Mano e Parreira divergem



Mano Menezes continua dizendo que Neymar deveria ter saído do futebol brasileiro há dois anos, como ele próprio sugerira. Magoado com as críticas que recebeu na ocasião, aproveita o anúncio da transferência do atacante para o Barça para bater na tecla do “eu já sabia”. E insistir que, se tivesse saído antes, como ele, Mano, queria, estaria jogando muito mais bola hoje na seleção.

Mas Carlos Alberto Parreira, que trabalha com Luiz Felipe Scolari na atual comissão técnica do Brasil, discorda do ex-treinador e lamenta a saída de Neymar. Para o coordenador da seleção, o atleta deveria se transferir para a Europa só depois da Copa. Ele acha que a mudança agora só irá atrapalhar seu desempenho na seleção, principalmente porque se apresentará para o Mundial do ano que vem no final da temporada europeia, em tese mais cansado, e terá menos tempo para treinar com o Brasil.

Na Europa Neymar terá novos desafios, irá enfrentar defesas mais compactas e que jogam diferente, conhecerá outra cultura e poderá desenvolver mais seu futebol. Mas não necessariamente irá aprimorar seu talento para a seleção, o que depende de inúmeras variáveis.

Se ir para a Europa fosse caminho certo para um melhor futebol com a amarelinha, Robinho e Diego, que seguiram o mesmo caminho, teriam no mínimo tido mais oportunidades na seleção.

Como cada caso é um caso e pelo Brasil Neymar nunca repetiu os grandes desempenhos que teve com o Santos, sucesso pra ele em Barcelona. Que aprenda o que puder respirando novos ares e, o principal, que seja feliz na Espanha. Ele merece. Pelo Santos, pelo menos, fez muito e formou uma legião de pequenos e grandes fãs. Na cidade praiana e pelo Brasil afora. Torcedores que certamente desejam sorte a Neymar nessa nova etapa. E que vão seguir acompanhando o craque. Mesmo à distância.



MaisRecentes

Nova caminhada



Continue Lendo

O desabafo de Cuca (ainda)



Continue Lendo

As críticas de Cuca



Continue Lendo