Caravana para Oruro



Uma caravana de políticos brasileiros do PT e PSDB está sendo montada para pedir à Justiça boliviana a transferência dos 12 corintianos detidos em Oruro a uma prisão domiciliar. A ideia é aproveitar o amistoso entre Brasil e Bolívia, no dia 6 de abril, para também exigir do governo local um melhor tratamento aos detentos por conta do episódio que resultou na morte do menor Kevin Espada. Além de PT e PSDB a comitiva deverá ter representantes de outros partidos.

Os corintianos dizem estar sendo vítimas de chantagem, tortura e maus tratos na prisão de Oruro e reclamam da falta de apoio da diplomacia brasileira, segundo reportagem da revista “Isto É”. Um exemplar da revista circulava na manhã de hoje no presídio, mas um trecho da matéria pode ser usado contra os corintianos. O torcedor Tiago Aurélio Ferreira, um dos 12 detentos, afirmou à “Isto É” que “se alguém mexer com um de nós, o bagulho vai virar guerra (e) aí eles vão ver o que é torcida uniformizada”. A declaração foi vista como ameaça e pode complicar a situação de Ferreira.

Segundo os bolivianos, os 12 estão detidos por serem suspeitos de participação na morte de Kevin Espada. As autoridades locais não estão convencidas de que o menor de 17 anos que se apresentou no Brasil como autor do disparo do sinalizador que matou o garoto de 14 anos esteja falando a verdade. Dois dos 12 brasileiros detidos portavam sinalizadores marítimos como o que vitimou o menino e os outros dez são considerados cúmplices por supostamente terem ajudado a acobertar o crime.

O governo brasileiro diz que tem feito o possível pelos corintianos, mas que tem de acatar a legislação boliviana. Diz não haver descaso, ao contrário do que dizem os torcedores detidos. Ah! Vale lembrar que eles estão presos preventivamente _ainda não houve julgamento_ há mais de um mês em Oruro. E dos 12 detidos três são da Pavilhão Nove e nove da Gaviões.



MaisRecentes

A matemática do futebol



Continue Lendo

A melhor do mundo



Continue Lendo

Aprender a perder



Continue Lendo