Governo acalma Fifa



Preocupado com a reação da Fifa, que mostrou muito incômodo com a situação política no Brasil. o governo tentou tranquilizar a entidade e garantir a segurança não só na Copa das Confederações, mas também no Mundial do ano que vem.

Resolveu aumentar o efetivo policial nas cidades ainda com jogos do torneio e  ampliar a proteção ao redor dos estádios, evitando cenas como as de ataques a ônibus da Fifa.

Aldo Rebelo, um dos ministros convocados para reunião com Dilma Rousseff, ontem pela manhã, é o emissário do governo para serenar os ânimos da Fifa, que teve ônibus atacados por manifestantes e está descontente com os rumos da Copa das Confederações.

O Uruguai reclamou de problemas de infraestrutura enfrentados em seus dois primeiros jogos: falta de local adequado para treinamento, locomoção caótica e dificuldades com o setor hoteleiro. Não reclamou, porém, da segurança, o que têm feito alguns torcedores que não conseguiram chegar aos estádios por conta dos protestos.

Já Joseph Blatter mudou sua programação e avisou que ia deixar o Brasil rumo à Turquia. Lá o presidente da Fifa assistiria à abertura do Mundial Sub-20.

O temor do governo é que a revolta da população que começou contra aumento de passagem de ônibus adotasse como nova causa algo como “Fora Copa do Mundo”.

Até por isso a presidente da República, em seu pronunciamento à nação, tentou justificar os gastos com o Mundial, que têm sido contestados nas manifestações, e pediu para o brasileiro acolher bem o estrangeiro que virá ao país acompanhar a Copa do ano que vem.



MaisRecentes

A matemática do futebol



Continue Lendo

A melhor do mundo



Continue Lendo

Aprender a perder



Continue Lendo