Violência em foco



Parte dos jornalistas estrangeiros que vieram ao Brasil para a Copa das Confederações foi deslocada para cobrir as manifestações de ruas contra o aumento das passagens de ônibus.

Mesmo fora da Copa das Confederações, São Paulo, que ontem viveu o quarto dia de confronto entre manifestantes e policiais, será palco de abertura do Mundial de 2014 e dividiu as atenções da mídia internacional com o protesto no Rio, sede de Itália x México já no domingo.

O dia de fúria, que transformou o centro das duas principais cidades do país em praças de guerra, chamou a atenção da imprensa internacional, que destacou os confrontos, prisões de jornalistas e a insatisfação popular com nossos governantes, sejam eles do PT, PSDB ou PMDB, os três maiores partidos do Brasil.

O “Wall Street Journal”, por exemplo, fazia uma análise de que a mobilização, que em tese era contra o aumento das passagens de ônibus, é muito maior que isso e reflete o descontentamente da sociedade com a condução da política econômica do país, cada vez mais claudicante.

 A Anistia Internacional também se manifestou, preocupada com possíveis abusos e truculência na reação policial e com o trabalho da imprensa, que estaria sendo cerceado, na cobertura dos protestos.

Cenas de vandalismo de alguns  manifestantes, que picharam ônibus, atiraram pedras em agências bancárias e estações de metrô e tentaram destruir patrimônio público em São Paulo e no Rio, também ganharam o mundo. Bem como a ação da polícia, marcada pela violência.

Fortaleza e Salvador, duas das seis cidades com jogos da Copa das Confederações, também vivem situações tensas e protestos pedindo segurança pública já. No caso da capital baiana, o caos agravou-se nos últimos dias nos sistemas de saúde, transporte e limpeza pública, que sofreram paralisações.

Apesar de tudo o governo federal tenta passar tranquilidade e a imagem de que o país segue em paz. Tanto que Dilma Rousseff dizia que o Brasil será um exemplo de segurança durante a Copa das Confederações. E fora dela?



  • Cleibsom Carlos

    Janca, para mim as coisas estão claras…Estes protestos não têm nada haver com o preço da passagem, o que os manifestantes querem é a visibilidade que a proximidade da Copa das Confederações oferece. Não sei o que estes movimentos têm à dizer com essa exposição toda, seja em qualquer estado brasileiro educação, saúde, segurança e habitação estão um caos, mas o que me irrita é que mesmo nessas ocasiões lá vem a mídia preocupada com o próprio rabo bradando “Liberdade de Imprensa”. Por que esta mesma mídia não dá o devido destaque aos escandâlos e desperdício de dinheiro público envolvendo a organização da Copa? Ou ao abandono que a população brasileira se encontra dos serviços básicos? Esses movimentos já sabem que esta mídia que clama por “liberdade de imprensa” não está do lado deles e talvez este seja o início da radicalização…

    • janca

      Claras não acho que estejam. Não acho, por exemplo, que os manifestantes tenham pensado, pelo menos no início do movimento, na questão da proximidade da Copa das Confederações. E há manifestantes e manifestantes, não dá pra colocar todos num bloco só. O mesmo serve para a mídia. Parte dela, aliás, deu bom destaque à questão dos escândalos e deserdício de dinheiro público, sim, seja para a organização da Copa das Confederações, seja para a da Copa do Mundo. Idem quando aconteceu o Pan de 2007, que foi um escândalo em termos de orçamento e legado, e espero que os Jogos de 2016 sejam bem fiscalizados. Pela imprensa, pelo cidadão e pelos setores responsáveis.

      • Cleibsom Carlos

        Janca, uma coisa é a postura deste jornal quanto à festa com o dinheiro público na organização da Copa, outra é a da Rede Globo, da Folha, da Veja, etc, etc…Sem querer ofender, mas a verdade é que o alcance do Lance é limitado, não nos iludamos, vocês são praticamente independentes, estão no mesmo nível de uma Caros Amigos, por exemplo. A verdade é que a população brasileira não aguenta mais este noticiário ufanista como se vivêssemos em berço esplêndido. A realidade está dura aí fora, meu amigo! A postura do Lance é diferente, mas perto dos tubarões este jornal desaparece e não tem importância nenhuma para fazer as coisas repercutirem além do nicho esportivo, infelizmente.

        • Lacerda

          Concordo, a realidade do povo brasileiro é bem diferente das publicidades do governo do PT no território nacional, e do PSDB em Minas Gerais. Nesse realidade paralela tudo é bonito, cheio de bolsa demagogia. Se pudesse viveria dentro das publicidades desses dois governos, onde tudo é maravilhoso. Lá não existe mensaleiros, a escola pública é ótima, não existe temporada de caça a policiais, os impostos são revertidos para o benefício do povo e a companheirada não fica mamando nas tetas do gov. Mas a nossa realidade é bem diferente. Índios em guerra com fazendeiros, “luta” em capitais para abaixar o preço de passagem, MST destruíndo fazendas e bandidos em guerra contra o cidadão comum, que precisa esta sempre com dinheiro no bolso para não ser assassinado. Parece que a guerra civil bate as portas do país do futuro. Fora da Globo o mundo é mais parecido com o divulgado pelo Datena.

        • janca

          Com todo respeito, Cleibsom, a “Folha” tem tratado muito dessa questão, a festança com dinheiro público na organização da Copa. O “Estadão” também.

          • Cleibsom Carlos

            A notícia se torna importante a partir do destaque que o veículo dá a ela…Não adianta nada noticiar algo no rodapé da 1ª página e eu acho que é isto que estes jornais estão fazendo com os escândalos relacionados à Copa no Brasil. A coisa é tão escancarada que estes jornais são “obrigados” à noticiar, mas as investigações não são feitas com a devida vontade!

          • janca

            Mas a “Folha”, por exemplo, deu enorme destaque à história da compra da nova sede da CBF. Um dos problemas talvez seja, Cleibsom, que há tantos escândalos que eles não têm depois o devido acompanhamento (o famoso “que fins levou o caso”) por parte da própria imprensa. E um vai jogando o outro para o pé da página.

          • Cleibsom Carlos

            Entendo o que você diz, Janca, mas a compra da sede da CBF não tem nada haver com a organização da Copa. A Folha sempre foi anti CBF, daí o destaque nesta notícia. Fico com a impressão de que como não é possível acusar apenas o PT nos escândalos da copa, porque o PSDB também está atolado neles até o pescoço, a mídia praticamente ignora o que está acontecendo. A polarização que existe na imprensa entre PSDB X PT está prejudicando a notícia há muito tempo, um fato só é divulgado quando um deles entra como lobo e o outro como cordeiro e vice-versa…

          • janca

            Não é que a “Folha” seja contra a CBF, é contra (e desde os tempos em que eu trabalhava lá era assim) a forma como a entidade era administrada por Teixeira e continua sendo pelo Marin. No caso da organização da Copa muita coisa foi publicada, sim, e por vários veículos de comunicação sobre o preço das obras, por exemplo. Sobre o que não está sendo feito em termos de infraestrutura, mobilidade urbana etc. etc. etc. Concordo que há uma polarização em termos de PT e PSDB que pauta parte da mídia, já que ela também tem suas preferências partidárias. Mas no caso da Copa não vejo isso, não. Talvez um pouco no caso da empreiteira Delta e o Maracanã… Não sei. Não vejo assim. Inclusive nesse movimento em SP contra as tarifas, que acaba deixando Haddad, que é do PT, e Alckmin, do PSDB, ambos na berlinda.

  • @R9Sal

    Uma hora cansa ser cordeirinho, povo pacifico, e pagar uma das cargas tributárias mais altas do mundo enquanto recebe em troca, violência, esperar um ano pra ser atendido no SUS, ser lanterna mundial em educação, transporte caro e sucateado, transito, inflação corroendo o salario, deputados ganhando salários astronômicos, etc.

    Provavelmente o efeito colateral da Copa do Mundo com seus estádios faraônicos e muitos deles, verdadeiros monumentos ao desperdicio de dinheiro, tenha funcionado como catalisador para essas revoltas que estamos vendo.

    • janca

      Eu acho que seja mais ou menos por aí, R9Sal, embora não acho que a Copa do Mundo tenha sido um catalisador para os protestos, que ainda não estão claros. A revolta, certamente, não é só com a questão do preço dos ônibus. Vou mais pela tese levanta pelo “Wall Street Journal”. A revolta é maior. E reunir de 5 mil a 15 mil pessoas para tentra chegar à Paulista e parar São Paulo não é pouca coisa. Indica, pelo menos, algo. Ou deveria sinalizar para nossos governantes. No caso de São Paulo, Haddad, mesmo que seja considerado um poste pelo próprio Lula, Alckmin, um fiasco como governador, e Dilma, que tem metido os pés pelas mãos quando se trata de economia.

  • Mario

    sera q a Dilma e cia mandara distribuir brioches ao povo ? adoraria ver nossa classe politica na guilhotina.

    vendo a corrupção q existe no nosso pais eu achava q era estranho não termos atos de revolta.

    infelizmente se faz necessario no Brasil uma revoltada p/diminuir o nivel corruptos no poder e a Copa e Olimpiadas poderiam ser um marco p/isso e realmente ser um legado , mas bem diferente do q os politicos atuais gostariam , mas acho q é só um sonho e logo o povo se afogara na politica do Pão e circo novamente.

    • janca

      Fazia tempo que não via manifestações como as de ontem. E em São Paulo já é a quarta. O que lastimo _e aí é caso para outra esfera_ são os atos de vandalismo contra patrimônio público e privado. Isso é lamentável e caso de polícia mesmo. Mas há manifestantes e manifestantes, como disse anteriormente.

      • Mario

        complicado , é muito raro ter mudanças e não ter esse tipo caso no processo , para as coisas mudarem isso tem q acontecer faz parte e não adianta ficar horrorizado.

        quando se quer mudanças não se pode ser muito civilizado tem q ser um pouco mais selvagem , um dia o ser humano podera fazer mudanças sem selvagerias , mas não sera tão cedo.

        • Lacerda

          A sugestão da guilhotina é boa. Vai fazer fila de dobrar os enormes quarteirões de Brasília e de diversas capitais brasileiras. No Brasil se fala em pena de morte e de diminuir a maioridade penal. Melhor seria pena de morte pra corrupto. Não precisaria de cadeira, guilhotina e nem pelotão de fuzilamento. Bastaria proibir o uso de plano de saúde por parte do políticos, e obrigá-los a utilizar o sistema de saúde pública.

        • janca

          Eu não vejo assim. O movimento Diretas Já, por exemplo, ou o contra o Collor não foi marcado pelo vandalismo. É que há muitos grupos protestando, a insatisfação é grande demais, o aumento das passagens, tenho a impressão, foi só um pretexto para a manifestação. E a truculência da polícia ontem foi absurda. Gerou mais violência.

          • Mario

            o Diretas já não foi aprovado pelos Dep. e o contra o Collor sabemos que ele caiu por q quis roubar sozinho entre outros motivos e o status Quo foi mantido sem mudanças.
            .
            agora as revoluções Francesa , Russa , Cubana,Chinesa , egípcia ,Líbia e a guerra civil Americana foram manchadas de sangue e de mudanças reais p/o bem e p/o Mal .

            bom policia é truculenta no mundo inteiro e precisa evoluir muito em todos os sentidos , lembrando q Estadão noticiou q de 100 crimes graves só 3 ouve pressões em media no estado de SP .

            http://www.estadao.com.br/noticias/geral,delegacias-de-sp-prendem-3-a-cada-100-crimes-graves,1040772,0.htm

          • janca

            Não é questão de o Diretas Já ter passado ou não nem de como o Collor caiu. Falo das manifestações, que não tiveram o vandalismo que vimos nas de SP ou Rio por conta da passagem de ônibus. Sobre a notícia do Estadão a questão é outra e envolve o clima de insegurança pública e impunidade que vivemos. E acho que isso também está por trás das manifestações que temos visto. Há uma insatisfação generalizada e um recado aos políticos, muitos dos quais talvez sigam cegos, surdos e… Mudos não porque ainda os vemos em propagandas e horários políticos prometendo isso e aquilo.

  • Flavio

    Dilma e cia estão provando do próprio veneno… administrar a estratégia do caos só que agora jogando contra.

    Fizeram isso até tomar o poder… e quando chegaram lá, o que foi feito ? EXATAMENTE as mesmas coisas que se fazia até então.

    Nada como deixar de ser tijolo, para virar vidraças, e das bem frágeis, para aprender o que é bom pra tosse.

    Abs

  • Flavio

    Mas vamos falar de futebol… ainda não internalizamos a cultura do sistema de pontos corridos.
    Cada jogo, mesmo os iniciais, são importantíssimos, pois valem os mesmos tres pontos que os jogos da reta final.

    Ja estamos cansados de saber que 1, 2 ou 3 pontos, são a diferença entre um clube que entra na Libertadores e o primeiro que fica de fora, 1 ou 2 pontos já foram a diferença entre o time que caiu para a segunda divisão e o último dentre aqueles que escaparam…
    Até o título ja foi decidido por 1 mísero ponto, como em 2009 quando o Gremio entregou o jogo para o Flamengo (escalação com reservas na fipartida final, mais uma orientação direta por leitura labial na substituição para não se chutar mais a gol nos últimos 15 minutos do jogo), só para o Inter não se sagrar campeão brasileiro.

    Então, alguns vacilos de agora, custarão muito caro nas últimas rodadas do Brasileirão.

    Jogar para empatar fora, além de ser o caminho mais curto para perder o jogo (geralmente com gols aos 40 min do 2º tempo), faz o clube desperdiçar a chance de abocanhar 3 pontos preciosos na tabela.

    Por isso, times que jogam um futebol agressivo, dentro e fora de casa, aumentam suas chances de acumular pontos fundamentais para o campeonato.

    Notem que os papa-títulos sempre jogam para ganhar, mesmo fora de casa, como Chelsea, Manchester United, Machester City, Barcelona, Real Madrid, Bayern, Porto, Juventus, etc…

    Quando perderemos definitivamente o medo de jogar na casa do adversário?

    • janca

      Vamos lá. Nâo sei se não internalizamos o campeonato por pontos corridos. O que acontece é que alguns clubes erram na estratégia ou acreditam no velho pensamento de que no final tudo dará certo. Quando nem sempre é assim. Perder dois ou três pontos na primeira rodada é complicado. Afinal, como você bem diz, o campeonato é por potnos corridos. Veja o que aconteceu com o Palmeiras no ano passado. Deixou o torneio de lado para se dedicar à Copa do Brasil e caiu. O Atlético-MG, com apenas quatro pontos em cinco rodadas, terá dificuldades para se recuperar na competição e chegar entre os quatro primeiros. Perdeu 11 pontos que podem fazer muita falta. E concordo sobre sua tese de que jogar pra empatar fora pode ser o caminho mais curto para um time perder o jogo. E deixar de tentar conseguir três pontos. Foi o caso da Lusa, que jogou pra empatar em São Januário, nada criou, quando poderia, se tivesse se arriscado um pouco, até ter vencido o jogo, e numa infelicidade de seu goleiro perdeu três pontos para o Vasco. Na ocasião eu já dizia que tinha de se arriscar mais. Tentar os três pontos, que podem fazer a diferença na tabela. Especialmente fora de casa.

  • César

    Janca,

    Eu só tenho uma coisa a dizer:

    QUE ORGULHO DESSA GENTE QUE ESTÁ INDO ATRÁS DOS SEUS DIREITOS !

    Revolução já ! Vamos parar esse país e mostrar que nossa geração não é acomodada e não vai mais servir de palhaço para o governo.

    • Lacerda

      Acho pouco provável. Depois da geração coco-cola, vivenciamos a geração facebook, onde o mundo é tão bonito e maravilhoso, como nas propagandas políticas do PT e do PSDB. Pra revolução começar a acontecer ela terá que ser marcada pelo facebook. Tomara que muita gente “curta” e “compartilhe” seu pensamento. Como vc disse: Revolução já.

      • Andre Luiz

        César é mais um dos revoltadinhos que querem mudar o mundo em blogs e comunidades virtuais. Faça como a maioria dos estudantes filhinhos de papai da USP, que ainda acreditam no comunismo e vão mudar o mundo a base de hipocrisia, maconha e depredação do patrimônio publico. Esse país é uma vergonha devido ao comportamento de seu povo, manifestam contra aumento de passagem, mas engolem Mensalão. Odeio Hippies e estudantes que entram em uma faculdade para participar de grupos políticos, ao invés de estudar e deixar esse discursinho socialista regado a drogas que não leva a lugar nenhum.

        • César

          André, eu revoltadinho ou você alienado ?

          Faça-me o favor ! Revoltado está o brasileiro com o governo.

          Em primeiro lugar, tente entender o porquê da manifestação, não são SÓ pelos centavos a mais na passagem:

          http://super.abril.com.br/blogs/crash/a-gota-que-faltav/

          Depois que você entender sobre o que está acontecendo, procure matérias em que a Policia quebra a própria viatura, assista o video que um jornalista foi espancado pela policia e depois forme uma opinião sobre o assunto.

          O governo está tirando o foco da coisa, usando a policia para transformar um manifesto em ato de violência e depredação. Enquanto isso você está ai julgando quem luta por alguma coisa nesse país só porquê a mídia diz que são bandidos e que é ato de violência.

          Violência é um deputado ganhar 15 mil por mês e o professor dois salários mínimos.

          Bandidos são esses que se escondem atrás de um microfone, terno e gravata o para roubar e desviar dinheiro público.

          Não se deixe enganar.

        • augusto t s

          André Luiz, o César não é nenhum “revoltadinho”, ele é revoltado com a questão social, política e econômica brasileira, assim como milhões de brasileiros… e você não passa de um alienado e acomodado.

      • Césae

        Com todo respeito,

        O mundo não é bonito e maravilhoso não e quem citou isso aqui foi você.

        Tomara sim que existam muitas pessoas usando uma ferramenta como Facebook para disseminar informações uteis a sociedade.

        O que a Tv não mostra a internet ajuda a informar o cidadão para que não cresça alienado como as gerações pós ditadura que engolem sem ao menos tentar digerir o que a Tv impõe que você acredite.

        Enquanto você está ai banalizando um ato de protesto existe uma ‘geração facebook’ lutando pelo direito de todos.

        É uma vergonha pessoas como você.

      • César

        Com todo respeito,

        O mundo não é bonito e maravilhoso não e quem citou isso aqui foi você.

        Tomara sim que existam muitas pessoas usando uma ferramenta como Facebook para disseminar informações uteis a sociedade.

        O que a Tv não mostra a internet ajuda a informar o cidadão para que não cresça alienado como as gerações pós ditadura que engolem sem ao menos tentar digerir o que a Tv impõe que você acredite.

        Enquanto você está ai banalizando um ato de protesto existe uma ‘geração facebook’ lutando pelo direito de todos.

        É uma vergonha pessoas como você.

    • janca

      Os protestos são legítimos e acho que o movimento é interessante. Pra quem dizia que brasileiro dizia amém pra tudo… Podemos mostrar que não temos uma geração acomodada, mas desde que não parta para o vandalismo, como aconteceu ontem e em outras das manifestações contra o aumento de passagens, César. Pelo menos é o que penso.

      • Derci

        Janca, nestas passeatas quem começou a baderna foi a polícia e não os manifestantes, eles só revidaram as agressões sofrida e não foi só nesta quinta que a policia começou , foi todos os dias

        • janca

          Nessa quinta a ação absurda (para não usar outro termo) de alguns policiais ficou evidente por determinadas imagens que pudemos ver. Agiram com violência injustificada contra populares e jornalistas, abuso de autoridade, truculência… Mas nunca gosto de generalizar. Só que, por outro lado, também vimos imagens de manifestantes pichando ônibus, depredando patrimônio público, flagrados com pedras… E também neste caso não gosto de generalizar. Porque havia manifestantes e manifestantes. Há os que vão pra protestar legitimamente e infelizmente havia os que vão por outras razões, entre as quais está a prática da violência “escondidos” na multidão. Por isso é preciso muita calma nessa hora. Dos dois lados, claro.

  • joe LHP

    Vc cita apenas o vandalismo por parte dos manifestantes mas esquece que a PM iniciou a maioria dos confrontos incitando a violência, foi uma coisa tão absurda que até os jornais conservadores noticiaram a truculência da policia, manifestação pacifica é utopia todos nós queremos mas o governo sempre vai reprimir de uma forma ou outra, não é com curtidas no facebook ou assinaturas no avaaz q vamos mudar esse pais.

    • janca

      A PM agiu com truculência várias vezes, o que é um absurdo. Acabou gerando mais violência, o que não signfica que não tenha havido, nessas e nas outras manifestações, vandalismo por parte de alguns manifestantes. E você dizer que manifestação pacífica é utopia não é verdade. No Rio acompanhei algumas _em São Paulo idem_ contra a violência que não tiveram atos de vandalismo como os vistos nas manifestações de agora. Mesmo as manifestações contra o Collor, por exemplo, atos em favor das Diretas Já, que eram monstruosas, não tiveram a truculência _dos dois lados (alguns manifestantes e alguns policiais _não gosto de generalizar)_ de ontem. Ah! E enfatizei no texto, depois do seu comentário, que imagens da reação violenta da polícia também ganharam o mundo. Assim como cenas de vandalismo por parte de alguns manifestantes. Que atingiram patrimônio público e privado.

  • francotimao

    Ola, João, tbm não consigo ver nessas manifestações um cunho de oportunismo com relação a Copa do Mundo, pode ser q haja, mas não consigo ver claramente essa intenção, vejo sim, um povo já cansado de propaganda do governo “mostrando” q o País esta as mil maravilhas, q a crise mundial foi só uma marola, a realidade nas ruas esta longe dos discursos demagógicos do governo atual e diga-se de outros anteriores tbm, a crise não é partidária, mas com certeza os governo perderam grandes oportunidades de ao menos formar um fundo financeiro ao longo desses anos, haja vista q o opressivo e caríssimo imposto q pagamos vem de longos anos e oposição ou situação depois q esta no poder “senta em cima” do problema e prefere esconder as mazelas “pagando seu tributo” através de “programas” como bolsa família, seguro desemprego, bolsa gaz, bolsa luz, etc…, mas parece q o povo e os estudantes q sempre serão aqles q estarão na vanguarda das mudanças acordaram, uma vez q a OAB q deveria ser o “ombro” ou o braço do povo, se omite descaradamente…Abs!!!!!!!!

    • janca

      Também não vejo ligação direta com a Copa nem com a Copa das Confederações, mas manifestações _São Paulo deve ter a quinta na segunda que vem_ vão coincidir com o torneio. E dividir as atenções com ele.

  • Rogerio

    Me desculpe mas não acho que pode ser configurado como protesto indivíduos que vão para as ruas com:

    Cocktel molotov, paus, pedras, facas, estiletes, mascarras!!!!

    São vândalos simples assim, com o pretexto de uma causa nobre, depredam, roubam, agridem, enfim cometem todo tipo de crimes e ninguém faz nada!!!!!

    Evidentemente todos deveriam serem presos, são vândalos.

    Dêem uma olhada e procurem algum pai de família que tem que acordar as 5 da manhã para trabalhar, veja se algum deles está nesses “protestos”.

    Evidente que não, o cidadão de bem que cumpre suas obrigações, trabalha para sustentar sua família é prejudicado por esses bandidos travestidos de manifestantes.

    E os hospitais da região da paulista, façam uma pesquisa e vejam as milhares de pessoas que não puderam ter um atendimento médico por culpa desses baderneiros!!!

    Me desculpe mas protesto é legitimo, mas baderna e quebra-quebra é coisa de bandido.

    Lamentável é ver pessoas que defendem essa prática!!!!!

    • janca

      O direito de protestar é legítimo. O de depredar, atirar pedras, destruir patrimônio público ou privado, enfim, que não.

    • Derci

      Voc~e quis dizer “Marionetes” né, quem não luta pelo seus direitos mas depois os usufrui pela luta dos outros pra mim são todos covardes, se você não quer lutar junto e acha que quem ta lutando é baderneiro , quando vierem as melhorias por causa da luta destes “baderneiros ” você tem de abrir mão destes beneficios

      • Rogerio

        Cara Derci Gonçalves, me desculpe mas quem sai as ruas com paus, pedras, bombas, facas, rouba, agride e quebra é BANDIDO, não manifestante!!!!

        Simples assim!!!!

  • t.

    bem, agora a cervejaria sabe como promete ser a festa na copa.

  • Adriano

    Está claro que a situação econômica e social do País não está e nunca foi um mar de rosas. Necessitamos de tudo e estamos longe de sermos de primeiro mundo. Lado outro, já estivemos melhores, em que pese, a estagnação econômica que vivemos. Todavia, resta claro que estes manifestantes estão aproveitando a presença da mídia internacional para protestarem.

  • augusto t s

    O aumento das passagens foi apenas o estopim dos problemas sociais, políticos e econômicos que, ano após ano, vem se acumulando no Brasil. Questões como a saúde, educação, violência, segurança, habitação, meio-ambiente, corrupção, baixos salários para o cidadão comum e salários exorbitantes às elites possibilitam o enrijecimento dos movimentos sociais. Como querer a paz em um país que não há distribuição de renda, onde imperam as máfias e corruptos. Nossas elites política e econômica sempre viraram as costas aos problemas sociais da população; acumularam muita riqueza e sempre detiveram o poder, mas jamais tiveram a capacidade de investir na formação do cidadão brasileiro, pois a busca sempre foi pela discriminação, privilégio, fama e poder. Portanto, as contradições vão se acirrando enquanto que restará à população a conscientização e união para a luta na conquista de seus anseios.

    • janca

      Também acho que foi a gota d`água, digamos assim.

MaisRecentes

Contas corintianas



Continue Lendo

Timão em 2018



Continue Lendo

Verdão aflito



Continue Lendo