No caminho certo



Com Luiz Felipe Scolari e Carlos Alberto Parreira, que tem tido um papel mais importante que eu imaginava, a seleção parece estar no caminho certo.

Não fez um grande jogo contra o Uruguai, muito pelo contrário, mas a comissão técnica está consciente disso, o que já é um bom sinal. Não tenta enganar o público, como outros técnicos já tentaram, inclusive porque não conseguiria. O torcedor não é bobo, não.

A defesa voltou a falhar em Belo Horizonte, é verdade, o ataque teve problemas, mas Fred, sempre oportunista, marcou o seu e Júlio César fez uma grande partida. E Paulinho tem jogado muuito.

Bem ou mal _e mais para o bem do que para o mal_ o Brasil chegou à final, com quatro vitórias em quatro jogos. E duas contra seleções campeãs do mundo, Itália e Uruguai. Aliás, contanto com o amistoso contra a França, antes da Copa das Confederações, já são cinco triunfos consecutivos.

Pra quem não tinha nem conseguido chegar às semifinais de uma Copa América, ainda sob o comando de Mano Menezes, grande avanço.

E com o apoio da torcida, que tem conseguido separar a seleção dos problemas que envolvem a organização da Copa das Confederações e da Copa-2014.

Ganhando ou não o torneio, a impressão que tenho é de que estamos no rumo certo. E conquistamos não só boa parte da galera como confiança para nos preparar melhor para o Mundial do ano que vem. O que não é pouco, não.



MaisRecentes

O escândalo de Platini



Continue Lendo

Fernando Diniz na berlinda



Continue Lendo

Deuses da Bola



Continue Lendo