Violência em foco



Parte dos jornalistas estrangeiros que vieram ao Brasil para a Copa das Confederações foi deslocada para cobrir as manifestações de ruas contra o aumento das passagens de ônibus.

Mesmo fora da Copa das Confederações, São Paulo, que ontem viveu o quarto dia de confronto entre manifestantes e policiais, será palco de abertura do Mundial de 2014 e dividiu as atenções da mídia internacional com o protesto no Rio, sede de Itália x México já no domingo.

O dia de fúria, que transformou o centro das duas principais cidades do país em praças de guerra, chamou a atenção da imprensa internacional, que destacou os confrontos, prisões de jornalistas e a insatisfação popular com nossos governantes, sejam eles do PT, PSDB ou PMDB, os três maiores partidos do Brasil.

O “Wall Street Journal”, por exemplo, fazia uma análise de que a mobilização, que em tese era contra o aumento das passagens de ônibus, é muito maior que isso e reflete o descontentamente da sociedade com a condução da política econômica do país, cada vez mais claudicante.

 A Anistia Internacional também se manifestou, preocupada com possíveis abusos e truculência na reação policial e com o trabalho da imprensa, que estaria sendo cerceado, na cobertura dos protestos.

Cenas de vandalismo de alguns  manifestantes, que picharam ônibus, atiraram pedras em agências bancárias e estações de metrô e tentaram destruir patrimônio público em São Paulo e no Rio, também ganharam o mundo. Bem como a ação da polícia, marcada pela violência.

Fortaleza e Salvador, duas das seis cidades com jogos da Copa das Confederações, também vivem situações tensas e protestos pedindo segurança pública já. No caso da capital baiana, o caos agravou-se nos últimos dias nos sistemas de saúde, transporte e limpeza pública, que sofreram paralisações.

Apesar de tudo o governo federal tenta passar tranquilidade e a imagem de que o país segue em paz. Tanto que Dilma Rousseff dizia que o Brasil será um exemplo de segurança durante a Copa das Confederações. E fora dela?



MaisRecentes

Nova caminhada



Continue Lendo

O desabafo de Cuca (ainda)



Continue Lendo

As críticas de Cuca



Continue Lendo