Vaias pra Dilma



Talvez o que mais tenha chamado atenção na abertura da Copa das Confederações tenham sido as vaias para Dilma Rousseff, que acabou socorrida por Joseph Blatter, presidente da Fifa com quem viveu às turras na organização da Copa.

O apupo partiu dos endinheirados que conseguiram entrada pra ver Brasil 3 x 0 Japão. O povão mesmo ficou do lado de fora. Mas também protestando, em manifestação contra a corrupção e o uso abusivo de verbas públicas em estádios para a Copa das Confederações e o Mundial do ano que vem.

Em campo, o Brasil jogou bem. Fez o suficiente para estrear com uma boa vitória e ganhar confiança para a sequência do torneio. Sem falar que Neymar voltou a marcar, um golaço logo aos 3 minutos de jogo. Foi, a meu ver, o principal jogador da seleção no primeiro tempo.

Uma boa vitória, mas, ao contrário do que tentam vender alguns veículos de comunicação, a festa não chegou às ruas. O que talvez seja bom. O clima de “Pra frente Brasil”, afinal, tem um quê de superficial. E bota “quê” nisso…



MaisRecentes

Seleção no divã



Continue Lendo

Seleção magoada



Continue Lendo

O emocional, de novo



Continue Lendo