A tática de Ney Franco



Ao detonar Rogério Ceni e acusá-lo, entre outras coisas, de fritar Paulo Henrique Ganso no São Paulo, Ney Franco tenta minar ainda mais o ambiente no São Paulo e jogar o meia contra o goleiro.

Concordo com o técnico que Ceni extrapolou sua função no clube, tentando interferir até na escalação do time ou nas substituições e jogando a torcida contra Ney Franco, mas no caso de Ganso, não. Tanto que o meia e seu estafe estavam muito descontentes com o treinador, que no início do ano resolveu colocá-lo no banco, como se fosse o responsável pelo mau início de temporada do time.

Caso Ganso à parte _com o próprio Paulo Autuori o meia não vem tendo tanta chance assim, já que tem se mostrado apático demais_ , Ney Franco tem razão quando diz que Rogério Ceni se preocupa muito em quebrar marcas individuais e acaba atrapalhando o coletivo.

O resultado disso tudo, incluindo as brigas entre o técnico e o goleiro, que antes atribuíam a fofoquinhas maldosas da mídia, estamos vendo em campo: perda do Paulista, campanha sofrível na Libertadores, além de estar na zona de rebaixamento do Brasileirão, tendo chegado a ficar 14 jogos seguidos sem vencer.

Apesar da vitória contra o Benfica, sábado, em Portugal, a coisa segue feia pelos lados do Morumbi.



MaisRecentes

Seleção no divã



Continue Lendo

Seleção magoada



Continue Lendo

O emocional, de novo



Continue Lendo