, em comunicado encaminhado a todos os associados ao programa sócio-torcedor do São Paulo, pelo próprio clube. A diretoria tratou o episódio como um erro de um funcionário, e diz já ter resolvido internamente.

    Além de Maia, os outros dois torcedores detidos também são integrantes da organizada. Genivaldo da Silva, 34 anos, e Moisés Oliveira Paulino, 46 anos, foram presos por lesão corporal grave, assim como o presidente da torcida. O trio foi transferido para o Complexo Penitenciário da Papuda, mas foi solto na noite de segunda-feira e está em liberdade provisória. Eles respondem por lesão corporal grave.

    A vítima, o flamenguista morador do Distrito Federal, de 38 anos, teve a mandíbula quebrada a chutes socos e golpes com barras de ferro, além de ferimentos na cabeça, rosto e todo o corpo. Ele passou por cirurgia no Hospital de Base de Brasília e, de acordo com boletim médico divulgado na manhã de segunda-feira, tem estado estável e segue internado.

    Procurada pela reportagem, a torcida Tricolor Independente afirmou que os três integrantes detidos em Brasília não participaram das agressões e não compactuam com o ato de violência. Os três têm antecedentes criminais, assim como a vítima, e foram detidos com base nas imagens do espancamento, segundo a polícia. O trio já está em São Paulo.”

    TODOS COM FICHA CRIMINAL.Ou seja criminosos fichados.

MaisRecentes

Verdão vai às compras



Continue Lendo

Contas corintianas



Continue Lendo

Timão em 2018



Continue Lendo