O custo Luxemburgo



Conselheiros de oposição no Grêmio pressionam a diretoria quando o assunto é Luxemburgo. Estão preocupados com a folha de pagamento do time, incluindo comissão técnica, que dizem estar entre as três maiores do país. A direção, porém, evita falar em cifras, argumentando apenas que formou uma equipe com estrelas suficientes para ganhar a Libertadores.

Luxemburgo pediu _e foi atendido_ uma série de contratações, a última das quais o atacante Barcos, do Palmeiras. Apesar de contar com um elenco muito forte _e muitíssimo bem remunerado_, a classificação para a fase de grupos da Libertadores só veio nos pênaltis, a estreia contra o Huachipato foi vexatória, mas o time se recuperou com uma atuação exemplar diante do Flu, no Engenhão. Pelo Gaúcho, acabou eliminado pelo Inter nas quartas de final da Taça Piratini, primeiro turno da competição.

A pressão em relação ao técnico é grande e a oposição teme que as contas depois possam não fechar caso o time não vença o torneio sul-americano e continue gastando uma fortuna com folha salarial. Lembra que em outros clubes ele já fez o mesmo, exigindo a contratação de uma estrela após a outra e depois, ao sair, um abacaxi _e todos os custos_ para a direção descascar.

Outra crítica a Luxemburgo é que ele estaria expondo publicamente o Grêmio e jogando a torcida contra a nova arena ao pedir para mandar jogos da Libertadores no Olímpico e ao responsabilizar o gramado pela derrota do novo estádio pelo vexame contra o Huachipato, por exemplo.

Eu, pessoalmente, acho Luxemburgo, ao lado de Cuca, um dos dois melhores técnicos do Brasil em atividade, mas a questão financeira, no caso do Grêmio e de outros times pelos quais passa o treinador, sempre exigindo mais e mais reforços, pelo preço que for, não pode mesmo ser deixada em segundo plano e a preocupação da oposição no Sul se justifica.



MaisRecentes

O escândalo de Platini



Continue Lendo

Fernando Diniz na berlinda



Continue Lendo

Deuses da Bola



Continue Lendo