Será que dá?



Será que o Atlético-MG consegue a façanha de vencer o Newell`s por três gols de diferença e avançar para a final da Libertadores?

Acho possível, mas… Se acontecer, será um feito épico.

Possível o Santa Fé, ontem, diante do Olimpia, mostrou que é. Está certo que não conseguiu a vaga depois de perder no Paraguai por 2 a 0, mesmo placar da derrota do Galo na Argentina. Mas em casa fez 1 a 0, sufocou e poderia ter chegado ao segundo gol, pelo menos levando a decisão para os pênaltis.

Se não conseguir a vantagem de três gols,  mas ganhar por 2 a 0, os pênaltis decidirão hoje em BH o outro finalista da Libertadores.

Time por time o do Atlético-MG é melhor. Tem que jogar com a cabeça no lugar, não cair na pilha dos rivais, não rifar a bola, ter calma para organizar as jogadas e transformar o estádio, com apoio da torcida, num caldeirão, como já fez outras vezes.

Uma das vantagens do Newell`s, além de ter conseguido os 2 a 0 no jogo de ida, uma ótima vantagem, é que o time não parou durante a Copa das Confederações, ao contrário do Galo, que ficou apenas treinando, perdendo ritmo de jogo.

Mas é possível. Sei que é o óbvio do óbvio, mas tudo pode acontecer. Difícil até montar uma estratégia. Um gol, para o lado que for, nos primeiros cinco minutos, pode alterar qualquer planejamento. Um erro de arbitragem, também.

Enfim, saberemos à noite se o Brasil terá finalista na Liberta. Espero que sim. Por Cuca e pelo Galo, que merece essa vaga e mostrou que pode jogar um bolão. O que não fez na Argentina, na primeira partida da semifinal, nem no jogo de volta contra o Tijuana, quando só avançou no torneio graças a um milagre do goleiro Victor.



MaisRecentes

Seleção no divã



Continue Lendo

Seleção magoada



Continue Lendo

O emocional, de novo



Continue Lendo