O Maracanã de presente?



Com a divulgação do edital do Maracanã na última quarta, faço uma atualização de coluna que publiquei há algum tempo no diário LANCE! sobre a concessão do estádio. Uma discussão que acho importante às vésperas da Copa das Confederações e do Mundial que teremos ano que vem:

“O uso das arenas erguidas ou reformuladas para a Copa de 2014 deve ser uma das preocupações dos organizadores e dos órgãos públicos envolvidos no evento. Erguer elefantes brancos não dá. É, no mínimo, um ônus desnecessário e descabido pra todos nós, brasileiros. De elefante branco o Maracanã não tem nada, mas nem por isso concordo com o que foi idealizado pra ele.

O governo gasta quase 1 bilhão de reais pra reconstruir o estádio e depois o cede para a iniciativa privada administrar? Acho sem sentido. Até entendo o argumento de que seria muito complicado atrair empresas que tivessem que gastar mais de 850 milhões de reais na arena e, por isso, o Estado do Rio tenha optado por arcar com os custos. Mas se o governo se acha rico e competente o suficiente pra tocar a reforma, por que não seria pra administrar a arena? Por que a repassar a um preço tão baixo à iniciativa privada? O gasto é público, com dinheiro do contribuinte, mas o benefício acaba sendo privado.

O consórcio ou empresa que vencer a licitação teria, é verdade, que investir quase 600 milhões de reais principalmente com demolição e reconstrução em outro local do Parque Aquático Júlio Delamare e do estádio Célio de Barros, apesar de reclamações de dirigentes das confederações brasileiras de Desportos Aquáticos e Atletismo. Mas poderá pagar 4,5 milhões de reais por ano ao governo do Rio, governo que estima receitas anuais de 154 milhões de reais para o vencedor e despesas de 43 milhões. Sendo que a concessão pode ser por 35 anos. Além do Maracanã e de todo o complexo que o cerca, o vencedor poderá administrar um museu do futebol, uma cadeia de lojas, bares e restaurantes, outra de cinema, ainda em discussão, fora um estacionamento para 2 mil veículos.

Não questiono que a iniciativa privada, livre de amarras que atravancam a administração pública, tende a levar vantagem na gestão, com mais facilidade na hora de fechar contratos, chamar pessoal e fazer compras pra melhorar o serviço. Mas sigo acreditando que, se o governo gastou tanto dinheiro pra refazer o estádio, deveria tentar aprimorar a gestão e não simplesmente repassá-la a particulares. Ou, se o fizesse, que colocasse o valor do “aluguel” em um patamar mais alto e não mais baixo _inicialmente a previsão era de que ele seria de 7 milhões de reais por ano, agora caiu para 4,5 milhões de reais, dado o aumento no valor do investimento no complexo previsto no edital.

O Maraca é um patrimônio não só do Rio e assim deveria ser tratado. Menos mal que, ao idealizar a licitação, o governo tenha resolvido exigir que clubes como Flamengo e Fluminense, sem estádio próprio, se unam a empresas para concorrer e tenha avisado que não haverá exclusividade a ninguém, ou seja, todos os grandes do Rio e a Seleção poderão usar o local. Menos mal também que o futuro gestor não possa vender os “naming rights” e que o estádio não será batizado com outro nome, bem como a autorização para que empresa estrangeira participe da concorrência. Sei que o Estado se mete em projetos demais, mas ceder ativos apenas pra se desfazer deles, como a Prefeitura fez com o Engenhão, acho discutível.”



  • Dermivaldo

    Bom dia Janca.
    O povo se ilude achando que estádio público é do povo. Não é. Estádio público na realidade é somente da prefeitura ou do governo. Seria público se o povo pudesse usufruir do estádio, mas ninguém pode, não é possível usar o estádio para fazer uma festa, nem prá jogar bola, se quiser ver jogo vai ter que pagar ingresso, se quiser ver show vai ter que pagar, se o time quiser jogar vai ter que alugar, enfim, os estádios “públicos” é que são um desperdício de dinheiro.
    Que contrapartida ou benefício o povo vai ter nesse 1 bilhão gasto no Maracanã?
    Acho que a melhor alternativa seria deixar o estádio para Flamengo, Fluminense (e talvez o Vasco) administrá-lo diretamente. O estádio atende perfeitamente esses 3 clubes e parte da renda iria para os cofres do governo.
    Ceder o estádio à iniciativa privada é a pior das idéias, com certeza tem sujeira por trás disso e muita gente vai lucrar sem fazer nada e sem merecer. Mesmo porque todos sabemos como funcionam as “licitações”.
    Abraço…

    • janca

      Com todo respeito eu discordo, Dermivaldo. Não tem sentido nenhum deixar para Flamengo, Fluminense e Vasco administrá-lo, lembrando que os três têm enormes dificuldades para gerenciar suas finanças, especialmente no caso do primeiro e do terceiro, que não têm uma Unimed por trás, as dívidas e atraso em pagamento de salários são constantes e o Vasco já tem estádio próprio. Gastar uma fortuna e repassar o estádio para quem não tem competência para gerir a si mesmo seria pior ainda. Bom que eles não possam assumir sozinhos a administração do Maracanã, um dos acertos do edital já pensado em outubro do ano passado.

      • Dermivaldo

        Só vejo 3 alternativas:

        – O governo administrar o estádio, mas o governo é corrupto e além disso não tem competência;

        – Cedê-lo a uma empresa através de concessão, mas será um jogo de cartas marcadas, pois todos sabemos como funcionam as “licitações”, além da empresa “vencedora” ser uma espécie de “atravessador”;

        – Os clubes criarem algo e administrarem e pagarem aluguel e/ou parte da renda diretamente ao governo.

        De qualquer forma o povo já perdeu e muita gente vai sair ganhando sem merecer, o certo é que esses 3 clubes é que irão jogar no estádio.

        • janca

          Os clubes até podem se associar para participar da administração do estádio, mas sozinhos, não, o que acho legítimo. Têm de ter parceiros fortes para pensar na concessão. O que não entendo é como o governo gasta uma fortuna _terceira reforma desde 2000_, mais de 1,5 bilhão de reais (incluindo as duas reformas anteriores e depois repassa para a iniciativa privada lucrar. Um bem pago com dinheiro do contribuinte. Se o estado é capaz de construir um estádio, deveria ser capaz de administrá-lo. Ou fazer uma concessão com um valor do “aluguel” mais alto, já que estima um ótimo faturamento para quem ganhar a licitação.

          • Marcos

            Vocês aí, discutindo sobre quem vai administrar o Maracanã, soa até engraçado. Concordo com Dermivaldo quando diz que o estádio nunca foi público, pois são cobrados ingressos para qualquer evento ali realizado, não tenho nada contra o governo construir ou reformar estádios, se esses investimentos (gastos) fossem para que o povo fosse beneficiado, porém, me sinto mal a cada reportagem em que fala dos valores gastos em obras que deveriam ser de menos prioridade, enquanto hospitais, escolas, presídios caem aos pedaços, portanto, acho que estamos discutindo a coisa errada, o foco não deveria ser o maracanã e sim a humilhação e a miséria em que nosso povo é submetido devido o descaso do governo.
            Se a mídia estivesse ao lado do povo tudo seria mais fácil!

  • Jogo de cartas marcadas !

    No fim quem arremata essas molezas são sempre laranjas de políticos influentes. Eles não entregam aleatoriamente, constroem para eles mesmos com o dinheiro alheio.

    Em nome da Copa, justificam milhões e milhões desviados. Eis ai o “legado”.

  • E tem mais 1 bilhão é o custo só da ultima “reforma”.

    Lembrando que já se havia se “investido” nos últimos 12 anos: Para o Mundial de Clubes da FIFA 2000: R$ 106 milhões (R$ 237 milhões em valores atuais)

    Reforma para o Pan 2007: R$ 304 milhões (R$ 397 milhões em valores atuais). Na época se justificou esse custo porque o Estádio estava se adaptando às exigências da FIFA já estando pronto para receber uma Copa do Mundo.

    O pior de tudo isto, para descaracterizar o MARACA, torna-lo um estádio comum, um Mario Filho pasteurizado pelo “padrão” FIFA, menor capacidade e sem a geral.

    • janca

      Tem razão. Para o Pan, por exemplo, gastaram uma baita grana dizendo que o estádio ficaria adequado aos padrões Fifa, apto a abrigar jogos de Copa do Mundo. Ficou? Como vimos não, tanto que o resultado está aí. Nova fortuna, ainda maior agora, para deixá-lo como a Fifa quer. Parece piada…

  • Vaz

    Estas coisas são prevíssiveis e não me surpeendem mais. O que me surpreende sempre é a passividade geral do brasileiro médio que diante destes escândalos se cala. Tudo cai no bairrismo e o “clubísmo”, fale alguma coisa contra e você é massacrado mesmo que se saiba que tudo é verdade. É um estranho sentimento brasileiro de tomar como pessoal a crítica a tudo aquilo em que acredita ou gosta.
    O Maracanã já no ínicio (outros estádios não são muito diferentes) era um festival de contradições e de orçamentos nebulosos (começaram a reforma e só um ano depois apresentaram ao BNDES o projeto completo, o banco recusou o financiamento pois de toda a reforma prevista levaram apenas 3 plantas genéricas da obra). Redução de custos no ínicio da reforma de 1,1 bilhão para 800 milhões não era real. Não é possível admitir que um estádio vai levar mais de 3 anos para ser reformado e ainda acreditar que seus custos não vão explodir.
    Passamos depois para a “surpreendente” constatação que a marquise estava podre, é inadímissivel que qualquer projeto de reforma não tenha constatado este fato antes e que pior ainda, diante da eminência da queda este estádio continuava funcionado normalmente: cadê a manutenção e o pessoal de fiscalização da prefeitura? A omissão não deu em nada, passou em branco.
    Mais uma situação que não estava prevista (acredita quem quer) e tome aumento dos custos que já iam para 980 milhões, depois greves e mais greves e atrasos e agora tome 6500 funcionários trabalhando contra 5000 que eram previstos (alguém acha que a construtotra vai absorver a conta?). Este estádio vai sair por algo em torno de 1,2 Bi e o mais escândaloso é que as demolições e estacionamentos não estavam na conta. Agora vão doar o estádio para alguém e não estranhem se a própria construtora e mais algum personagem conhecido das páginas econômicas e sociais do Rio de Janeiro não arrenda-lo (esta bola vem sendo cantada a meses). Onde anda o TCE e Ministério Público? Porque então não repasaram o estádio antes das obras por 35 anos e a reforma por conta do vencedor? Poderiam aí sim passar por 1 milhão (simbólico) mas preferiram entrega-lo barato totalmente reformado.
    É estranho que nas três semanas em que se começava a questionar o tal edital e certas maracutaias surgiam o assunto virou o tal museu do índio (que nem funcionava mais lá), o complexo de atletismo e mais algumas outros equipamentos públicos abandonados mas que repentinamente passaram a ser defendidos com unhas e dentes em mais uma evidente cortina de fumaça para desviar o foco da questão central que é a doação do estádio.
    Janca agora vemos um monte de pessoas indignadas e surpreendidas pela maracutaia. Surpeendidas??? Estão de brincadeira e é mais uma que vamos pagar a conta, agora fico imaginando as tais obras urbanas, aeroportos e etc. que não são tão vísiveis assim.

    • Dermivaldo

      No que deram as denúncias de superfaturamento da reforma do Maracanã? Vai pelo mesmo rumo do Pan, ficar por isso mesmo.

    • janca

      Um ponto interessante a lembrar é que a Delta, construtora envolvida em boa parte das obras do PAC e do governo do Rio e com ligações com o contraventor Carlinhos Cachoeira, era uma das responsáveis pela obra. Fazia parte do consórcio que está reconstruindo o Maracanã e depois caiu fora, como já havia feito com o Engenhão, aliás.

  • reinaldo

    Realmente é muita burrice. Se fosse para a iniciativa privada participar, isto deveria ter ocorrido no início das obras, sem um gasto tão grande do Estado.

    • janca

      É o que penso, mas o governo do Rio diz que nenhuma empresa privada iria querer gastar quase 1 bilhão de reais _houve um momento em que chegaram a trabalhar com a cifra de 1,1 bilhão de reais_ para reconstruir o Maraca.

  • Edson – Santo André

    Olá Janca!!!

    Não entendi muito bem: Em quanto tempo o governo terá retorno do valor gasto no Estádio se, a concessão está em um valor bem abaixo do estipulado anteriormente? Como isso funciona? Não é uma forma de favorecer determinados grupos políticos ou financeiros?

    Abs.

    • janca

      Não tenho indícios e dados para dizer que é uma forma de favorecer determinados grupos políticos ou financeiros. Recebendo 4,5 milhões de reais por ano _antes seriam 7 milhões de reais_, em 35 anos o governo arrecada 157,5 milhões de reais. Mas o consórcio ou o grupo que ganhar a licitação terá que gastar mais do que o previsto inicialmente, inclusive em obras por conta do estádio de atletismo e do complexo de natação. Até por isso _elevando o valor a ser investido no complexo_ o governo reduziu o “preço do aluguel”, digamos assim.

      • Edson – Santo André

        Esquisito hein Janca?! Merecia uma explicação mais detalhada por parte do Governo.

        • janca

          Não acho esquisito, não, Edson. É a política de privatização _ou concessão, como queiram_ iniciada no governo FHC e que continuou nos governos Lula e Dilma. Nada contra, nada a favor, mas tenho uma série de dúvidas _inclusive conceituais a respeito. Bom final de semana pra você, Janca

  • ANDREFLA

    O FLAMENGO TEM QUE ESQUECER O MARACANÃ E FAZER UMA PARCERIA COM VOLTA REDONDA OU MACAE E MANDAR OS SEUS JOGOS LA,ATE TOMAR VERGONHA NA CARA E FAZER SEU PROPRIO ESTADIO.SE NÃO TOMAR ESSA ATITUDE NÃO VAI FAZER NUNCA ,VAI FICAR O RESTO DA VIDA SEM ESTADIO DIZENDO QUE O MARACA É NOSSA CASA SENDO QUE NÃO É.ABRA O OLHO FLAMENGO.

    • janca

      E não teria sentido o Maracanã ficar nas mãos de um clube apenas, como aconteceu com o Engenhão, administrado pelo Botafogo. Nesse sentido acho que o governo do Rio, ao contrário da Prefeitura do Rio, com o Engenhão, acertou.

  • Marioh

    Janca,
    Vejo que os clubes cariocas mostraram que as suas torcidas são muito mais de marketing doque verdadeira. Tudo confirma, tem mais simpatizantes do que torcida. Sem o Maracanã, mostra como são as suas torcidas. Pífia. É como dizem que no Nordeste e Norte tem o time da casa e simpatiza com um dos times cariocas.
    Como o Rio de Janeiro é uma cidade turística e o Maraca é um dos seus pontos, logo quando há jogos no Rio comprova que quando o jogo é no Maraca dá público (maioria turistas). Quando é no Engenhão fica vazio (mesmo quando é clássico carioca não chega a 10.000 de publico).

    • janca

      Discordo. A torcida carioca é fanática. O que acontece, no caso do Engenhão, é que o estádio é mal localizado, transporte público pra lá é precário e estacionamento, ruim. Fora que o Estadual do Rio, assim como o Paulistão, por exemplo, o Paranaense, o Gaúcho, o Mineiro e tantos outros não atraem interesse nenhum _ou despertam pouco interesse. O carioca adora futebol e respira futebol. Mas só vai comparecer em jogos que de fato interessam. Assim como o paulista, o gaúcho, o catarinense…

      • Felipe Lima

        Só discordo quando diz que o Engenhão é “mal localizado”. Só pelo fato de ter uma estação de trem que atende os 2 ramais mais movimentados (Sta Cruz e Japeri), digo que chegar lá é fácil! Tá certo que não se compara ao Maracanã, que tem trem, metrô e uma penca de ônibus pra vários locais, mas chegar em Engenho de Dentro não é tão complicado assim (imagina se fosse em Campo Grande, onde eu moro! Hehehe!!).

        • janca

          Talvez você tenha razão em relação à localização, Felipe. Mas não acho tão fácil chegar lá, não. O sistema público de transporte teria que melhorar, pelo menos eu acho, para facilitar o acesso dos torcedores ao estádio. Acho a questão do estacionamento complicada também. E por mais que achassem que o Engenhão iria incentivar o comércio na região repare que até agora isso não aconteceu, inclusive porque os jogos seguem vazios _vide ontem, semifinal da Taça Guanabara, clássico e inúmeros lugares vazios. E realmente no quesito localização o Maracanã ganha de dez. Abs.

      • Marioh

        Janca,
        Esta é a diferença. Quando o carioca e você mesmo diz que o Engenhão é mal localizado considero que é desculpa para o pífio público. O Fla x Flu em final de campeonato brasileiro 2012 e o Flu em 1º lugar com estadio quase vazio. Se fosse em SP, qualquer clássico nessas condições, seja o campo que for: Barueri, Sto.André, ou mesmo até em Arararaquara ou Presidente Prudente (400 Km de SP), o estádio ficaria completo.
        Ter o maior público no Maracanã é fácil, ainda mais ingressos praticamente subsidiados . Os torcedores do Flamengo estão reclamando das semi-finais do carioca a R$80,00. Em Sorocaba, o Atletico de Sorocaba receberá o Santos ( jogo praticamente que nada define para a classificação) e o ingresso na curva do fundo da geral custa R$ 60,00 e o estadio ficará lotado.

        • janca

          Eu digo que o Estadual do Rio é sem graça, assim como o Paulistão. Mesmo os grandes jogando no interior não conseguem encher os espaços. O Palmeiras só conseguiu bom público semana passada porque reduziu o preço dos ingressos. Com todo respeito essa tese de que o paulista vai mais em jogo do que o carioca ou gosta mais de futebol do que o carioca é furada.

  • vinicius gordo

    TOMEM VERGONHA NA CARA CARIOCADA,SE QUISER TER UM ESTADIO PROS TIMINHOS DE VCS JOGAREM CONSTRUA. ALIAS VCS NAO TEM NADA EM ! NAO TEM CT,NAO TEM ESTADIO,NAO TEM HISTORIA NEM TITULOS . VEJA BEM O Q E FUTEBOL DE VERDADE PAULISTAS: 7 MUNDIAIS,8 LIBERTADORES,18 BRASILEIROS (SEM CONTAR OS TITULOS DE FAX DAS PORQUETES E SARDINHAS ), 8 COPAS DO BRASIL FORA OS RIO-SAO PAULO NAO DA NEM PRA COMPARAR A UNICA COISA Q VCS TEM MAIS Q NOS SAO PESSOAS INFECTADAS COM DENGUE E MORTES POR BALA PERDIDA KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    • Casrlos

      Pelo que estamos vendo o que os paulistas tem mais são assassinos e bandidos. Isso é o que mostra a torcida da gambazada mal cheirosa. Já não chega as arruaças que fazem nos estádios brasileiros, agora também nos envergonham em outros países.
      Pelo que sei o único estádio decente em SP é o morumbi. O resto é resto. A gambazada está tentando fazer um estádio com dinheiro dos contribuintes e se gaba de ter dinheiro. Com dinheiro dos outros é fácil. Os gambás se gabam de colocar 30.000 fedorentos num estádio e acham uma enormidade. Torcida em estádio quem coloca é o Flamengo, que de todos os maiores públicos do Campeonato Brasileiro em todos os tempos, possui 8 dos 10 maiores.
      Agora que o Maraca vai ficar pronto, vocês verão o que público em estádio e não essa “enormidade” de 30.000 gatos pingados que como a sua própria torcida diz são um bando de idiotas e imbecis, porque é isso o que significa loucos conforme o dicionário Aurélio.

      • rubens

        loucos significa tua mae de quatro e trinta milhoes atras dela.

    • Ramos

      O Rio nao tem história nem títulos?
      Acho que a gordura subiu a cabeça
      Se tu for corintiano ou saopaulino devia ter vergonha em falar de estadio próprio.

  • Gilberto

    Que discussão mais sem pé nem cabeça. O governo do Rio tá se lixando pra esses custos.
    Ele não gasta um centavo do seu dinheiro nisso. É tudo verba federal que eu como paulista e o mineiro, gaúcho, piauiense, etc… de gente quem nem sabe que existe Maracanã sustenta essa farra de dinheiro público. Esse Rio que já ganha dinheiro indevido do petróleo e ainda receba ajuda extra para esses bacanais financeiros.
    Outra coisa Janca, esse negócio de você colocar no mesmo balaio o campeonato paulista e o carioca não tem o menor cabimento. Vou explicar didaticamente abaixo porque:
    -Um jogo de um time de grande SP equivale ao público e renda dos jogos dos 4 grandes do Rio
    juntos;
    -A grande maioria dos times pequenos do Rio nem estádio tem e os que tem estádios, na
    maioria da prefeitura local, não possui iluminação para jogos noturnos. Isso provoca uma
    injustiça enorme porque os times grandes alem de serem grandes ainda joga com os pequenos
    em campos neutros que nem de longe acontece no campeonato Paulista;
    -Quando você pega público e renda do campeonato carioca acontece, como no último clássico entre Vasco e Fluminense, 5.000 pessoas entraram sem pagar não tem o menor cabimento isso considerando que o campeonato e os clubes estão literalmente falidos;
    -Janca vou parar por aqui porque tem muito mais coisas que diferenciam o carioca do paulista
    e isso o torcedor carioca enxerga e não tem vontade de ver seus clubes jogar. Não tem nada
    ver com Engenhão, Maracanã ou qualquer outra desculpa que a crônica esportiva queira jogar
    na cabeça dos torcedores. É isso

    • janca

      Em primeiro lugar, Gilberto, não é verdade que o governo do Rio não gastou um centavo de dinheiro no Maracanã e que toda a obra foi paga com dinheiro federal. A maior parte foi bancada pelo contribuinte do Rio, já que o Estado do RJ é o dono do estádio. E é ele quem vai fazer a concessão. Em segundo esse papo de carioca x paulista já deveria estar sepultado. É o bairrismo, assim como o clubismo, que tanto mal fazem ao futebol. Acho que a administração dos clubes de SP está à frente da administração dos clubes cariocas, mas o interior paulista há anos vem em decadência quando o assunto é futebol, vemos vários times sazonais, estádios vazios e o regulamento do Paulistão é tão patético quanto o do Estadual do Rio. Dois torneios inchados, aliás.

      • Gilberto

        Janca, com relação as obras do Maracanã, não acredito, me desculpe, que o Rio está bancando sozinho as obras, o Rio não tem dinheiro pra isso, mas infelizmente é impossível provar.
        Com relação aos campeonatos estaduais também não posso concordar contigo. Moro em Ribeirão Preto e desde os primórdios os jogos do campeonato paulista no interior sempre deram renda com os times grandes em campo, isso não é fenômeno atual. O futebol paulista é forte porque o interior do estado sempre foi um grande seleiro para os times da capital. Se você fizer uma pesquisa vai dar de goleada que a população não quer o fim dos estaduais.Me parece que o interesse em acabar com ele é puramente da mídia que não deve dar retorno financeiro. Numa coisa porem eu concordo contigo, deveria sim ter menos times e os grandes entrar, de repente, só nas oitavas. Mas Janca pra concluir: O nome do campeonato do Rio está errado você não acha? Deveria ser campeonato Fluminense ou estou errado?

        • janca

          Não se trata de provar. É obra do governo do Rio. BNDES, que representa o governo federal, tem feito os empréstimos de “pai para filho”, como costumam dizer, embora no caso do Corinthians/Odebrecht a grana ainda não tenha saído. Problemas com a garantia oferecida pela construtora.

  • Paulo Vieira

    Com ajuda do governo os gambas tem estádio tem tudo

  • Edson – Santo André

    Mas a média de público do Paulista, apesar de pequena se comparando a campeonatos internacionais, é mais que o dobro da média do Carioca, e lá tem muito ingresso subsidiado também. O público da primeira semifinal da Taça Guanabara foi de aprox. 20000 pessoas, sendo quase 5000 gratuidades. Como se faz futebol profissional desse jeito? O paulista participa mais dos jogos sim. A média de torcedores da Ponte Preta em seu estádio é maior que a do Botafogo antes da Semifinal do 1º turno Carioca, e os times menores de São Paulo, comparando com os do Rio, quando jogam sem a presença dos Grandes, os de São Paulo tem mais de 10x mais público. Se pela quantidade não é nenhuma maravilha, mostra que o público paulista participa bem mais que o público carioca.

    Abs.

    • janca

      Veja os jogos do Mirassol, então, Edson. Ou do São Caetano. Ou do Linense, em casa, cuja torcida começa a aparecer, ainda assim bem devagarzinho, só agora. Ou do Penapolense. E tantos outros mais. Guarani é um caso típico. Joga pra ninguém. Fazer um time disputar 19 jogos para se classificar para as quartas de final, quando um jogo pode lhe custar a desclassificação, é piada. Abs.

  • Vinicius Leal

    O Rio de Janeiro tem dono, ele se chama Eike Batista, estão vendendo o RJ inteiro para ele.

  • Melo

    Creio que uma análise mais completa deveria levar em conta não apenas os gastos com a Copa e as Olimpíadas mas também as receitas a serem geradas pelos direitos de transmissão e os impostos que incidem sobre os gastos dos turistas durante esses eventos. Um fluxo de caixa considerando entradas e saídas permitiriam uma análise do resultado final dos investimentos e o custo real para os brasileiros. A melhoria dos aeroportos envolve ganhos de innfraestrutura que são permanentes e que estão sendo bancadas pela iniciativa privada através de concessão.

    • janca

      A previsão do fluxo de caixa _receitas e despesas por ano_ foi feita pelo governo do Estado do Rio.

  • JOSE ANTONIO

    O estádio do corinthians se enquadra nessa questão de “presente”?

    A situação do maracanã me parece mais jogada política e financeira do que um mero presente.

    • janca

      Claro que se enquadra. Mas o Maracanã também.

  • littodiniz

    Desulpe o palavão, mas acho que esse filho da puta do governador do RJ, Sérgio Cabral deveria ser fuzilado, um tremendo ladrão. por que que ninguém quis reformar o nosso maracanã, por que não quis reformar o complexo esportivo, agora depois de pronto aparece esse chifruto do Eike Batista junto com o apóio do ladrão do Cabral querendo querendo gerênciar o estádio. Acho que as torcidas deveriam se manifestar contra privatização. Se Eike Batista eh tão rico para que ele quer administrar o maracanã.

    • janca

      Aí não. Por mais que você queira desabafar, quando parte para a baixaria e agressões verbais perde toda a razão. E acho que a questão das concessões e do dinheiro público em estádios que depois serão administrados pela iniciativa privada extrapolam o caso Maracanã. Veja a arena de Itaquera, por exemplo. Estádio do Corinthians graças à enxurrada de recursos e benefícios públicos.

  • littodiniz

    Fora Cabral ladrão e Eike Batista oportunista. corja de ladrões, uma obra super-faturada, o governo Cabral está por trás disso, a EMOP está por trás disso, as empresas de EBatista estão por trás disso e ninguém faz nada. O Cuurintians ganhar estádio novo com o nosso dinheiro assim eh mole e ninguém faz nada, obras que nunca acabam “maraca, o estádio do mineirão” etc… Para que construir estadios em Manaus, Mato Grosso, Brasília esse estados tem time de expressão “não” no máximo disputam a quarta divisão ( políticos fdps), esses estádios vão virar elefante branco e esse povinho bate palmas. Por isso nunca vamos deixar de ser um povinho merda, povinho de terceiro mundo.

  • Dyogo

    Quem deveria administrar eram os grandes clubes do Rio sim. Se eles sem prioridade resolvessem deixa lo de lado, e fizessem seus jogos em outros lugares queria ver onde entraria os lucros desse investimento do governo.

MaisRecentes

Pela saída de Levir



Continue Lendo

Apoio a Jô



Continue Lendo

Os preços da Seleção



Continue Lendo