Cerco a Marin



Adversários políticos de José Maria Marin querem aproveitar a Copa das Confederações, que começa dia 15, para voltar a pedir sua saída da presidência da CBF. A ideia é fazer barulho e mostrar para a imprensa estrangeira o passado do dirigente, aliado da ditadura militar.

Já na próxima terça Marin foi convidado a depor na Comissão da Verdade paulistana sobre sua atuação como deputado estadual nos anos 70. Ele era filiado à Arena, partido que dava sustentação ao regime militar, e chegou a ser governador biônico de São Paulo no início dos anos 80. Foi vice de Paulo Maluf, que deixou o cargo para concorrer a uma vaga na Câmara Federal.

Presidente de honra do PTB Esporte e vice-presidente do PTB paulista, Marin tem sido defendido por seu correligionário Campos Machado, secretário-geral do PTB. O deputado diz que há um movimento em curso para manchar a imagem do presidente da CBF e da própria Copa do Mundo de 2014.

Em âmbito nacional Marin tem sido alvo de entidades de direitos humanos e parlamentares, entre os quais Romário, que defendem sua saída da CBF.

Além de ter elogiado o delegado Sérgio Fleury, acusado da prática de tortura e da morte do jornalista Vladimir Herzog, o dirigente é questionado por um discurso contra o jornalismo da TV Cultura. Dias depois, Herzog, que comandava o departamento, seria preso e morto. Marin já disse não ter tido relação nenhuma com o episódio, e a Comissão Nacional da Verdade avisou que ele não é alvo de seus trabalhos.

Enquanto isso, aliados do dirigente ainda tentam reaproximá-lo do governo federal. Com o PTB voltando ao governo Dilma e articulando apoio à campanha de reeleição da presidente, a ideia é mudar o tratamento de Dilma Rousseff em relação a Marin. A presidente não o vê com bons olhos e, dentro do possível, tem se mantido afastada do presidente da CBF.



  • Tri Mundial Doom

    Só de ler PTB envolvendo a CBF já vi que o Brasil que poderia ser um Liga dos Campeões em apenas um país, vai continuar sendo um bagunçado, arcaico e como o inglês lá falou ” campeonato das selvas” como sempre. Os problemas do país são culpa de partidos políticos e interesses partidários, ninguém vai para melhorar e sim favorecer alguém, daí isso vai ficar também no futebol…Confederação Idade da Pedra do Futebol.

    • janca

      É… O Marin é político e representante do PTB, Tri Mundial.

  • Lacerda

    O nível dos presidentes da CBF é assustador. O passado de Marin bate a sua porta. O fantasma Vladimir Herzog, que sabe-se lá como se enforcou sentado, como mostra foto da época que foi morto, deve visitar Marin de vez em quando tentando despertar a sua consciência e remorsos. “Perdão moço, mas não tenho nem consciência e nem remorsos”, deve dizer Marin ao seu interlocutor do passado. A ex-estudanta, militanta política de esquerda e a agora presidenta, Dilma, repele a companhia incomoda do marionete do regime militar. Se fosse Lula com certeza já estariam tomando pinga juntos. “Eu tamem não conscênça e nem aquele outro negóço, companheiro Marin”, devia dizer Lula entre um gole e outro. O duro Janca, são as opções para presidente da CBF, caso Marin se afunde na lama do seu passado. Entre eles esta o marionete do Kia, o ex-presidente do Cortinthians, Romário, cujo o caráter nos gera dúvidas, apesar das atitudes combativas como dep, Ronaldo espertalhão fenômeno de marketing, e sabe-se lá mais quem. Talvez Leonardo que esta trabalhando no Paris Paris Saint-Germain fosse uma opção, ou uma esperança. Sinceramente não consigo ver nomes para o cargo, nenhum presidente de clube grande é digno de reivindica-lo. E na crônica esportiva Janca, nenhum de vcs se habilitaria a colocar o nome para ser presidente da CBF?

    • janca

      Mesmo o Leonardo, que tempos atrás eu defendia, hoje tenho minhas dúvidas se seria um bom nome para a CBF, Lacerda. Concordo que os nomes que têm aparecido para comandar a entidade são fracos. Parece difícil achar uma terceira via, que certamente teria que ser alguém fora do “establishment”. Da crônica esportiva um nome que eu apoiaria seria o do Juca Kfouri. Mas duvido que ele tenha interesse em se candidatar e que conseguiria lançar uma chapa. Até porque teria que ter apoio de x clubes, y federações, o sistema de eleição da CBF é viciado. O problema nem é a questão dos nomes dos candidatos, acho que é maior que isso. É de estrutura mesmo.

  • Rosenilton rocha

    LEONARDO É UM CARA SEM EXPERIÊNCIA PARA ASSUMIR UMA ENTIDADE EM QUE AS PESSOAS QUE ELEGEM O SEU PRESIDENTE TEM UM CIRCULO VICIOSO DO TOMA LA DA CA, MAIS NESSE MOMENTO ALGUMAS PESSOAS ENTRE ELAS ESTA O FAMOSO CARA DE AREIA MIJADA, ANDRÉS SANCHES, UM CARA AVARENTO, INVEJOSO QUERENDO TOMA O PODER POIS É MENINO DO RICARDO TEIXEIRA SEU CRIADOR, QUE TAL A CBF SER ADMINISTRADA POR UM CONSELHO GESTOR? JUNTANDO UM MONTE DE RAPOSAS VELHAS?

    • janca

      Sou a favor de um conselho gestor. Mas não formado por raposas velhas, como você diz. Esse termo raposa é complicado… Sobre o Leonardo tem experiência de trabalhar com Berlusconi, de quem era aliado e subordinado no Milan, e com petrodólares e dinheiro de origem questionada no Paris Saint-Germain, por exemplo. O trabalho frente à Fundação Gol de Letra é interessante também, mas quem se dedicou mais à instituição, que eu saiba, foi o Raí.

  • Lacerda

    Não acredito que o Juca seja uma boa opção, Janca. Sei que Juca é um dos pioneiros do jornalismo investigativo, mas não sei se isso o credencia a dirigir a CBF. Ricardo Teixeira vive um exílio de luxo e continua mamando nas gordas tetas da CBF. Marin é o continuísmo. Não existe oposição. O futebol brasileiro está passando por uma crise moral, técnica e estética. Moral pelos sucessivos escândalos de corrupção e violência dentro e fora do campo. Técnica porque nossos times hoje correm muito e jogam pouco. O Barça passou a ser a nossa utopia de um futebol que já foi o nosso. Alguns times até parecem a seleção inglesa dos anos 60. E estética pq perdemos nossa personalidade. Jogamos como se o jogo fosse uma guerra, a partida virou uma batalha campal com jogadores fazendo faltas incontáveis e dando chutões para frente correndo freneticamente de um lado para outro até a exaustão. Danilo, Ganso, Ronaldinho, Alex, Paulinho são raras exceções que ainda tocam a bola e tem visão de jogo. Quando chega um Neyma ficamos espantados, um oásis e meio a tanta mediocridade. O SP de Tele é completamente diferente do SP de Muricy. Não vejo evolução no nosso futebol, também não acho que estamos ultrapassados. Apenas gostaria de ver um jogo de futebol, algo cada vez mais raro. O espetáculo precisa voltar. O futebol no interior esta ficando cada vez mais fraco. Minha cidade tem mais de 300 mil habitantes e os dois times estão na Terceira divisão do Mineiro. Não fazemos mais jogadores, os times não tem renda, estão falidos. Tenho a minha utopia para resgatar o bom futebol. Os times grandes deveriam fazer suas “bases” pelo interior do país. Não apenas nas capitais. Não é preciso tirar a criança e o adolescente para viverem longe de suas famílias. Firmar convênios com universidades para prestarem serviços de fisioterapia, atendimento médico, dentário, acompanhamento psicológico, educação física, enfim, tudo que um jovem precisa na sua formação social e como atleta. Os profissionais de qualidade dos grandes clubes viriam para o interior formar os atletas. Os times do interior voltariam a se fortalecer e também abasteceriam os grandes clubes conveniados. A CBF e as federações estaduais ajudariam com recursos na formação desses atletas, ao invés de ficarem enriquecendo seus dirigentes e mandando fortunas para o senhor Teixeira. O futebol do interior esta morrendo Janca, os times que ainda respiram existem graças a empresários que precisam de uma vitrine para negociar seus atletas. Perdoe o monologo utópico Janca, mas ainda sonho em ver os times da minha cidade renascendo das cinzas, assim como o de outras cidades do interior, que hoje sobrevivem graças a migalhas de empresários. Sobre os times grandes, as cotas de TV deveriam ser igualitárias para não polarizar os títulos. O time que tem mais dinheiro que o outro tem mais chances de sucesso. Barça e Real Madrid, milionários do futebol aceitaram diminuir as suas cotas na tentativa de deixar o Espanhol mais equilibrado. Hoje em Minas assistimos Flamengo e Criciúma. Quem quer ver o horroroso time do Flamengo a não ser os flamenguistas. Cruzeiro e Inter, um jogaço, não foi visto nem por mineiros e nem por gaúchos. Aquele timaço do Cruzeiro do Alex, campeão Brasileiro, ninguém viu pq ficavam passando jogos do Flamengo e do Timão. Os jogos precisam ser setorizados, cada estado assiste os seus times. Polarizar em duas equipes tem utilidade apenas para TV que precisa de audiência. Querem que o Brasileiro seja algo parecido com o Espanhol, fica mais fácil de controlar os números do IBOPE. Acho que vou me candidatar a presidência da CBF. SereI uma espécie de Macaco Tião do futebol.

    • janca

      Eu queria ver no mínimo uma candidatura de protesto, como aconteceu tempos passados na Federação Paulista de Futebol. Salvo engano com o excêntrico Silvio Luiz e com o ex-jogador Sócrates. Que teve os méritos de não se vender ao “establishment”. Manteve-se fiel a seus ideais. Sobre o futebol brasileiro há muita coisa a mudar, concordo. Acho interessante a sugestão a de os times grandes fazerem suas bases, digamos assim, pelo interior do país também. Mas talvez o buraco seja mais embaixo e há tanta coisa a discutir. Ontem estava conversando com dirigentes de oposição da Portuguesa, um time que já teve tradição de formar bons jogadores. Está complicado investir na base, porque muitos dos atletas quando chegam aos 17, 18 anos já estão com o dinheiro todo fatiado entre agentes e empresários. Em muitos casos para o clube cabe boa parte da conta, mas não hora de faturar com o investimento feito quem realmente lucra é uma terceira parte. A questão dos direitos econômicos, já alvo de discussão, aliás, deve ser mesmo debatida. Foi fantástico terminar com a Lei do Passe, que era uma espécie de escravidão. Nem podemos cogitar voltar para algo parecido. Mas a ação de agentes e empresários que viraram donos da bola hoje também me preocupa. Bem como o de clubes de aluguel. E aí, apesar de sua sugestão ser interessante não sei se seria viável. E se não teríamos mais e mais times de aluguel.

      • Lacerda

        Vc colocou a Portuguesa no passado, no que diz respeito a formação de jogadores. Fala-se muito mal dos empresários de futebol, mas na realidades não sabemos ao certo qual é o papel deles. Denilson, o comentarias ganhou milhões e terminou a carreira sem nada, segundo ele, quase todo o seu dinheiro caiu nas mãos do empresário. Pq esses jovens estão nas mãos de empresários Janca? O que eles oferecem de tão bom que os clubes não conseguem oferecer? Hoje eles até pressionam retirar os seus jogadores dos clubes se eles não jogarem como titulares. Pq os clubes não oferecem aos jogadores o que os empresários oferecem?

        • janca

          Porque não é fácil oferecer o que os empresários oferecem. Os clubes já investem em campos de treinamento, comissão técnica para a base, viagens para os jogadores, concentração etc. etc. etc. Chega um empresário e oferece algo a mais em troca de uma porcentagem e um atendimento, digamos assim, supostamente personalizado. Para manter os atletas os clubes teriam que pagar bons salários a eles, aumentando o valor da multa por rescisão. Mas não dá pra fazer isso com todos nem saber ao certo quem vai estourar e quem não vai. Sobre a Lusa eu a coloquei no passado no tocante à formação de jogadores porque hoje ela não forma como no passado. Inclusive porque não é fácil manter um time na Série A, as dívidas que o clube tem são grandes e a base acaba relegada a segundo _talvez terceiro, quarto ou quinto plano.

  • Mario

    http://www.youtube.com/watch?v=loGxr8e80uI

    a estrutura nunca ira mudar , por q as pessoas esperam q as mudanças sejam feitas por quem esta no poder quando o certo seria a base se levantar contra o sistema , no caso os clubes o que é quase impossivel de acontecer .

  • haghios

    Na verdade … a Seleção Brasileira .. por enquanto é só da CBF e da Rede Plim Plim (Globo) a grande Maioria do Povo Brasileiro … não estão nem aí prá esta Seleção .. Culpa dos Jogadores? … Não … pois os mesmos que jogam .. jogam na Europa … e em grandes equipes .. são Campeões … então o que está errado ? .. desde 2010 … a Seleção Brasileira desandou … havia uma ótima Base … apesar da derrota contra a Holanda … bastava mais alguns retoques … mas os Incompetentes…. da CBF …. inventaram … Mano Meneses … Andres Sanches … e a Seleção que era a Oitava no Ranking da FIFA .. despencou para a décima nona colocação do Ranking ….perdeu a Olimpíada mais Fácil de toda a História … basta ver a Seleção do México … que corre sério Risco de não vir para Copa 2014 tamanha a Ruindade… pelo menos agora depois de 3-4 anos jogados na Lata do Lixo … parece que o Parreira e o Felipão .. estão dando uma cara de time prá esta Seleção ….

    • janca

      Não acho que tenha sido em 2010 que a coisa estourou. Em 2006 foi uma tragédia. Depois, apesar de termos ido mal na Copa da África, tivemos momentos incríveis na Copa América, Copa das Confederações e eliminatórias também. Mano concordo que foi uma tragédia, mas esse início de Felipão/Parreira também é preocupante, embora tenhamos, a meu ver, grandes jogadores em campo. Vamos ver se a coisa engrena.

  • Rodrigo

    Acabo de ler uma matéria na Superinteressante que fala sobre o porque de o futebol alemão estar ladeira acima e a lição que nós, brasileiros podemos tirar disso. Cita a mediocridade que o futebol alemão estava até poucos anos atrás – comparando-a, de certa forma, com a situação atual de um certo “país do futebol”.

    No caso dos alemães, a Federação de Futebol e o governo alemão transformaram o futebol nacional num projeto social, que envolve da disseminação de escolinhas de futebol e centros de treinamento públicos e sem vínculos por todo aquele país até a criação de uma política que impede que os clubes da Bundesliga gastem mais que arrecadam – dã. Conclui citando o óbvio, que a seleção alemã voltou a jogar bonito, que os clubes alemães estão nas cabeças na Europa e que só a média de público do Borussia Dortmund é, por jogo, 500% maior que a média de público do Brasileirão inteiro.

    E a gente com uma seleção que não engrena, uma federação de futebol que só pensa em dinheiro, uma política em que sempre tem alguém levando algum por fora, um campeonato de futebol subutilizado com um monte de clubes mal-geridos. Pensando bem, não dava pra esperar outra pessoa no comando disso tudo que um Marin da vida.

    • janca

      E eles aproveitaram a Copa de 2006, com sede na Alemanha, pra dar essa guinada. Aqui, pelo jeito, nada.

  • francotimao

    João, esse cara não tem a menor condição de “agradar” os torcedores e quiça dirigentes de federações, salvo aqles sabidamente corruptos e fáceis de serem assacados, ainda acho q todos as possibilidades q se apresentam o Andres a melhor opção, apesar de sua ligação com Teixeira, acredito q ele faria mudanças importantes no futebol brasileiro, é claro q se surgir uma outra opção efetivamente de vanguarda ficaríamos com ela, mas por hora…

MaisRecentes

Alerta a Raí



Continue Lendo

Os erros do Verdão



Continue Lendo

Vencer ou vencer



Continue Lendo