O técnico do Santos



Se eu fosse dirigente do Santos lutaria pela permanência de Claudinei Oliveira, que entrou como interino após a saída de Muricy Ramalho e tem conseguido bons resultados, como a vitória contra o São Paulo e a goleada de ontem contra a Portuguesa.

Claudinei parece ser um sujeito simples, humilde, que entende de bola e fala a linguagem da molecada. Talvez seja disso que o Santos precise no momento, não de um estrelão para ganhar uma fortuna, aumentar a folha de pagamentos e não apresentar os resultados esperados, como aconteceu com Muricy nos últimos 18 meses em que ficou na Vila.

Contratar Ney Franco, que acabou sendo um fiasco no São Paulo, ou Luxemburgo, demitido do Grêmio após um sofrível primeiro semesgre, não é a solução. Pelo menos não agora.

Temos de começar a repensar nossos treinadores e o papel deles no nosso futebol. De vez em quando é bom deixar os professores de lado e é isso que o Santos deveria fazer. Até para se reestruturar. Não tem time para brigar pelo título, longe disso, mas pode fazer uma campanha decente e plantar para o futuro. Com Claudinei Oliveira. Por que não?



MaisRecentes

A matemática do futebol



Continue Lendo

A melhor do mundo



Continue Lendo

Aprender a perder



Continue Lendo