A novela de Oruro



A Gaviões da Fiel, principal organizada do Corinthians, segue preocupada com o que considera morosidade da Justiça boliviana no caso dos 12 corintianos presos em Oruro.

O receio da uniformizada é o risco de os torcedores seguirem presos mesmo depois do prazo de seis meses para o término das investigações. Uma brecha na legislação local permitiria que os suspeitos fiquem até três anos presos até que saia a sentença definitiva. A Gaviões ainda espera que os 12 respondam o processo em liberdade. Eles foram detidos em 20 de fevereiro. Dos 12, nove são da Gaviões e três, da Pavilhão Nove.

As duas torcidas seguem reclamando das autoridades brasileiras, que teriam se “esquecido” dos brasileiros presos, suspeitos de terem participado, direta ou indiretamente, do lançamento do sinalizador que matou Kevin Espada, de 14 anos, em San Jose x Corinthians, pela Libertadores.

O governo brasileiro diz que vem fazendo tudo o que está em suas mãos pelos 12 corintianos, mas que não pode interferir na legislação boliviana. Um jovem de 17 anos, menor de idade, portanto, apresentou-se no Brasil como o responsável pelo disparo. Não há chances de ser extraditado para a Bolívia, onde a maioridade penal começa aos 16 anos.

Pelo jeito muita água ainda vai rolar…



MaisRecentes

Haja coração!!!



Continue Lendo

Cânticos brasileiros



Continue Lendo

Seleção no divã



Continue Lendo